Música

Gilsons e Jovem Dionísio se encontram em “Algum Ritmo”

Genilson Coutinho,
09/04/2021 | 14h04
Gilsons e Jovem Dionísio_Felipe Fonseca_M

Single que celebra a união de duas das bandas mais cultuadas da nova cena, chega com leveza e esperança de dias melhores

Duas das bandas mais cultuadas da cena contemporânea estão juntas no single “Algum Ritmo“. Na faixa, que chega hoje, dia 09, através da BelieveGilsons e Jovem Dionísio emanam talento, leveza e esperança para navegarmos melhores mares em um futuro mais próximo possível. A canção serve de acalanto, nos lembrando que após a angústia vem a felicidade.

A ideia para a música surgiu de um papo entre Francisco Gil e Ber Pasquali sobre algoritmos. “Falávamos como as plataformas digitais sempre associavam nossos grupos, mesmo não havendo uma real conexão estética no nosso som”, lembra Ber. “Depois desse encontro a gente acabou achando muitas coisas em comum. Inclusive, quando lançamos ‘Devagarinho’, surgiram vários comentários pedindo este feat”, acrescenta Francisco.

Juntos, os grupos pensaram em desconstruir a palavra que os uniu: algoritmo. Francisco já mandou um áudio com a ideia do refrão e a turma da Jovem Dionísio respondeu com uma versão inicial. Cada um colocou um pouco da sua sonoridade, ansiedade, vontade e assim nasceu “Algum Ritmo”, uma track daquelas com jeitão de hit.

“Acho que o que tem de mais especial nela é exatamente este ritmo em comum que encontramos na composição e principalmente na produção musical”, destaca o músico dos Gilsons. “Algum Ritmo” é um encontro bem sucedido, guiado pelo futuro e fincado na boa música. Afinal, após a primeira audição, é fato que seguiremos repetindo como mantra o trecho do single: “Então vai ter show, quando tudo passar, quando tudo passar…”.

Mais sobre as bandas

Gilsons

A releitura de “Várias queixas”, primeiro single lançado pelos Gilsons, já deu a dimensão de onde esse grupo podia chegar. Ali já existia um frescor com gosto de Bahia e uma forma leve, autêntica e especial no som. A faixa ultrapassou os 22 milhões de plays só no Spotify e deu nome ao primeiro EP da banda formada por Francisco Gil, João Gil e José Gil que já ali, começavam a escrever seus nomes na cena musical contemporânea brasileira.

Daquele EP saiu também “Love, love”, outro hit da banda que coleciona números estratosféricos nas plataformas digitais. Em meio à pandemia, o trio pareceu escolher a dedo, as faixas certas para acalantar o público. Em 2020 eles lançaram “Índia”, em parceria com Júlia Mestre, “Devagarinho” com Mariana Volker e “Besteira” com o duo Yoún.

Os lançamentos fizeram com que o grupo ultrapassasse a marca de 1 milhão de ouvintes mensais no Spotify e comprovaram que os Gilsons sabem fazer o som da MPB ganhar ares pop e contemporâneo, tudo sempre com muito capricho.

Jovem Dionísio

Formada pelos jovens curitibanos Bernardo Pasquali, Gabriel Mendes, Gustavo Karam, Rafael Duna e Bernardo Hey, a Jovem Dionísio vem, desde maio de 2019, mostrando em suas canções letras de fácil identificação e melodias que cativam com a sua proposta de despertar vulnerabilidade com leveza.

Com uma estética que mescla um pouco da bagagem musical de cada integrante e suas referências, o quinteto, que é a nova cara da MPB, flutua entre a bossa nova com uma pegada lo-fi, e traz pro Brasil fortes influências do bedroom pop. Após os singles “Amigos até Certa Instância”, “Pontos de Exclamação” e seu remix feito por Vintage Culture e Future Class, a Jovem Dionísio ganhou um bom espaço no cenário nacional. Passou em 2 meses de 20.000 ouvintes mensais para 1.200.000 no Spotify e virou artista destaque na Apple Music.

A faixa “Pontos de Exclamação” chegou, inclusive, a emplacar o grupo na lista de músicas mais virais do Brasil (2º) e do mundo (23º), no Spotify. Nos shows, a banda imprime exatamente a diversidade presente em suas faixas, na intenção de mostrar ao público a sua identidade despretensiosamente descolada.