Vigiar ex-parceiro nas redes sociais é insano, alerta terapeuta

Comportamento, Social
14 de março de 2016
por Genilson Coutinho

Você acabou de terminar um relacionamento, mas decide manter o ex-cônjuge nas redes sociais, afinal, os dois queriam o fim e não vai magoar postar uma foto sua na balada, certo? Errado. Para o terapeuta transpessoal sistêmico, Jordan Campos, as redes sociais trouxeram uma série de problemas de fim de relacionamento. “A possibilidade de vigiar o ex, saber por onde ele ou ela anda e com quem se relaciona, é um ciclo insano”, alerta.

Segundo Jordan, 80% das pessoas que praticam isso provocam em si mesmas condições comportamentais dolorosas, interrompendo e iniciando o fim da relação, que precisa mesmo é de luto e afastamento. “Paranoia, ciúmes, ameaças, perseguição e violência, estão associadas diretamente a possibilidade que o Instagram, Facebook e outros dão de espionagem. Somos seres carentes, inseguros e egoístas. O conflito de território é complicado e nos confunde fazendo achar que temos posse daquela pessoa”, alerta Jordan.

Infelizmente, não há educação emocional para que se aprenda a lidar com o fim de um relacionamento. O ideal é que haja bom senso de ambas as partes para evitar um sofrimento maior. “Os dois têm de cuidar do final da relação e dar um tempo no que se posta. Se você está separado e entra nessa de provocar o outro na internet está comprando uma passagem para o inferno. Relações longas exigem lutos longos, é melhor para a saúde”, recomenda o terapeuta.