“Para além dos seios” passa a ser exibido no Cinema da UFBA

Cinema, No Circuito
11 de maio de 2016
por Genilson Coutinho

Após o sucesso no Cinema do Museu, em Salvador, que rendeu ao filme “Para além dos seios” uma temporada de dois meses em cartaz e duas semanas no Cine Paseo, o filme continua no Circuito SALADEARTE, no Cinema da UFBA, no Vale do Canela, ao lado das Faculdades de Educação e Administração, de 12 a 18 de maio de 2016, diariamente às 16h.
Para o diretor, Adriano Big, concluir essa temporada na UFBA é algo simbólico. “O filme tem uma relação fundamental com a instituição. Apenas um membro da equipe técnica não é oriundo da Área de Concentração em Cinema e Audiovisual dos Bacharelados Interdisciplinares. Alguns ainda estão cursando. Sem falar que duas das nossa personagens de destaque, Ivana Chastinet e Viviane Vergueiro, são dos mestrados da UFBA, e Ednilson Sacramento está graduando em jornalismo na FACOM. Esse filme, assim como a gente, começou lá”.
Para a temporada na UFBA, a produção espera potencializar as relações com a instituição através de debates e bate-papos em sala de aula. “O filme abre um leque de discussões necessárias. Estamos dispostos a fomentar que esses debates aconteçam no ambiente acadêmico e fora dele” afirma Malaika Kempf, diretora de produção, ex-aluna e atual mestranda da instituição.
SERVIÇO
“Para além dos seios”
12 A 18 DE MAIO
Cinema da UFBA
Av. Reitor Miguel Calmon, s/n. Vale do Canela. Ao lado das Faculdades de Educação e Administração. Estacionamento gratuito. Tel: (71) 3237-2331.
Horário: diariamente, às 16h.

SINOPSE:
PARA ALÉM DOS SEIOS parte do seio enquanto significante do feminino, para problematizar as relações com o corpo e o gênero na contemporaneidade, através de assuntos como mastectomia, transgêneros, assédio e violências contra a mulher, feminismo, marcha das vadias, sexualização do feminino e ditadura da imagem, cirurgias estéticas, amamentação, entre outros, buscando o empoderamento da mulher, a tolerância e o respeito ao outro, trazendo à tona discussões atuais como aborto, liberação da maconha e seu uso medicinal, a teoria queer, uma visão crítica das representações midiáticas, a opressão das ideologias religiosas sobre os corpos e tantas outras necessárias ao nosso tempo.