Transexuais e travestis de Salvador irão fazer a prova do Enem neste final de semana

Notícias
23 de outubro de 2015
por Redação

Foto: Jessica Garcia Rodriguez

O Enem neste ano será realizado nos dias 24 e 25 de outubro, onde mais de 7,7 milhões de candidatos serão submetidos às provas, dentre eles estão homens e mulheres trans que também estão na corrida pela realização do sonho de entrar na universidade e ao mesmo tempo romper a barreira do preconceito e da invisibilidade, como comprova os números de transexuais e travestis que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano, que quase triplicou em relação ao ano passado.

Em 2015, 278 solicitaram o uso do nome social nos dias do exame, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em 2014, foram feitos 102 pedidos.

Foto: Genilson Coutinho

Em Salvador, a comunidade trans aguarda com ansiedade a hora da prova e não esconde a felicidade, principalmente pela conquista do uso do nome social, como conta João Hugo, 22 anos, que fará a prova em Itapuã, bairro onde reside. “Vejo como mais uma conquista de direitos para nós. No ano passado ainda não existia essa portaria, fiz a prova sem grandes dificuldades e esse ano será melhor ainda”, pontua João.

Sobre ansiedade, Hugo revela que não está nervoso mesmo sabendo que é uma prova cansativa. “No segundo dia estamos mortos, mas o meu sonho de cursar jornalismo é muito maior do que o cansaço”, diz ele.

Sobre as abordagens dos fiscais no ato da aplicação da prova, Hugo se mostra preocupado com os demais colegas, principalmente pelo documento de identificação. “Eu não terei problemas pois tenho meu cartão do SUS e cartão do banco, que usarei como documentos de identificação, pois como ainda não tenho o RG utilizarei eles, mas sei que muitos dos meus amigos ainda não tem o cartão do SUS e o documento como o nome social. Espero que os fiscais estejam atentos para nos receber sem nos constranger”, sinaliza João.

Conquistas:
O nome social passou a ser adotado oficialmente na aplicação do exame no ano passado, mas era preciso solicitar o uso por telefone. Neste ano, o pedido foi feito pela internet. Nos dias do exame, os transexuais deverão ser tratados pelo nome com o qual se identificam e não pelo nome que consta no documento de identidade. Além disso, usarão o banheiro do gênero com o qual se identificam.

De acordo com o Inep, São Paulo é o estado que lidera as solicitações, foram 89. Em seguida está o Rio de Janeiro, com 33, Minas Gerais, com 29, o Paraná, com 22, a Bahia, com 18, Pernambuco e o Rio Grande do Sul, ambos com 12. Os demais tiveram menos de dez solicitações. Roraima, Acre e Amapá não registraram pedidos.