Trans-formação: projeto de capacitação de pessoas transexuais, travestis e não-binários forma 1ª turma em Salvador

Comportamento, Social
5 de setembro de 2019
por Genilson Coutinho
Foto: Tainan Rangel / Ascom SJDHDS
Vinte e três participantes do Trans-formação, curso voltado para a formação de pessoas transexuais, travestis e não-bináries de Salvador e região, participaram da formatura da capacitação na noite desta quarta-feira (04), no Espaço Cultural Solar Boa Vista, em Salvador. A formatura contou com a presença da cantora Liniker, que é a Campeã pela Igualdade da Campanha da ONU Livre e Iguais, e com uma série de apresentações artísticas e culturais das formandas e formandos, todas apresentadas pela mestre de cerimônia do evento, a drag queen Petra Perón.
Essa foi a primeira vez que a capital baiana recebeu o curso e a terceira edição realizada no Brasil. Em Salvador, o Casarão da Diversidade, espaço da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia, recebeu a maior parte das aulas e encontros promovidos pelo Trans-formação. A iniciativa promoveu oficinas sobre educação, saúde, empregabilidade, mídia, direitos humanos, autocuidado e participação social, acompanhadas em programas de mentoria.
“Para mim é uma honra muito grande essa trans-formação. E que ela tenha sempre um recomeço. Quero agradecer pelos debates que instauraram inquietudes por mudanças e levantaram a importância de lutar pelos nossos direitos. Que sejamos todas e todos livres e iguais, e que amemos uns aos outros”, disse, emocionada, Fabiane Galvão, uma das formandas e responsável por discursar representando a turma.
Para o fortalecimento das capacidades de pessoas T*, as oficinas foram construídas em dois eixos centrais. O primeiro, chamado de “Módulo Pessoal”, visou a promoção do empoderamento pessoal das (os) participantes. Já o segundo eixo da formação, intitulado “Módulo Comunitário”, teve como objetivo a potencialização do trabalho das (os) participantes enquanto lideranças pelos direitos da população T* em Salvador e Região Metropolitana.

Foto: Tainan Rangel / Ascom SJDHDS

“Esse evento é muito importante. As pessoas que tentam dividir esse país jamais vão entender a beleza da diversidade. As ameaças estão aumentando, mas precisamos nos unir e juntar forças contra o retrocesso. É muito importante que a ONU esteja ao nosso lado e que todas as entidades continuem articuladas”, afirmou o superintendente de Direitos Humanos da SJDHDS, Jones Carvalho. “Isso não é apenas um certificado. Significa o que vocês fizeram até aqui e o que trouxe todos vocês até esse momento”, completou o gestor.
O evento contou com a presença de autoridades, militantes e artistas, entre elas a secretária de Política para Mulheres da Bahia, Julieta Palmeira, a oficial de Direitos Humanos das Nações Unidas no Brasil, Angela Pires, a Promotora de Justiça do MP-BA, Lívia Vaz, e a Defensora Pública Eva Rodrigues.
O curso é uma iniciativa que nasceu da campanha da ONU Livres & Iguais, em conjunto ao Ministério Público do Trabalho e Governo da Bahia, por meio da SJDHDS, e parceria com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais (ABGLT), o Coletivo de Trans pra Frente, o Instituto Brasileiro de Transmasculinidades.
Para a coordenadora do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia (CPDD-LGBT), equipamento da SJDHDS, e presidente da ANTRA, Keila Simpson, que realizou um ato de abertura do evento, “o curso proporcionou, além de conteúdo formativo, a convivência entre todos e todas através das mentorias realizadas. Agradeço às pessoas que participaram e acreditaram deste momento, que foi uma semente do que ainda virá por aí”.

“Não se trata de uma transformação de quem somos, mas de uma transformação da sociedade. É isso que nós desejamos e lutamos. E isso é só o começo”, finalizou Symmy Larrat, presidente da ABGLT.