Travestis do Rio são espancadas em praça pública e internet comemora: ‘tinha que matar’

Comportamento, Social
14 de setembro de 2016
por Genilson Coutinho

Foto: Reprodução

Um vídeo mostrando uma travesti sofrendo #Violência em praça pública chocou os internautas nesta terça-feira, dia 13 de setembro. As imagens que viralizaram foram gravadas no Rio de Janeiro e foram parar no site Põe na Roda, especializado no público LGBT. Em meio a pauladas, socos e xingamentos, ela não teve como se defender. Ao ver a cena, outra travesti tentou salvar sua “irmã” de luta e foi igualmente espancada pelo grupo homofóbico.

Ainda não se sabe o motivo da briga e o vídeo continua a ser compartilhado na internet, com centenas de visualizações nas redes sociais.

Muitas pessoas condenaram a ação de violência e disseram que foi um ato de extrema #Homofobia e #Transfobia, isto é, ódio a pessoas homossexuais e transgêneros.

Apesar da violência ter chocado pessoas na internet, no momento do ato desumano ninguém se moveu para ajudar às travestis que apanhavam. As duas ainda não foram identificadas formalmente e também não se pronunciaram na imprensa a respeito do espancamento.

Assista esse absurdo neste link.

Contudo, por incrível que pareça, houve também pessoas que apoiaram os homens que bateram nas travestis. Por meio da rede social Twitter, uma mulher disse que o a briga deve ter sido motivada de alguma forma.

“vocês sao bobinhos de acharem que essas aberracoes estavam apanhando sem saber. deve ser tudo caso desses caras. mereceram”, disse.

“Se tá apanhando é sabe pq tá batendo. tinha que matar logo”, escreveu outro internauta furioso.

Homofobia mata

Este não é o primeiro caso de transfobia que é comemorado na internet. No começo deste ano foram mortos na cidade de Orlando, nos Estados Unidos, diversos homossexuais e transgêneros na boate Pulse. O ataque armado foi motivado por ódio a homossexuais. O criminoso, Omar Mateen, assassinou dezenas de pessoas a sangue frio, apesar de ter frequentado o local diversas vezes. Testemunhas contaram para a polícia e imprensa que o criminoso havia se decepcionado em um relacionamento e tinha ameaçado frequentadores do local.

O crime foi considerado pelo presidente Barack Obama um dos mais violentos da história do país.

*Do Blastingnews