Notícias

A epidemia silenciosa do suicídio das pessoas trans

Redação,
01/09/2020 | 18h09

De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), no primeiro semestre 2019, encontramos 12 registros de suicídios. Já no mesmo período de 2020, tivemos 16 suicídios mapeados – representando um aumento de 34% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo 6 homens trans/transmasculines e 10 travestis/mulheres trans.

Enquanto em 2019 inteiro, conseguimos encontrar 17 casos em todo o ano, sendo 6 homens trans/transmasculines e 11 travestis/mulheres trans, que representam 65% dos casos de suicídio em 2019.

Suicídio é muito difícil de mapear, até porque não são publicados. Então, estes são alguns dados que conseguimos alcançar.

O tema é tabu, mas revela a necessidade de discutir e promover políticas públicas afirmativas voltadas para a população. Além de abordar a questão de saúde mental para a população trans.

As pessoas LGBTs comumente são excluídas de vários grupos sociais, seja pelos próprios pais, famílias e ou pela sociedade, tendo constantemente sua orientação e/ou identidade questionadas. O bullying transfobico começa desde muito cedo e está relacionado a uma reação à quebra dos padrões sociais de gênero. A discriminação, notavelmente, gera uma série de efeitos negativos sobre a saúde mental do indivíduo e contribui mais tarde para o seu adoecimento.

Essa é uma questão muito cara e sensível para a população LGBTI em geral, em especial para a pessoas Trans e deve ser vista inicialmente pelo viés de saúde pública que, paralelo as questões de transfobia, devem ser prevenidos de forma continua eficaz.

Além de observarmos que há vários outros fatores podem levar ao suicídio de pessoas Trans como, por exemplo, o contexto social, econômico, disfunções químicas, e as próprias questões de saúde mental.

Onde apenas com um diálogo qualificado e aprofundado, com estudos e levantamentos feitos com pessoas da área da saúde mental diretamente envolvidas nas questões de saúde mental, poderemos pensar em estratégias para minimizar os índices que são alarmantes em nossa população.

Precisamos falar mais sobre o suicídio. No silêncio ele cresce. #ANTRA #setembroamarelo

**Dados disponíveis nos boletins e dossiês sobre violência contra pessoas trans da ANTRA. www.antrabrasil.org/assassinatos