Literatura

Professor da UFBA lança livro sobre arte, gênero e sexualidade

Redação,
03/03/2021 | 18h03
(Foto: Rafael Martins/Ag. A TARDE)

A vontade de expor – arte, gênero e sexualidade. Esse é o título do novo livro do professor Leandro Colling, que será lançado no dia 10 de março, às 18h, no canal do YouTube da editora da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O livro, resultado de uma pesquisa financiada pelo programa Capes/Print e executada durante o período (2019-2020) em que o autor foi professor visitante na Universidade de Sevilha, analisa exposições que estiveram em cartaz em museus nas cidades de Madri, Barcelona, Valência e Sevilha. Todas as mostras selecionadas (de David WojnarowiczeHenrik Olesen, no Museu Reina Sofia, Feminismos, no Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona, Tiempos convulsos, no Instituto Valenciano de Arte Moderna, The Richard Channin Foudation e Nosotras, de nuevo, no Centro Andaluz de Arte Contemporânea, e Pink power, de Verónica Ruth Frías, no Instituto da Cultura e das Artes de Sevilha) reuniam obras que tratavam sobre diversidade e/ou dissidência sexual e de gênero. Além de artistas que integram essas exposições, o livro também analisa obras de José Pérez Ocaña e Abel Azcona e apresenta uma série de outras produções artísticas (teatro, cinema, dança, canto e performance) que ele consumiu paralelamente no período da pesquisa.

 “Para as pessoas em geral, eu penso que o livro pode servir como um guia para conhecer uma série de artistas. Já para as pessoas mais ligadas à academia, acredito que ofereço algumas contribuições de ordem mais conceitual. Por exemplo, problematizo a distinção entre performance e performatividade de gênero (presente em Judith Butler) e faço uma crítica às chaves de leitura da arte queer do fracasso (de Jack Halberstam), negatividade e pulsão de morte (Lee Edelman) e infelicidade (Sara Ahmed) e tento oferecer outras chaves para pensar essas produções artísticas, inspiradas de José Esteban Muñoz e nos próprios artistas da cena espanhola e também brasileira”, explica Leandro Colling.  

O autor, em diálogo com a conhecida obra de Michel Foucault, evidencia como, ao mesmo tempo em que em se amplia a “vontade de expor” obras artísticas sobre gênero e sexualidade nos museus, também se mantém a vontade de categorizar, mesmo quando artistas e pesquisadores/as se dizem influenciados/as por perspectivas teóricas que, historicamente, tiveram como proposta principal criticar as categorizações, os binarismos e dicotomias, a exemplo dos estudos queer, uma das principais influências no pensamento do pesquisador. “A “fúria categorizante” não atinge apenas curadores/as e pesquisadores/as mas também alguns artistas, como revela a análise que fiz da exposição de Henrik Olesen, que esteve em cartaz no Reina Sofia, o que me motivou a realizar uma reflexão sobre o anacronismo na história da arte”, conta Colling.

Além disso, o livro foi escrito de uma forma diferenciada. Inspirado em obras como as de Berenice Bento, Andrea Zanella e Janaina Fontes Leite, a ideia foi a de produzir um exercício cartográfico e etnográfico para que o/a leitor/a acompanhe e conheça todo o processo de construção da obra. Assim como em muitas obras da arte contemporânea foi, e em muitos casos ainda é, importante o processo, no livro A vontade de expor também é possível conhecer como a pesquisa foi realizada. Para isso, em determinados momentos, o autor relata como chegou em cada uma das cidades, como descobriu as exposições, que temas elas o motivaram a ler e pesquisar, de que modo as obras o afetaram.

Para evidenciar que “a vontade de expor” não se limita aos museus, o autor ainda apresenta, ao longo do livro, uma série de outras produções artísticas, de diversas linguagens, com os quais teve contato durante a investigação. Ao final da obra, Colling conclui que a pesquisa foi produzida por aquilo que ele nomeou por Afetos Performativos Utópicos e Dissidentes (APUD) capazes de ressignificar a pulsão de morte, o fracasso ou a infelicidade e produzir resistências.

Leandro Colling é docente do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade e colaborador do Programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo, da Universidade Federal da Bahia, e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais (PPGCHS), da Universidade Federal do Oeste da Bahia. É um dos criadores e integrante do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Culturas, Gêneros e Sexualidades (NuCuS).

O que: Lançamento do livro A vontade de expor – arte, gênero e sexualidade, com as presenças de Leandro Colling, Assumpta Sabuco, João Manuel de Oliveira e Marcelo de Trói

Quando: dia 10 de março, 18h

Onde: canal do youtube da Editora da Universidade Federal da Bahia (https://www.youtube.com/channel/UC1debL_DpIp7I_fAGfWcv7w)

Sites em que o livro será comercializado (entre outros):

https://www.queerlivros.com.br/

https://www.estantevirtual.com.br/

Preço do livro: 45,00 (desconto de 30% no dia do lançamento)