Visibilidade: Dia Nacional da Visibilidade Trans terá atividades gratuitas em Salvador; confira a programação

Notícias
12 de janeiro de 2016
por Genilson Coutinho

Documentário Atrás dos Olhos (Foto: Genilson Coutinho)

Em mais um ano de debates e atividades que propiciam a visibilidade ao universo transgênero, o evento Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências chega à sua terceira edição, firmando-se no calendário LGBT baiano e nacional. Este ano, com o tema Universo Trans e o Mercado de Trabalho, o evento acontece de 29 a 31 de janeiro, para celebrar o Dia Nacional da Visibilidade Travesti e Trans – comemorado em 29 de janeiro –, e traz à pauta a inclusão social e o acesso a oportunidades para esta comunidade.

A terceira edição do evento, realizado pela Obá Cacauê Produções, por meio do edital Arte Todo Dia – Ano II, da Fundação Gregório de Matos – Prefeitura Municipal de Salvador,  apresenta, em três dias, mesas-redondas, performances, espetáculos teatrais e mostra de filmes, para abordar, por meio da arte, a temática trans. A programação muda de lugar em 2016, e ocorre no Teatro Gregório de Mattos, no Centro Histórico de Salvador, das 18h às 22h. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

Para a idealizadora do evento, a cineasta Ceci Alves, jornalista e sócia-diretora da Oba Cacauê Produções, o Da Alegria – Ano III entra definitivamente no calendário nacional. “Propomos nesse encontro, temático e anual, a reflexão e o entretenimento para celebrar o dia da Visibilidade Travesti e Trans. Nossa intenção é trazer para a Bahia o que de mais novo está sendo feito no Brasil no âmbito das questões direcionadas axs travestis e transgênerxs, pessoas estigmatizadxs e invisíveis na sociedade e até no próprio escopo do debate pelos direitos na diversidade”, destaca.

Ceci Alves (Foto: Arquivo Pessoal)

De acordo com Ceci Alves, o tema reforça a urgência de trazer à luz as questões trans e transfóbicas. “A invisibilidade e a violência que permeia o universo trans sempre me incomodou. Essa invisibilidade amplifica a violência, principalmente por não sabermos, muitas vezes, o que acontece com esta comunidade. Criar estereótipos, a partir do desconhecimento e do preconceito, também é uma forma de estimular a violência”, destacou.

O evento – O evento Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências pode ser considerado uma continuidade afirmativa do curta-metragem Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas, premiado filme da cineasta Ceci Alves. O filme recria a história de um crime homofóbico que chocou Salvador no ano de 1998. “Questões como violência e invisibilidade, tão comuns no universo trans, são temas que não podem ser esgotados nem esquecidos. Devemos, sim, discutir estes temas para estimular a cultura da não-violência e contra a discriminação de qualquer tipo”.

Assim, além de ser uma atividade multidisciplinar com vocação à expressão artística, o evento há três anos – dois deles ocorridos no Cine-teatro Solar Boa Vista – serve como um fórum para e amplificação e discussão do universo trans, suas nuances e peculiaridades. Sempre com recorte temático, o Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências visa trazer para a ordem do dia as questões de inclusão social e acesso e oportunidades para esta comunidade, que a cada dia avança mais em ações de visibilidade e permanência social.

Programação – Na abertura do evento, haverá a apresentação do documentário Atrás dos Olhos, dirigido por Fábio Fernandes, pesquisador do Grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade (CuS), e André Araujo, que integra a equipe do coletivo de audiovisual do Cult (Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura).  Em seguida, uma mesa de debates trará o tema Empoderamento e Mercado de Trabalho Trans, que abordará as dificuldades enfrentadas e os novos caminhos trilhados por travestis e transgênerxs na busca por colocação no mercado de trabalho. Estarão presentes Paulett Furação, da Secretaria da Justiça e Direitos Humanos e Desenvolvimento Social ; Viviane Vegueiro, mestranda em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia (UFBA); e o consultor do Sebrae, Fernando Amaral. Para finalizar o dia a contudente performance À Flor da Pele, com o artista Fernando Lopes.

Paulett Furação fará parte da mesa de debates (Foto: Genilson Coutinho)

No dia 30, logo após a exibição do curta-metragem Transophia, dirigido por Ivan Ribeiro, o tema Travesti: entre a arte e a rua norteará o debate, que conta com a participação da ativista do coletivo Cena Queer Adriana Prates; de Djalma Thürler, secretário de Cultura do município de Madre de Deus e que também coordena o CuS – grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade e o GENI – Gênero, Narrativas e Políticas Masculinas, ambos ligados ao CULT – Centro de Pesquisa Multidisciplinar em Cultura, da UFBA; além de Millena Passos, presidenta da Associação de Travestis e Transexuais de Salvador (Atras) e representante da Secretaria de Política para as Mulheres do Estado. Depois da mesa, apresentação especial do Cabaré Drag King.

Para fechar a programação, no domingo (31), haverá o lançamento do livro “O Nascimento de Joicy”, da jornalista pernambucana Fabiana Moraes; a estreia em Salvador da peça Uma Flor de Dama, com o ator cearense Silvero Pereira; e o debate Ser Transgênero – Uma Ontologia, com as presenças de Silvero Pereira e Fabiana Moraes.

Trans e Mercado de Trabalho – Estão previstas ações voltadas à qualificação, formação de mão-de-obra, acesso e inclusão no mercado de trabalho para a comunidade trans de Salvador. As ações serão organizadas em conjunto com o Núcleo LGBT, da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), Núcleo de Políticas Públicas de Cidadania e Direitos LGBT, da Secretaria Municipal da Reparação (Semur), e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Histórico – O Dia da Visibilidade Trans surgiu em 29 de janeiro de 2004, durante o lançamento da Campanha Nacional “Travesti e Respeito”, do Ministério da Saúde. Nesse dia, representantes da Articulação Nacional das Travestis, Trasexuais e Transgêneros do Brasil (Antra) entraram no Congresso Nacional, em Brasília, para tornar a campanha conhecida nacionalmente. As 52 organizações afiliadas à Antra, em todo o país, foram convidadas a sair às ruas e reivindicar seus direitos.

Serviço
O Que: Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências – Ano III
Quando: de 29 a 31 de janeiro, das 18h às 21h
Onde: Teatro Gregório de Mattos (Praça Castro Alves, s/n – Centro, Salvador/Bahia)
Entrada gratuita

Confira a programação

Dia 29 de janeiro (sexta-feira, das 18h às 21h)
Abertura do evento Da Alegria, Do Mar e de Outras Consciências – Ano III
Documentário: Atrás dos Olhos, dirigido por André Araujo e Fábio Fernandes;
Debate: Empoderamento e Mercado de Trabalho Trans;
Performance: À Flor da Pele, com o performer Fernando Lopes.

Dia 30 de janeiro (sábado, das 18h às 21h)
Curta-metragem: Transophia, dirigido por Ivan Ribeiro;
Debate: Travesti entre a arte e a rua;
Performance: Cabaré Drag King Pocket.

Dia 31 de janeiro (domingo, das 18h às 21h)
Lançamento e noite de autógrafos do livro: “O Nascimento de Joicy”, dea jornalista Fabiana Moraes;
Teatro: Uma Flor de Dama, com o ator cearense Silvero Pereira;
Debate: Ser Transgênero – Uma Ontologia – A representação (e representatividade) do transgênero pela arte.