Instituto TIM beneficiou 80 mil brasileiros em 2014

Serviços
20 de janeiro de 2015
por Genilson Coutinho

tim-logo

Instituto TIM encerrou o ano de 2014 com 80 mil pessoas beneficiadas por meio de seus projetos em todo o Brasil. O Instituto – que tem a missão de criar e potencializar recursos e estratégias para a democratização da ciência, tecnologia e inovação no país – segue, em 2015, com mais de 10 iniciativas em andamento, todas orientadas por quatro princípios: ensino, aplicações tecnológicas, inclusão e trabalho.

Um dos destaques do ano passado foi o projeto O Círculo da Matemática do Brasil, – que trouxe ao país a abordagem “The Math Circle”, desenvolvida pelos professores Bob Kaplan e Ellen Kaplan da Universidade de Harvard. A inciativa busca o desenvolvimento do raciocínio matemático de alunos do 2º ao 4º ano do Ensino Fundamental com aulas lúdicas e cooperativas, reforçando e incentivando o estudo da disciplina na rede pública brasileira. Em 2014, foram realizadas mais de 14 mil aulas do projeto em 67 escolas públicas de São Paulo, Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasília, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza, Aracaju, Belém e Porto Velho, beneficiando cerca de oito mil alunos. A expectativa é que, este ano, o projeto alcance ainda mais alunos.

O programa TIM Faz Ciência também apresentou resultados positivos. Criado com o objetivo de levar às salas de aula recursos e materiais que permitam aos professores abordar com seus alunos as principais operações intelectuais envolvidas na produção de conhecimento científico, a ação alcançou 251 municípios, beneficiando cerca de 70 mil alunos e capacitando mais de dois mil professores. Em 2015, a meta do programa é envolver 100 mil alunos.

Além da evolução das iniciativas já existentes, o Instituto TIM prevê novidades para os próximos meses. Entre as principais, está o projeto Academic Working Capital, que apoiará graduandos em Ciências Exatas de universidades parceiras em seus trabalhos de conclusão de curso, resultando na criação de protótipos de produtos que sejam comercialmente viáveis. O Instituto também ampliará a parceria com a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), financiando 50 bolsas de estudo para alunos medalhistas que optarem por cursos superiores na área de Ciências Exatas.