Comportamento

Social

“Não podemos tolerar o discurso de ódio e precisamos fortalecer combate à LGBTfobia”, diz Marta sobre crime contra cabeleireiro

Redação,
23/10/2020 | 23h10

Presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Democracia da Câmara de Salvador, a vereadora e candidata à reeleição, Marta Rodrigues (PT), se solidarizou com a família do cabeleireiro Rauan Pereira, que segue internado em estado grave, após ser esfaqueado e apedrejado dentro de casa, bairro Vila Ruy Barbosa, na capital baiana.

“Um horror, uma tristeza. Desejo muita força à família. Continuaremos na luta contra a LGBTfobia, essa barbaridade, que só cresce com o discurso de ódio que vivemos no Brasil reforçado, infelizmente, pelo governo Bolsonaro. Esperamos a investigação do caso e que a lei seja aplicada, pois LGBTfobia é crime”, disse Marta Rodrigues.

Segundo a vereadora, é importante que a população faça a denúncia e declare, no boletim de ocorrência (BO), a motivação do crime como LGBTfobia, para que os casos sejam notificados e a partir daí se tenham dados para estabelecer políticas públicas mais eficientes.

Autora da indicação ao governo do Estado que disponibilizou nos BOs espaço para declarar LGBTfobia como motivação do crime, Marta frisou a necessidade de gestões que respeitem a diversidade sexual e a laicidade do Estado. “A LGBTfobia é mais um crime, como o racismo, o feminicídio e a violência contra a mulher, que é motivado pelo preconceito, pela ignorância e por fanatismo religioso”, declarou.