Notícias

Serviços

Scream destaca empresas baianas da economia criativa – Vale do Dendê, Arquivo, Aganju, Dendezeiro e Saltur

Genilson Coutinho,
04/12/2021 | 14h12
Foto: : Walter Guedes / Renato Jackson / José Cavalcante.

O segundo e último dia do Salvador Creativity and Media Festival – Scream Festival 2021 segue fervilhando ideias e cases de sucesso. O destaque da manhã deste sábado (4) é para as iniciativas que se destacam pelo senso de coletividade. No painel “Modelos de ação do século XXI onde todes ganham”, realizado em um dos três endereços do evento no Centro Histórico da cidade, empresários baianos compartilharam experiências e impactos sociais, econômicos e ambientais dos seus negócios. 

Mediador do painel, o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, destacou a necessidade dos negócios incorporarem conceitos e práticas de cooperativismo, quando todos podem sair ganhando ao invés da centralização de oportunidades e renda para poucos. “No século XXI a gente não tem mais como pensar em qualquer coisa que não gere esses pilares de agregar valor. O que é bom pra mim tem que ser bom pra você, pra todos. Essa base pode ser mais justa. Palavras como compartilhamento, cooperação e colaboração tem que sair da retórica e acontecer de forma mais fluida nas relações das pessoas e organizações”, avaliou.

A consultoria Aganju é um exemplo de empresa que atua em prol do coletivo, enxergando o todo. A diretora da empresa, Leana Mattei, criticou como as pessoas e organizações têm conduzido a mensuração de impactos a partir de resultados de campanha e não a partir “do que a gente deixa quando vai embora”. “Sustentabilidade virou moda, ESG virou moda, negócios de impacto viraram moda, mas existem coisas mais profundas que não vemos, o que está da porta de casa pra dentro. Não basta ter um jardim bonito se a estrutura da minha casa não está legal. Com a pandemia do coronavirus veio a pandemia de todo mundo ser bacana e não é bem assim. Entre discurso e prática existe uma distância”, avalia.

A arquiteta Natália Lessa, da Arquivo, também participou do painel e apresentou a Arquivo, empresa de arquitetura especializada em reuso de materiais para construções e reformas. Já o estilista e empresário Pedro Batalha trouxe os pilares da diversidade que conduzem a Dendezeiros, grife baiana que defende a moda para todos os corpos, com propósito para além da venda de roupas. O painel teve ainda a participação de Paulo Rogério, do Vale do Dendê e convidado assíduo do Scream. Na sua fala ele ressaltou a relevância de enxergar a economia criativa como um ecossistema: “Sempre bom a gente lembrar que ecossistema é uma expressão que vem da natureza. São seres diversos, fazendo coisas diversas em locais diversos que contribuem para um propósito maior”. 

Scream Festival – Híbrido, o Scream Festival está sendo exibido também pela internet, gratuitamente, no www.screamfestival.com.br. Com o mote “Novas formas do agora”, o evento é realizado em três endereços do Centro Histórico, simultaneamente: Fera Palace Hotel, Teatro Gregório de Mattos e Espaço Cultural da Barroquinha. A realização é da Associação Baiana do Mercado Publicitário – ABMP, com a Prefeitura Municipal de Salvador através da Empresa de Turismo – Saltur, e parceria do Sebrae Bahia.