Sala Vip: “Whitney é um ícone eterno da música”, diz Vanessa Jackson

Sala VIP
8 de novembro de 2016
por Genilson Coutinho

Vanessa Jackson entrou para a história em 2002 ao vencer o FAMA, quando os realities shows de música ainda nem eram tão populares no Brasil. A paulista dona de uma voz poderosa e com forte presença no palco, concorreu na final com os baianos Nalanda e Adelmo, de quem ainda é muito amiga mesmo após passados quase quinze anos, e o potigurar João Batista. Como prêmio, teve o direito de gravar um CD nos Estados Unidos. De lá para cá, Vanessa gravou alguns álbuns, mas de destacou mesmo foi em musicais, como o que ela apresenta em Salvador nesta sexta-feira, dia 11, às 21h, no Teatro Castro Alves. Batemos um papo com essa cantora que tem uma voz espetacular para falar do tributo à Diva Whitney Houston. Quem viu, afirma que o espetáculo é encantador. Os ingressos custam a partir de R$25 e estão à venda  no site Ingresso Rápido e nas bilheterias do TCA e do SAC dos shopping Barra e Bela Vista.

Confira a entrevista:

Dois Terços: Uma Saudação à Whitney Houston. Como é cantar as músicas imortalizadas por um mito?

Vanessa Jackson: Uma honra pra mim… Um dos trabalhos mais importantes da minha vida. Estou encantada. Sei que a responsabilidade é grande e tento atender às expectativas do público. Whitney foi conhecida como “A voz” de todos os tempos. Na primeira nota, todo mundo sabe de quem é a voz. Inesquecível! Sempre fui fã.

DT: Vanessa, você já se apresentou alguma vez em Salvador?

VJ: Já sim… Uma única vez em 2004, com meu amigo Adelmo Casé, esse talentoso que vocês tem a honra de ter por perto. Um querido que eu já convidei para ir ao Teatro Castro Alves para nos revermos.

DT: O que o público baiano pode esperar desse musical?

VJ: Muitas emoções, alegria e sofisticação. Whitney é um ícone eterno da música.

DT: Soubemos que você troca de roupa várias vezes durante o espetáculo e que é cada figurino mais luxuoso que o ouro. Como é a correria destas trocas nos bastidores?

VJ: É  uma loucura. Os figurinos são luxuosos e com muitos detalhes. Além disso, tem os acessórios que a diva Whitney sempre usava nos shows e clipes. Buscamos nos manter fiel ao estilo dela. Por sorte, tenho a ajuda do Julio César e Danielson… Eles são maravilhosos e nunca falham.

DT: As perucas foram cedidas pelo ex-BBB Dicésar, que também é o criador da personagem Dimmy Kieer?

VJ: Não. O maravilhoso Dicésar me apóia com a linha dele de maquiagem, a Adogo e com a Koloss makeup. Foi ele que me apresentou ao Rodrigo e Haroldo da Estoril Perucas que patrocinaram com as cabeleiras. Só posso adiantar que é cada uma mais incrível que outra. É o gran finale que me deixa, na minha humildade, um pouco mais parecida fisicamente com ela. As perucas são marcas da Whitney que já foi loura, cacheada, Chanel, alisada… Ela era camaleônica. E eu sou igual.

DT: Em SP e RJ as apresentações foram esgotadas. E você vai repetir os shows por lá semana que vem. Convide seu público baiano e os fãs da Whitney para o show nesta sexta-feira no TCA:

VJ: Eu ficarei extremamente honrada e feliz se o público baiano for me prestigiar nessa homenagem que fazemos à Whitney Houston. Cantamos os maiores hits dela. São tantos e o público canta junto sempre todas as músicas. Ao final as pessoas se emocionam. Eu consigo ver os olhos cheinhos d´água da plateia. A gente vive juntos momentos de muita musica e alegria, marca da Whitney.  Eu não vejo a hora de estar aí com vocês. Beijos e muito obrigada.