Ilê Aiyê realiza Semana da Mãe Preta de 22 a 27 de setembro

No Circuito
11 de setembro de 2014
por Genilson Coutinho

elle

De 22 a 27 de setembro, a Associação Cultural Ilê Aiyê promove aSemana da Mãe Preta, com programação que envolve palestras, atividades educativas, oficinas, mostras culturais e exibição de filmes na Senzala do Barro Preto, envolvendo os alunos da Escola Mãe Hilda e da Band’Erê.  Um dos momentos mais esperados acontece dia 27, quando haverá shows da Band’Aiyê, e das cantoras Ellen Oléria e Rebeca Tarique, em noite de festa no Curuzu.

Ellen Oléria traz para o palco o show do CD que leva o seu nome, lançado após sua festejada e merecida vitória no programa The Voice Brasil. O convite do Ilê para Ellen coincide com o lançamento do clipe da canção Córrego Rico, faixa de sua autoria que fala do feminino na ancestralidade, citando nomes de mulheres como Tia Preta e Antônia, revelando que a Semana da Mãe Preta dialoga com os temas que inspiram a cantora e compositora.

A Semana da Mãe Preta acontece desde 1978, quando foi criada para homenagear Mãe Hilda, sacerdotisa do candomblé e, por muitos anos, dirigente espiritual do Ilê Aiyê. Ao longo dos anos, o evento expandiu seu significado e hoje faz uma grande homenagem à mulher negra, em busca da sua valorização como sujeito importante na construção da sociedade brasileira.

Programação – A programação será aberta com uma visita dos alunos da Escola Mãe Hilda ao Terreiro Mãe Hilda Jitolú, dia 22, segunda-feira, às 10h. A atividade acontece também com os alunos do turno da tarde, às 15h, reforçando um dos objetivos da Semana da Mãe Preta, que é a homenagem à trajetória de vida de Mãe Hilda. Ainda no dia 22, às 9h30 e às 14h30, acontecerão oficinas de capoeira com o tema “Mulher na Roda”, com os alunos da escola Band’Erê.

Durante a semana, são eles, os alunos dos projetos educacionais do Ilê Aiyê, o público alvo da programação. Algumas atividades, porém, são abertas à comunidade, como Palestra de Prevenção ao Câncer de Mama, com a enfermeira Joana Silva, dia 23, terça-feira, às 9h, que todas as mães da comunidade serão convidadas a assistir.

Na quarta-feira, dia 24, o ponto alto é a construção e exposição de painel sobre a importância da mulher negra na sociedade, seguida de roda de conversa sobre a importância da bênção. Dentro dos projetos educacionais do Ilê Aiyê, a bênção aparece como um dos importantes princípios repassados aos seus alunos, entendido como um hábito que conscientiza sobre a importância do respeito aos mais velhos.

Na quinta-feira, dia 25, os alunos da Band’Erê e Escola Mãe Hilda participam da exibição do filme “Prova de Fogo – Uma História de Vida”, que conta a história de Akeelah, menina negra de 11 anos que enfrenta inúmeras dificuldades até chegar à final de um importante concurso de soletração.

Na sexta-feira, dia 26, o clima já é de celebração. Às 9h e às 16h horas, acontecem as apresentações comemorativas “Cantando e Dançando para Mãe Hilda”, feitas pela Oficina de Percussão e Dança e pelo Coral da Escola Mãe Hilda.

A festa continua no sábado, dia 27, com encontro marcado, a partir das 22h, na quadra de ensaios da Senzala do Barro Preto, para coroar o encerramento da Semana da Mãe Preta. Abre a noite a dona de uma voz forte e autêntica, a cantora Rebeca Tarique, que vem sendo aplaudida pelas releituras de canções de repertórios de blocos afros. Logo depois, sobe ao palco a Band’Aiyê com toda sua vibração.

O terceiro e tão esperado show da noite é o da cantora, compositora e instrumentista autodidata Ellen Oléria. Como não poderia ser diferente, o encerramento oficial da Semana da Mãe Preta acontece com o retorno da Bandayê e seu canto único, sempre a lembrar a força da mulher negra dentro ou fora dos palcos.