Cinema

No Circuito

‘Divertida Mente 2’ nos faz um convite a revisitar nossas memórias e desacelerar

Redação,
16/06/2024 | 23h06
O segundo filme apresenta a Ansiedade, Tédio, a Vergonha e a Inveja além de voltar com a Alegria, Tristeza, Nojinho, Raiva e Medo (Foto: Reprodução/ Divulgação)

Na próxima quinta-feira (20), estreia nos cinemas brasileiros um dos filmes mais esperados do ano, ‘Divertida Mente 2’, a sequência da Disney/Pixar, que conquistou os corações de adultos e crianças em 2015, com arrecadação de quase 900 milhões de dólares.
Assistido nos quatro cantos do planeta, o longa divertiu e emocionou muita gente, além de conquistar uma estatueta do Oscar de 2016, na categoria de Melhor Animação.

A pequena Riley cresceu e como toda adolescente muitas coisas mudaram, começando pelo conjunto de atividades que compõem a vida de uma adolescente. No caso dela, a mente estará trabalhando em alta voltagem e a ansiedade estará a mil por hora.

Na última semana, assisti à primeira exibição da produção em Salvador e vou compartilhar um pouco das minhas impressões e alegrias, sem spoiler, para que cada um possa viver e sentir as emoções desta película, que muito provavelmente vai bater todos os recordes de bilheteria.

No auge dos 13 anos, Riley começa a enfrentar os desafios de ser uma adolescente, as dúvidas, mudanças, sentimentos, sonhos e todas as etapas comuns na vida. Mas, em meio a esse processo, ela terá que lidar com a chegada de novas emoções. As nossas já conhecidas Alegria, Tristeza, Raiva, Nojinho e Medo, recebem nesta nova fase a danada da Ansiedade, a Inveja, a Vergonha e o Tédio, sentimentos presentes e bastante intensos no início da adolescência, causando o maior furação na vida da Riley.

(Foto: Reprodução/ Divulgação)

E nessa nova fase, as novas amizades e as velhas amizades entram em um xeque-mate principalmente quando os novos amigos chegam e o desejo de todo adolescente é se sentir parte de um grupo no qual ele não faz parte.
O filme nos traz alguns olhares sobres esse valores inegociáveis, embalados por um turbilhão de sentidos que fará o público reflita sobre ser preciso puxar o freio da ansiedade e perder os medos de recomeçar.

Sem dúvidas, o público irá se envolver desde o início do filme pois irá se ver em muitos momentos, à medida em que as situações vão brotando na tela, com um colorido que garante harmonia, sintonia e identificação. E essa identificação ficará ainda mais presente com a chegada da lindeza de laranja e seus cabelos arrepiados, a Ansiedade, que vai causar a maior confusão, dando uma outra dinâmica ao filme, e tirando do eixo a rotina da garota, nos mostrando o quanto a ansiedade nos coloca em situações extremas, e o quanto precisamos da sinergia com os outros sentimentos para evitar um caos.

A película chega atualizadíssima, com piadas divertidas e cotidianas, coisas que estão no dia a dia, principalmente com o advento das redes sociais, onde bordões e novas linguagens passaram a fazer parte das nossas vidas, o que fará a galera rir, ao se identificar com as mais diversas situações para “equilibrar” os sentimentos.

Divulgação/Disney-Pixar

E durante as quase duas horas de filme, em um dos momentos mais tensos, a dublagem da atriz e apresentadora Tatá Werneck, do personagem Ansiedade, nos transporta para dentro da tela, em meio aquela loucura, nos levando a enxergar dentro de situações cotidianas, embaladas pela ansiedade e o imediatismo da vida moderna, que diante da loucura e teimosia teremos vontade de adentrar à tela para resolver o B.O, e trazer a paz no cotidiano da jovem.

Já está comendo as unhas, né? Mas essa ansiedade também tenho visto e acompanhado, principalmente com o público adulto que está louco para assistir à animação, se no olhar das crianças tem um mundo imaginário de ideias e concepções, para nós adultos, as leituras e visitas em nossas memórias afetivas tem um papel importantíssimo, que nos conecta com a leveza de ser criança, permitindo que essas duas horas nos faça enxergar esse turbilhão de sentimentos de uma forma mais leve e colorida, com a certeza que despertará novos olhares sobre nossas vivências, e principalmente um estalo para escutarmos os nossos sentimentos.

O filme não é uma sessão de terapia, mas nos mostra que a vida pode ser bem mais leve e colorida, e que há momentos que é preciso puxar o freio de mão para viver.

Divertida Mente 2 chega aos cinemas com um novo diretor, Kelsey Mann. Esse será seu primeiro trabalho dele dentro de um longa de animação. No Brasil, a dublagem fica por conta de : Tatá Werneck (Ansiedade), Eli Ferreira (Tédio), Gaby Milani (Inveja), Fernando Mendonça (Vergonha), Mia Melo (Alegria), Otaviano Costa (Medo), Dani Calabresa (Nojinho), Leo Jaime (Raiva) e Katiuscia Conoro (Tristeza).

Genilson Coutinho
Apaixonado por cinema e embaixador do UCI Orient Shopping da Bahia