q

Sem categoria
3 de abril de 2014
por Genilson Coutinho

Z

Uma pesquisa aponta que o turismo LGBT no Rio foi responsável por 30,75% da receita para a cidade durante cinco dias do carnaval de 2014. O impacto econômico total direto para o Rio de Janeiro com os gastos deste público foi de pouco mais de R$ 461 milhões, com um gasto médio diário de aproximadamente R$ 47 milhões. A renda do carnaval, de acordo com dados da Riotur, foi de R$ 1,5 bilhão.
O estudo aponta ainda um gasto médio diário do turista LGBT nacional de R$ 302,10 e do internacional de R$ 538,82. Considerando que o gasto médio do turista heterossexual é de R$198,00, nota-se um consumo superior de 50% no caso do turista nacional e 270% no caso do turista internacional.
O estudo, feito pela Riotur e pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, órgãos da Prefeitura do Rio, em parceria com o Observatório do Turismo da Faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense (UFF), revela o seguinte perfil: homossexuais masculinos jovens, com média de 26 anos de idade, solteiros, com nível superior de escolaridade em sua grande maioria, renda média de 8,7 salários mínimos.
Sessenta por cento dos entrevistados utilizaram o avião como meio de transporte para chegar à cidade e, em média, já visitaram o Rio de Janeiro aproximadamente sete vezes, sendo que 30% já estiveram na capital fluminense 11 ou mais vezes.
Destino gay friendly
Ao serem questionados do porque da escolha do Rio como destino, 42% disseram que por ser um “destino gay friendly”, a cidade os atraiu; se recomendariam o carnaval carioca, 93,6% disseram que sim. Já 94,6% garantem que pretendem retornar à cidade.
Em relação ao cálculo de permanência na cidade, a pesquisa levantou um índice de estada média de 8,8 no caso do turista nacional e de 12,40 do turista internacional (emcomparação ao índice de seis dias do turismo heterossexual).
A maior motivação para o turismo na cidade foi a recomendação de amigos e familiares, seguida pelo reconhecimento de se tratar de um destino amigável LGBT. No universo pesquisado, no qual a nota para o Rio de Janeiro como um todo variava de 1 (péssimo) a 5 (ótimo), a média da cidade foi 3,9. E entre as melhores avaliações dos entrevistados, ficaram os meios de hospedagem e a hospitalidade. Entre as mais baixas, figuram os preços altos e limpeza urbana.
Os turistas que mais nos visitaram vieram dos seguintes países: Estados Unidos, Inglaterra e Canadá. Já entre visitantes nacionais, os turistas de São Paulo, Minas Gerais e do Estado do Rio de Janeiro lideram o ranking de vinda à cidade.
A pesquisa contou com 614 questionários completos e foi realizada entre os dias 28 de fevereiro e 04 de março. As informações foram colhidas em diversos pontos de concentração de público LGBT, tais como as ruas Farme de Amoedo e adjacências,em Ipanema; os blocos TocoXona, Banda de Ipanema e Simpatia é quase amor; as festas JukeBox, Revolution Party, ToyOz, BITCH + The Week, Rio Life Style Festival e o camarote CandyBox, no Sambódromo.

Do G1