Companhia de teatro faz seleção de elenco em Salvador

No Circuito, Teatro
4 de janeiro de 2017
por Genilson Coutinho

soudessa-logo

Abertas inscrições para o processo de audição para elenco do espetáculo teatral TRANSMETRÓPOLIS. A montagem da SouDessa Companhia de Teatro busca 3 atores a partir de 18 anos, de ambos os gêneros, que tenham facilidade em compor personagens de diferentes características. TRANSMETRÓPOLIS é composta por três personagens, a travesti Shirley, seu marido Alberto e seu ex namorado Moisés.  Essa é a terceira temporada da montagem. A estreia é prevista para o primeiro semestre de 2017.

Os interessados deverão enviar a ficha de inscrição por email (projetosoumaissd@gmail.com), entre os dias 05 e 15 de janeiro, constando os seguintes dados: Nome, endereço, telefone, fotos (rosto e corpo) e currículo resumido. A audição acontece no dia 21 de Janeiro (sábado), no Espaço Xisto Bahia (sala de ensaio), na Rua General Labatut, 27 – Barris, a partir das 14 horas. O resultado será divulgado no dia 23 de janeiro na página na SouDessa Cia de Teatro.

Esta ação faz parte do Projeto SOU+, ação de manutenção das atividades da SouDessa Cia de Teatro. O projeto é patrocinado pelo Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, selecionado no Edital de Apoio à Coletivos e Grupos 2016.

 Confira as características dos personagens:

SHIRLEY: Travesti, negra, vinte e poucos anos, escritora. Shirley é intensa, impulsiva, irônica, mulher que não leva desaforo pra casa, sempre com um sorriso no rosto, mas desequilibrando sempre seus inimigos. Toda essa explosão é colocada em xeque na presença de seu marido Alberto, com ele torna-se manhosa, carinhosa, leve. Mas a fragilidade em Shirley é algo consciente. No momento em que é frágil ela, de fato, quer ser frágil. Shirley é completamente contraditória, mas vive livre dentro de suas contradições. É descolada, adora tecnologias, é vaidosa, fã de literatura, teatro, cinema, principalmente das irmãs Wachowski. Ao mesmo tempo, adora esperar o marido chegar do trabalho, fazer uma massagem, um dengo gostoso, deixar comida pronta no fogo, mas “ele que esquente no micro-ondas”.

ALBERTO: Homem, com estilo “marrento”. Desconfiado, bruto, meio frio, largado. Perde toda a pose de “machão” na presença de Shirley. Com ela ao seu lado, torna-se leve, sorridente, faz charme. Taxista, gosta de beber com amigos, futebol, filmes de ação, lê pouco, quando lê são jornais populares vendidos em sinais de transito. Nunca foi dos estudos, mas também nunca dependeu deles para aguçar sua inteligência. Todo esse arquétipo do macho alfa brutamonte é colocado em xeque depois da sua revelação em querer fazer a operação de transgenitalização. A masculinidade de Alberto não é forçada, ela simplesmente é! Mas dentro do homem clichê de masculinidade essencialmente padrão, existe sim uma mulher a frente do seu tempo esperando o melhor momento de ser colocada para fora. O problema é convencer sua esposa Shirley disso e manter o relacionamento mesmo com tantas mudanças…

MOISÉS OU MOMÔ: Ex-namorado de Alberto. Homem “ex-gay”, atualmente heterossexual devido um tratamento em uma Clínica de Readequação Para Pessoas Com Transtornos Comportamentais, a Bons Hábitos. No seu passado, Moisés era o típico gay efeminado que chama atenção do bairro com sua “fechação”, mexe com os moleques, é amigo das mulheres “babadeiras”, fazia a graça de todos com as piadas e os bordões que inventava, era muito conhecido no bairro da Fazenda Grande do Retiro, do qual residia. Depois de saber do assassinato de um amigo, por motivos homofóbicos, resolve “largar de vez” o mundo da pederastia e ter uma vida melhor sendo um homem temente a Deus. Moisés torna-se um novo homem, novos conceitos, mas vez ou outra sua afeminação, sua velha ironia e seus desejos voltam para lhe assombrar. Do “mundo gay” Moisés tem péssimas lembranças. Como efeminado Moises era só, seu olhar por trás de toda fechação refletia solidão. Não era levado a sério pelos héteros e pelos gays era um sujeito execrado. No fundo, Momô sabe que o tratamento não serviu de muita coisa, mas ele aprendeu agora a representar e vive divulgando a palavra de Deus para aqueles dispostos a mudar e tornar-se cristãos de moral inabalável.

 SOUDESSA CIA DE TEATRO

Fundada em junho de 2011, tendo “TRANSMETRÓPOLIS” como montagem de estreia, a SouDessa Companhia de Teatro traz à tona discussões sobre a pluralidade sexual na atualidade. A SouDessa é uma Cia de colaboradores artísticos de várias áreas dos bastidores (produção, cenografia, figurinista, iluminador etc) do teatro e sempre com elenco convidado diferente a cada montagem. Filipe Harpo é o diretor artístico da Cia e também fundador da mesma.

A primeira temporada de “TRANSMETRÓPOLIS” aconteceu no Cine Teatro Solar Boa Vista, onde a Cia era residente. O espetáculo ganhou ainda uma segunda temporada em setembro de 2011 no Espaço Cultural Dias Gomes com o apoio do Sindicato dos Comerciários de Salvador. E também contou com o Projeto Destravando: ciclo de debates com o propósito de discutir e informar o público sobre os processos de transformações dentro das sexualidades evidenciadas no espetáculo.

A segunda montagem da SouDessa, “CONDENADOS”, estreou a primeira temporada em 31 de agosto de 2012 no Cine Teatro Solar Boa Vista – espaço em que a Cia era residente – além de participar da programação da Semana da Diversidade Cultural – a convite do presidente do GGB, Marcelo Cerqueira. A segunda temporada veio em 10 de janeiro de 2013 num novo formato, com uma nova proposta de espaço e interação com o público, sendo encenado no All Club Louge Bar no Beco dos Artistas, Garcia.

PROJETO SOU +

Esta seleção faz parte do Projeto SOU +, ação de manutenção das atividades SouDessa Cia de Teatro que visa dar suporte a continuidade de sua pesquisa cênica com apresentações ações nas seguintes áreas: • DIFUSÃO: • CIRCULAÇÃO. • CAPACITAÇÃO E INICIAÇÃO ARTÍSTICA: REGISTRO e MEMÓRIA • CRIAÇÃO: • FORMAÇÃO DE PLATÉIA:

O projeto é composto de oficinas circulação de espetáculos estreia de um novo espetáculo, totalizando 18 apresentações, ocupação de dois importantes teatros na cidade de Salvador, 60 horas de qualificação, realização de um seminário para coleta e pesquisa de informações para montagem do quarto espetáculo da Companhia. A temática será voltada para o público feminino.

O projeto é patrocinado pelo Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, selecionado no Edital de Apoio à Coletivos e Grupos 2016.