Música

No Circuito

“Bate Cabelo Pela Paz”: Arte como resistência é tema de novo single de Oxa

Genilson Coutinho,
22/05/2022 | 09h05
Foto: Divulgação

A cantora queer OXA compartilha a música “Bate Cabelo Pela Paz” nesta sexta-feira (20). O áudio será liberado no primeiro minuto do dia e o videoclipe, às 12h. O título da canção já é reflexo de um dos temas da faixa: o bate-cabelo, movimento que surgiu no Brasil e é referência da cultura drag em todo o mundo. Ícones desse estilo de performance, Marcia Pantera, Danny Cowltt, Natasha Princess e Stripperella fazem participações especiais no audiovisual. A produção incorpora elementos de funk, house music e eletrônico experimental, numa mistura pop assinada por HITMAKER, colaboradores de Anitta e Luísa Sonza.


“Bate o cabelo, bate, bate pela paz / Bate o cabelo, bate, mostra como faz”, canta o refrão. “A letra tem um peso muito grande e quero que o Brasil conheça ainda mais essa cultura e que ela nunca morra”, afirma OXA. O conceito do projeto mostra o fazer artístico como forma de resistir e combater as injustiças. “Quero deixar claro que todos nós, enquanto artistas brasileiros, temos o dever de nos posicionar e combater toda forma que expresse o ódio ou intolerância pela arte”, completa. Outros lançamentos da cantora também trazem pautas de resistência e sobre isso ela explica: “Nem todas as minhas músicas vou falar do mesmo assunto, mas acredito que a minha imagem e arte são uma forma de representatividade para a nova geração”.


O bate-cabelo, homenageado na faixa, começou no Brasil, na década de 80, com Marcia Pantera, que inventou o estilo com inspiração nos roqueiros, que rodam seus cabelos longos no ritmo das guitarras. O ato virou um símbolo da causa LGBTQIAP+ e é repetido por drag queens de todo o mundo. A performance é considerada o momento mais esperado das apresentações dessas artistas, que rodam a cabeça em todas as direções de forma frenética e os cabelos ficam suspensos no ar de um lado para o outro. Exaltar esse marco tão relevante para a comunidade é estimular o conhecimento e o respeito. “Eu, quando era mais nova, não tive a oportunidade de conhecer ou vivenciar tudo o que estamos conhecendo e aprendendo nesta nova geração”, discorre OXA.


“Esse videoclipe é sobre uma cultura brasileira, alguns clipes americanos tem um pouco de bate-cabelo, mas não tanto quanto no Brasil”, aponta Marcia Pantera. “A importância é nossa arte ganhar o mundo”, completa. “O bate-cabelo moveu e move a história no cenário cultural LGBT, logo isso é muito importante. Levar essa arte para mais e mais pessoas é definitivamente o meu intuito como artista periférica”, comenta Natasha Princess. Striperella, por sua vez, conta: “É uma resistência da arte que vem de anos pra mim, uma cultura nossa que aos poucos o mundo está conhecendo. É força, atitude e muita brasilidade”.


“A música vem com um beat totalmente dançante, escrevi a canção em poucas horas depois de uma brincadeira com amigos em casa”, revela a cantora sobre o processo criativo. “Procuramos uma musicalidade dançante, com uma energia pop fantástica. Daí surge a ideia de criar um “riff” de voz marcante (ba-te, ba-te, ba-te te bate cabelo be-lo) que regesse a canção inteira juntamente com um Synth Bass marcante”, esclarecem os produtores HITMAKER. O som surpreende o ouvinte ao se transformar no final. “Foi um pedido da artista e que topamos na hora. O beat muda pra um outro mood e deixa o single mais imerso ainda. Impossível não bater cabelo com esse especial”, comemoram. Entre as referências, citam: “Whip My Hair”, do Julliëx; “WTP”, de Teyana Taylor em remix de Zookëper; “In da Guetto”, por J Balvin e Skrillex; e Black Eyed Peas.


O clipe conta com uma coreografia que promete ser chiclete, desenvolvida pela própria cantora e por Rafael Portela: “Fizemos tudo bem simples pra todes possam fazer a dança”, ela entrega. Para tanto, fundamental serão, claro, as madeixas: “Queria retratar cada cultura de cabelo, mas no final escolhemos um número suficiente para deixar o clipe bem colorido e rico na diversidade”, adianta. “O fashion é baseado nas artistas que me inspiraram a fazer a música: Marcia Pantera, Danny Cowltt, Natasha Princess, Stripperella e muitas outras do movimento”, celebra.


OXA é uma cantora e dançarina brasileira que há anos reside na Europa. Sente-se confortável com os pronomes ele/ela/deles/delas e se considera integrante da comunidade queer, possuindo um gênero fluido. Viralizou mundialmente após performar “Born This Way”, de Lady Gaga, no The Voice da Alemanha, no qual chegou até as semifinais. Em seu currículo, possui famosos musicais e já dançou no palco com Jennifer Lopez por quatro meses em sua residência em Las Vegas. Além disso, teve uma música no EUROVISION, uma das maiores competições de música no planeta.

FICHA TÉCNICA – MÚSICA:

Duração: 2:22

Produção musicalHITMAKER

Compositores: OXA

Voz: OXA


FICHA TÉCNICA VIDEOCLIPE:

Direção e Filmagem: Adrian Taubenheim

1º Ass. de Direção: OXA

Produção: Kostantin e Benet Monteiro

Maquiagem: Lukas Delish

Edição: Lummi Art

Fotografia: Konstantin

Figurinos: Lucas Furtado

Cabelo: Lucas Furtado

Coreografia: Rafael Portela e OXA

Videomaker: Luiz Philip Guimarães

Dançarinos: Álef Gabriel R., Alessandra Barroso, Iago Azevedo, Gabriel Silva, Karina de Oliveira, Luiz Gonzaga, Lucas Emanuel Freitas, Maria Clara Benevides, Maria Eduarda Cabral, Natalia Lima e Rodrigo Roxo.

Participação especial: Danny Cowltt, Marcia Pantera, Natasha Princess e stripperella.