Tereza Paim dá início ao projeto Domingo Cultural no Pestana Convento do Carmo Hotel

Gastronomia
16 de maio de 2017
por Helder Azevedo
Convento do Carmo_Foyer Claustro II

Convento do Carmo (Foto: Divulgação)

O movimento Viva o Carmo, aqui a cultura é sagrada! dá o start no dia 28 de maio ao projeto Domingo Cultural, que será realizado uma vez ao mês no Convento do Carmo, no bairro de Santo Antônio Além do Carmo, oferecendo um cardápio onde entram diversas expressões artísticas, moda, música e gastronomia. Esse movimento apadrinhado pela chef Tereza Paim – atualmente à frente do Restaurante do Convento –, conta com um grande numero de Voluntários, com o objetivo de angariar fundos para a restauração da sacristia toda em ouro da Igreja do Carmo, e reabrir o museu, que contém mais de 2.400 peças de arte sacra, ambos fechados a 22 anos.

A programação é extensa e vai das 7h às 19h. Começa com a missa na Igreja do Carmo, seguida de café da manhã tipicamente brasileiro, no Restaurante do Convento, até as 10h30. A maratona cultural inclui exposição de fotos, feira de artesanato, apresentação musical, tarde de autógrafos, rodas de conversa, atividades infantis e muito mais. Além disso, ainda haverá visitas guiadas à sacristia e ao claustro do convento.

E para juntar todas as tribos Soteropolitanas uma grande variedade de palestras e oficinas prometem assunto para todos os gostos. Dentre os nomes já confirmados estão a famosa dupla de chefs Fabrício Lemos e Lisiane Arouca, do Restaurante Origem, que pilotarão uma oficina de culinária; a estilista Luciana Galeão, apresentando o workshop de moda Transformando resíduos em riquezas; os artistas visuais Maria Luedy e Eder Muniz, trabalhando com pintura e grafite ao vivo; e os jornalistas e poetas, Kátia Borges e Nilson Galvão, que farão recital de poesias.

O Domingo Cultural também tem a intenção de inserir o Convento do Carmo na rota da cena artística e cultural local, abrindo o espaço para baianos e turistas. “Meu compromisso é dar vida ao Carmo com um modelo de auto sustentabilidade que tenha identidade e que envolva todos”, conta Tereza Paim, madrinha da ideia, que acredita no trabalho de recuperação desse patrimônio, como forma de devolvermos ao mundo importantes tesouros que se encontram escondidos. Afinal o patrimônio Histórico da Bahia, é uma história que ainda tem muitas histórias pra contar!