“Vou trabalhar para inclusão da população LGBT em todos os setores”, diz fisioterapeuta candidata a vereadora

Notícias
5 de setembro de 2016
por Genilson Coutinho

Rafaela Garcez nasceu em Salvador, em 28 de janeiro de 1983. Fisioterapeuta formada, atualmente faz faculdade de Engenharia Civil. Atuou por 10 anos no jornal Tribuna da Bahia, foi sócia-proprietária do Studio On Pilates e nos últimos dois anos trabalhou no Detran. Em seu histórico, nenhuma adesão à militância do Movimento LGBT. Porém, o seu perfil carismático e instinto de liderança chamou atenção do Partido Trabalhista Nacional (PTN), ao qual se filiou em 2015 para presidir o núcleo LGBT/PTN-BA. Em 2016, Aidil é candidata a vereadora de Salvador. E o Dois Terços procurou ela para um bate-papo. Confira na entrevista abaixo.

DT: Como nasceu o desejo de se candidatar?

Rafaela Garcez: O Deputado João Carlos Bacelar me convidou para presidir o recém-criado núcleo LGBT do PTN. A partir disso, nasceu o desejo de ser uma representante do movimento na Câmara Municipal.

DT: Qual a importância de um representante LGBT no legislativo municipal?

Rafaela Garcez : O movimento LGBT precisa de legitimidade no poder público e só conseguiremos defender os direitos da nossa causa de forma efetiva se tivermos representantes em todas as esferas. Precisamos concretizar a nossa luta de fato, definindo por lei os nossos direitos.

DT: Você traz uma experiência recente, mas intensa na militância LGBT baiana. O que você pensa em trazer dessa vivência para a câmara? Você acredita que será eleita apenas com os votos dos LGBT’s?

Rafaela Garcez : Penso em levar as dificuldades enfrentadas por todos nós no dia a dia, o preconceito, a violência, a homofobia, e a partir disso buscar transformações. Esses exemplos dos problemas que nós da comunidade LGBT enfrentamos serão a base para esclarecer a população e atentar para o fato de que precisamos da garantia de igualdade dos direitos definidos por lei. Não acredito que serei eleita apenas pelos representantes da comunidade LGBT, embora minha bandeira seja essa. Até porque meu desejo é fazer um trabalho de conscientização, esclarecimento e respeito voltado para toda a sociedade.

DT: Quais são suas prioridades se for eleita vereadora em Salvador?

Rafaela Garcez : Trabalhar cada vez mais pela inclusão LGBT em todos os setores, garantir os direitos de igualdade e oportunidade para todos, sem distinção. Tudo isso baseado no respeito e na paz. Queremos mostrar que a comunidade LGBT não luta contra a população hétero, pelo contrário, queremos viver em harmonia, para que cada um tenha o direito de ser quem é, sem que isso seja motivo de conflito.

DT: Cite alguns projetos que você deseja levar à Câmara. Como um vereador gay poderia ajudar na luta contra o preconceito?

Rafaela Garcez : Penso em projetos voltados para diferentes setores. A questão da inclusão, que assegure o direito dos LGBT´s, a educação e as oportunidades de trabalho são essenciais. Pretendo também levar à pauta da Câmara projetos que visem dar esclarecimento à população e aos profissionais de algumas áreas como a saúde. A ideia é orientar esses profissionais no atendimento ao público LGBT, principalmente transexuais e travestis, para evitar o constrangimento e manifestações discriminatórias. Outro setor carente de oportunidade na luta LGBT é o cultural. Existe também muito preconceito e segregação quando se trata da realização de diversos tipos de eventos LGBT, e isso precisa acabar. Também acho importante dar mais visibilidade aos projetos sociais movidos pela causa LGBT. Acredito piamente que um vereador gay ou uma vereadora lésbica podem sim ajudar na luta contra o preconceito, trabalhando de forma séria e efetiva na batalha para garantir os direitos do público LGBT e esclarecendo a população em geral, o quanto é importante vivermos em harmonia e de forma igualitária em relação à questão de gênero.

DT: Adoção, casamento homoafetivo e criminalização da homofobia estão na ordem do dia da comunidade LGBT. E no seu projeto?

Rafaela Garcez : Com certeza serão pontos relevantes que abordarei de forma cuidadosa. A adoção e o casamento homoafetivo são muito importantes a meu ver, tanto que a principal bandeira do núcleo LGBT do PTN é o #SomosTodosFamília, uma campanha criada pelo deputado Bacelar, gentilmente cedida para que nós (do núcleo) utilizássemos como tema. Estamos inclusive em contato com representantes da Abrafh (Associação Brasileira de Famílias Homoafetivas), pedindo orientação para traçarmos as melhores estratégias na luta pela garantia dos direitos familiares LGBT. Pretendo também continuar levando ao debate a questão da criminalização da homofobia, nossa principal bandeira nacional, que ainda não conseguimos oficializar como lei. Acho importante levarmos essa discussão à Câmara Municipal de forma mais contundente e criarmos inclusive projetos alternativos locais para combater a violência contra os LGBT´s, infelizmente ainda tão constante em nossa sociedade.