Gaytrospectiva 2017: Coletivo de drags movimentaram o cenário LGBT+ de Salvador

Comportamento, Social
22 de dezembro de 2017
por Genilson Coutinho

Integrantes da Casa Monxtra (Foto: Arquivo Pessoal)

Sem dúvida no quesito arte, o ano de 2017, foi das estrelas do transformismo de Salvador, que ocuparam os mais diversos espaços da cidade com muito talento, brilho e protesto contra a violência diária contra a comunidade LGBT+ e os baixos cachês. Essas estrelas se uniram para liderar o movimento de visibilidade da arte e das lutas através dos coletivos que foram surgindo e ganharam força e respeito por onde passaram, seja com um perfil pop, militantes ou glamourosas, lá estavam eles mandam o recado para sociedade.

Coletivo Bonecas Pretas (Foto: Arquivo Pessoal)

E não poderíamos deixar o ano acabar sem falar do coletivo das “Bonecas Pretas“, formado por Alehandra Dellavega, Brendah Barbierie, Dandara, Ferah Sunshine, Saphyra Luzz, Sasha Heels, Suzzy D’costa e Yanna Stefens, que ao longo do ano levaram arte para escolas, seminários e presídios, sempre com uma mensagem de luta contra o preconceito e a homofobia.

Já turma do coletivo “Haus Of Gloom” formado por Aimée Lumière, Aleera Cox, Amanda Moreno, Gotham Waldorf, Petra Perón, Mary Jane Beck e Spadina Banks deram o que falar nas badalas e festas da Amsterdam. O coletivo atuou em espetáculos teatrais e foram as primeiras artistas transformistas a realizarem uma festa no Clube San Sebastian ao longo desses 8 anos da casa. Sem falar na presença delas no Groove Bar, na Barra.

Quem também abalou as estruturas da capital baiana foi o coletivo Casa Monxtra” formando por Mamba Negra, Ah Teodoro, Loren Taba, Maria Tuti Luisão, Martin Shankar Frutifera Ilha, Malayka SN e Jeisieke de Lundu, que ocuparam o palco do Âncora do Marujo nas noite de terça-feira com a “Terça Mais Estranha do Mundo”, comandada por Malayka SN, lotando o espaço localizado na Carlos Gomes, em plena madrugada. Elas ganharam no concurso Super Talento (Ah Teodoro), deram textão no Facebook trouxeram para cena reflexões importantes sobre diversas temáticas.

As cremosas

E sabe o que é melhor, os coletivos não pararam, a turma do coletivo das “Cremosas” formado por  Melanie Mason, Sasha Heels, Milla Hunty, Vick, Duda Baroni, Renatha Peters, Tyna Vhermont e Angelina Meels chegaram de mansinho e foram mostrando sua força e interatividade no palco do Marujo, com muito glitter e colorido.