Uma sociedade mais justa: advogado comenta polêmicas preconceituosas sobre o Enem

Notícias
25 de outubro de 2015
por Redação

IMG_20151025_181642

Enézio de Deus

“A meu ver, o ENEM/2015 revelou-se diretamente comprometido com uma sociedade mais livre, justa, solidária (e, portanto, livre de preconceitos). É por isto que ainda vale a nossa luta e esta se renova! Parlamentares como os deputados Marco Feliciano e Bolsonaro teriam que ler as obras do chamado feminismo clássico, antes de alardes tão rasos e desnecessários (embora, possivelmente, pudessem fingir não entender). É certo que, na minha época de Nível/Ensino Médio (1996, 1997 e 1998), não ouvi falar, com maior profundidade, sobre teoria feminista ou tais autoras fantásticas,  a exemplo de Scott. Mas, na medida em que estes conteúdos, há anos, já são (isto é fantástico) trabalhados em sala, por que não serem abordados no ENEM? Tais conetúdos NADA têm a ver com a mal propalada/deturpada (adrede, óbvio) ideologia de gênero. Eu também sou contrário a alguns sentidos e claras intenções que visualizo em partes de todos os movimentos sociais (SEM EXCEÇÃO), a exemplo do LGBTTTI; mas tal não macula nem diminui ou desmerece as lutas. Fundamento com a própria ciência, sempre que preciso lidar com alguns ou algumas militantes equivocados/as ou interessados/as, igualmente, em “flashes”, “câmeras”, usando temáticas que assim não o poderiam ser (utilizadas rasteiramente, personalisticamente, pois muito sérias – a exemplo do que hoje vejo com o tema dos assassinatos de homossexuais). Estou atento a tudo, tudo… Caros Deputados, MENOS, menos por favor! DETESTO a falta de sensatez e o uso de bandeiras para auto-promoção, quaisquer que sejam! Se assim eu perceber, posiciono-me, falo ou grito, a depender da ocasião (quem me conhece sabe). Há exageros em todos os lados e setores da sociedade, sim. Mas eu, enquanto pesquisador que já leu e que lê tais autoras fantásticas (Scott, Beauvoir, Rose Marie Muraro – dessa última, brasileira, pouco lida infelizmente, eu sou fã confesso; mais recentemente, Safiotti, Buttler, Guacira Lopres Louro, etc), aconselho, a quem quer que seja, antes de compartilhar ou de se manifestar, como o estão fazendo “fundamentalistas de plantão” (querendo, pela “causa moralizadora”, holofotes), ler ou pesquisar, antes, sobre, por exemplo, O CONTEXTO histórico/político/social DESTA AFIRMAÇÃO – contida em uma questão da prova – NECESSÁRIA À ÉPOCA/VANGUARDISTA/ATÉ HOJE PAUPERRIMAMENTE DISTORCIDA da imortal Simone de Beauvoir! Fiz tal manifesto em desinteressada defesa do ENEM/2015, também em redes sociais, após ter lido a nota abaixo do A Tarde e, aqui, agradeço ao site DOIS TERÇOS por mais uma oportunidade de reflexões/esclarecimentos em prol de um mundo mais respeitoso e menos discriminatório:

Enézio de Deus (Mestre, Doutorando em Família pela UCSAL; Advogado; autor de livros na seara LGBTTT) .