União das Paradas LGBTQ+ dos bairros de Salvador divulga nota de repúdio a Léo Kret, entenda

Comportamento, Social
27 de agosto de 2018
por Genilson Coutinho

A União das Paradas LGBTQI dos bairros de Salvador divulgou, no domingo (26), uma nota de repúdio contra a ex. vereadora Léo Kret.
Léo Kret  botou um trio na Parada de Pernambués, e foi alertada por Tuka Perez, organizadora do evento, que ela não deveria estar ali, pois ela não representa a comunidade LGBTQI.
“”É isso que ela sabe fazer… Bater cabelo em cima do trio. Eu quero ver lutar pela comunidade LGBT.  Quero ver descer e lutar como uma militante” disse Tuka ao microfone. (assista o video abaixo do momento do protesto de Tuka Perez).

Após a fala da militante, Léo Kret retirou-se com o seu trio, que, além de não ter sido convidado pela organizadora para o evento, estava sem documentação nem autorização para participar da atividade naquele bairro.
Após a publicação do fato pelo Bocao News, Léo Kret respondeu à reportagem dizendo que era inveja, pois o trio dela estava cheio e o povo adorando a sua participação:

“Eu coloquei minha música da época do Saiddy Bamba (banda da qual fez parte por sete anos), fazendo show, dançando e o povo parou para assistir meu show, aplaudindo, gritando e adorando minha presença, mas o trio da frente deu a ré”, disparou a ex-vereadora.

Leo Kret contou ao Bocão News  que o trio envolvido, “voltou de ré para procurar intriga”. “Uma pessoa que luta pela causa, uma pessoa que é LGBT, uma pessoa que sempre lutou contra o preconceito e que foi uma das primeiras a aparecer na mídia dando a cara a tapa para os preconceituosos, para poder todas elas hoje estarem aí… olhe as imagens, analise direitinho”, finalizou a dançarina.

Confira a nota:

A União das Paradas LGBT da Cidade do Salvador reuniu todos os seus membros e saiu em defesa da militante Tuka Perez, que há 7 anos, realiza a Parada LGBT de Pernambués. Em um ato histórico e de protesto, o Movimento de Paradas de Salvador fez um cordão humano, formado por vários ativistas, incluindo transformistas, drags, gays, lésbicas e trans presentes. E, juntos com a população, barraram a passagem do trio de Léo kret, que se apropriou do evento sem autorização da organização. Depois do protesto, a militância conseguiu, junto ao Comando Geral da PM, a interdição do trio da candidata, que estava sem a devida autorização da organização do evento e nem o alvará para seguir.