VII Mostra Possíveis Sexualidade começa nesta terça-feira (23), na Caixa Cultural Salvador de Salvador

Cinema, Comportamento, Social
23 de setembro de 2014
por Genilson Coutinho

mosatra

O  maior panorama da diversidade sexual do Norte-Nordeste, a Mostra Possíveis Sexualidades chega a sua sétima edição de 23 a 28 de setembro, com atividades na Caixa Cultural e Instituto Goethe-Vitória. Idealizado e produzido pela Multi Planejamento Cultural, com o patrocínio da Caixa Cultural, o evento aponta para direção de ser um ponto de convergência da cultura LGBT, reunindo produções artísticas no cinema nacional e internacional, espetáculos teatrais, musicais, oficinas e mesas de discussão. A inserção de novas linguagens artísticas, ampliando o caráter da mostra para além do audiovisual é uma inclinação da Possíveis Sexualidades em 2014. Para Juli Jambo, produtora cultural e administradora da Multi Planejamento Cultural, “nos últimos anos o público da mostra questionava porque outras expressões artísticas não estavam presentes na programação. Aos poucos foi ficando patente a necessidade de ampliar, não limitando o evento à exibição de filmes e curtas, mas sendo um verdadeiro panorama da cultura LGBT”. Assim, a programação de obras audiovisuais foi reduzida para tornar possível o incremento de outras linguagens, colocando a mostra na direção de tornar-se um festival de cultura LGBT. De acordo com o curador da Mostra, Rodrigo Barreto, “nesta VII edição, a Mostra Possíveis Sexualidades está privilegiando o cinema nacional, exibindo cerca de 10 produções sobre a temática LGBT, produzidas integralmente no Brasil”. Entre os destaques no cinema, os filmes brasileiros Amor Proibido, de Maciel Brum, que contará com a presença do protagonista Thierry Figueira, na exibição no dia 25 de setembro, às 20h e Tudo que Deus Criou para Mim, com Letícia Spiller, que também virá lançar a obra localmente, no dia 27 de setembro, às 20h. Entre as obras internacionais, o documentário Kidnnapped for Christ, (EUA) e a comédia francesa Gerentophilia. Na programação, a produção baiana “Pinta”, comemorativa de 15 anos do Dimenti, grupo de dança e teatro de Salvador, no dia 24 de setembro. As artes da cena cada vez mais ganham espaço na mostra, com dois trabalhos dirigidos por Djalme Thurler: o musical O Mundo me Navega, que reúne as transformistas Mitta Lux, Rainha Loulou, Valerie O’Harah e o ator Duda Woyda e o monólogo Solo Almodóvar, com Simone Brault. Espetáculo de abertura da Mostra, no dia 23 de setembro, às 20h, Caixa Cultural, o musical é um desdobramento do Curso que Djama Thürler ministrou na UFBA, em 2014, chamado “Arte e Sociedade: travestis, transformistas e drag queens”. No espetáculo, as artistas da noite visitam o universo da cantora Maria Bethânia dividido em três eixos. No primeiro cantam as músicas de caráter político, da época em que atuava no Teatro “Opinião”, ao lado de Zé Ketti e João do Valle. No segundo, cantam e falam textos do universo “Esotérico”, de Bethânia e finalizam com o Bloco “Francisco”, dedicado ao universo do cantor e compositor Chico Buarque de Holanda. Outra montagem dirigida por Thurler integra a programação, o monólogo Solo Almodóvar, com a atriz Simone Brault. Mesas Temáticas – As mesas temáticas irão discutir temas pulsantes, que envolvem toda sociedade em debate. No dia 26, às 15h, a mesa Casamento Igualitário refletirá sobre a união homoafetivo, reformas políticas e conquistas da comunidade LGBT. Para compartilhar a experiência exitosa da aprovação da lei do casamento igualitário na Argentina, foi convidado o jornalista e articulador político, que milita ao lado do Dep. Federal Jean Willis pela aprovação da versão brasileira da legislação, além do antropólogo João Junior, também militante do casamento homo afetivo no Brasil. No dia 27, às 15h, o público interessado poderá refletir sobre o tema Transgênero – O reflexo da identidade- O que mudou da década de 70 aos dias atuais, que abordará as políticas públicas para os transgêneros, papel do SUS e do CRT, além de perfazer um passeio histórico da evolução deste processo da década de 70 aos dias atuais. Para pautar a discussão, a Mostra traz João Nery, primeiro transexual masculino do Brasil, autor do livro “Uma Viagem Solitária”, onde sua trajetória é revelada, além de Ângela Perez, psicóloga do Centro de Referência e Treinamento em DST (SP). Serviço Mostra Possíveis Sexualidades 23 a 28 de setembro Espaços: Caixa Cultural, ICBA, Sala de Arte da UFBA e Commons   Entrada franca