Teatro Gamboa comemorados 40 anos de fundação na próxima sexta-feira (13);confira a programação

Teatro
10 de junho de 2014
por Genilson Coutinho

Exposição AMÉM Salomão Zalcbergas_foto divulgação (3)

Com um cenário e uma estrutura alternativa mantida desde sua fundação, o Teatro Gamboa, cujo prédio pertence hoje à família do ator Perry Sales (1939-2009), mas é administrado pela Associação Grupo Estado Dramático de Salvador, prepara-se para comemorar 40 anos de fundação no próximo dia 13 de junho e sete anos do projeto Gamboa Nova em 02 de julho de 2014.

Para marcar este ano importante, o projeto, que incentiva desde 2007 atividades com e sem financiamento, oferecendo pauta gratuita aos artistas e serviços de assessoria de imprensa, produção e suporte técnico de sonorização e iluminação, investe em uma programação de qualidade. Em junho o Teatro recebe o projeto EMCULTURAL, com mais um encontro da exposição MÉXICO 70 – BRASIL Y OTROS RECUERDOS, inaugurada em abril de 2014 na Cidade do México, organizada pelo Harmonipan Studio em parceria com artistas plásticos baianos, num intercâmbio cheio de novidades.  Também sobem ao palco no QUATROXQUARTA os vencedores do FESTIVAL CURTA CENA DE TEATRO.

QUATROXQUARTA_Hermínia Miryam_crédito Izabella Valverde (3)

Já em julho, a presença da CIA NOTÁVEIS DE CLOWNS DO PARÁ e a estreia de dois novos shows musicais da soterópolis, com JULIANA LEITE (Bailinho de Quinta) e PEDRO DE ROSA MORAES. Agosto chega com tudo com o MÊS DA DANÇA patrocinado pela Funarte e atrações do Ceará, Piauí, Paraíba e Salvador. Mais novidades no SETEMBRO É GAYBOA.

Segundo o coordenador artístico Rino Carvalho, o Teatro Gamboa Nova surge mesmo com esta proposta de apoiar os artistas e incentivar o crescimento de projetos que praticamente nasceram com o apoio da estrutura do Teatro, entre os envolvidos nomes como Márcia Castro, Claudia Cunha, Manuela Rodrigues, Juliana Ribeiro e muitos espetáculos teatrais premiados, no exemplo mais recente ENTRE NÓS, com grande projeção dentro e fora de Salvador. A grande recompensa é participar da história dos artistas com este novo pensamento sobre o espaço que se fortalece desde 2007.

1_Teatro Gamboa Nova__foto divulgação

Histórico

As cortinas avermelhadas do Teatro Gamboa Nova se abriram pela primeira vez em 13 de junho de 1974, com a apresentação do espetáculo No Mundo do Faz de Conta. Após essa noite, o teatro voltou a receber inúmeras peças, coreografias e shows que agitaram a cena artística baiana. Já foi administrado por nomes como Eduardo Cabus e Perry Salles.

A história do teatro pode ser contada por meio dos espetáculos encenados e dos artistas que passaram pelo seu palco. Apresentaram-se no Gamboa Nova Álvaro Guimarães (As Criadas), Nonatho Freire (Spiritvalisom), Rita Assemany (Oficina Condessada), Marcio Meirelles, Fernando Guerreiro e Zizi Possi.

Em julho de 2007, o pequeno espaço, localizado na região central de Salvador e com uma vista privilegiada da Baia de Todos os Santos, iniciou uma nova fase, com um olhar para o futuro, mas respeitando seu passado. Assim, passou a se manter na categoria de teatro transgressor, sendo um local democrático que oferece programação diversificada e acesso a preços populares. Um centro cultural particular, mas que funciona de maneira pública, graças ao apoio da Fundação Cultural do Estado da Bahia.

TEATRO

Esta semana teremos apresentações somente na quarta, sábado e domingo devido ao calendário da Copa do Mundo

‘Quatro X Quarta’ volta à cena do Gamboa Nova

Em parceria com a produção do Festival Curta Cena de Teatro e seus participantes, o Teatro Gamboa Nova volta com o projeto QUATRO X QUARTA (quatro por quarta), trazendo na programação de junho os vencedores das diferentes categorias do festival, realizado em abril de 2014 no Espaço Xisto Bahia. São quatro cenas a cada quarta (04, 11 e 18), com os artistas Duda Woyda ( Ateliê VoadOR), Patrícia Oliveira (Dois em Cena) e os grupos Cia Revista da Bahia e Cia de Teatro Pavê. Ingressos R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).

Abaixo você encontra um resumo das cenas apresentadas, vencedoras das categorias Voto Popular, Melhor Texto Inédito, Melhor Atriz e Melhor Ator.

Saúde – Cia de Teatro Pavê : Dois personagens, Demétre, um rapaz hipocondríaco e frenético, e Orlando, um homem ansioso e mal humorado, entram em conflito enquanto esperam na fila de um banheiro público. A partir daí diversas situações são colocadas em discussão por dois “cidadãos” de opiniões quase opostas, o que gera desconforto entre ambas as partes.

Hermínia Miryam, a Paixão de Eros – Cia de Revista da Bahia: Inspirada esteticamente no Teatro de Revista brasileiro dos anos 50 e com estrutura épica, a dramaturgia da esquete revela a trajetória da paixão entre a vedete Hermínia Miryam e Eros Martim Gonçalves, dando ênfase ao período da criação da Escola de Teatro da UFBA. História e ficção se misturam através das falas da personagem, das cartas lidas e das músicas interpretadas. A personagem fictícia Hermínia (Liz Novais) narra uma suposta história de amor com Martim Gonçalves, um artifício dramático para apresentar a história da criação da ETUFBA com base no livro Impressões Modernas, Teatro e Jornalismo na Bahia, de Jussilene Santana.

Sadia – Patrícia Oliveira: A cena retrata de forma cômica as desventuras de um relacionamento amoroso, através dos desgastes que ocorrem durante uma relação. Com grande enfoque no trabalho de atriz, mais precisamente em dinâmicas de fluidez textual, cadencia rítmica e verdade interpretativa, a cena em questão propõe uma economia estética ao que se refere ao cenário, luz e som. Com o palco quase nu, havendo apenas um pedestal com um microfone em cena, a atenção se volta ao discurso da personagem, o seu elo de intimidade com o publico e a conquista desta cumplicidade.

Quem Abraça Meu Corpo? Enche Minha Taça! – Duda Woyda: A performance surge de um desdobramento do espetáculo “O diário de Genet”, da ATeliê voadOR COMPANHIA DE TEATRO e fala das criações culturais que são narradas e recontadas em diversos contextos implicados nas relações de poder. Dentro de uma análise autobiográfica, a cena é um dos resultados da dissertação de Mestrado em que Duda Woyda estuda questões de gênero e sexualidade, teatro físico e dança contemporânea, sobre o olhar de um teatro anfíbio, misturando arte e política.

Serviço

QuatroXQuarta – Vencedores do Curta Cena de Teatro

Quando: 11 e 18 (quartas)

Horário: 20h (bilheteria a partir das 19h)

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Classificação: 14 anos

Ficha técnica:

 

  • Saúde (9 minutos)

Texto e direção – tato tavares

Elenco – Gelton Alves e Katson Freitas

Produção – Cia Teatro Pavê

Iluminação – Samuel André

Programação visual e assessoria de produção– Naiara Gomes

 

  • Hermínia Miryam, a Paixão de Eros

Atuação: Liz Novais

Texto e direção:Jones Mota

Co-direção:Daniel Moreno

Figurino: Hamilton Lima

Maquiagem: Coletivo Moiras

Iluminação: Marcus Lobo

Fotografia: Izabella Valverde

Design gráfico: Daniel Moreno

Realização: Cia. de Revista da Bahia

Produção: Coletivo Saladistar Produções

  • Sadia (10 minutos)

Atuação e direção: Patrícia Oliveira

Colaboração: Laura Sarpa

Texto: Lara Duarte

 

  • Quem Abraça meu Corpo? Enche Minha Taça!

Concepção / Direção / Interpretação: Duda Woyda

Iluminação: Marcus Lobo

Produção: Ateliê voadOR Companhia de Teatro

‘Enfim S.Ó.S’ retoma temporada após sucesso das apresentações

Estreia de muito sucesso em março de 2014 no Teatro Gamboa Nova, ENFIM S.Ó.S é uma busca pelo entendimento de si mesmo. É um convite à celebração da dor e delícia de ser quem se é. A peça convida o espectador a se reconhecer protagonista/antagonista de sua história.  Convida a, enfim, estar só diante da cruel e excitante experiência de estar vivo.

O espetáculo conta a história de Martha, uma mulher de quarenta e cinco anos que, dentro de um cenário de mudanças, se encontra, literalmente, diante de sua própria vida num diálogo inusitado com ela mesma aos quinze e trinta anos. Em cartaz no Teatro Gamboa Nova, de quinta a domingo (com intervalo devido às programações da Copa), às 20h e 17h.

As passagens do texto costuram momentos decisivos na vida desta mulher, que se vê encurralada por suas escolhas, trazendo também os sentimentos e questionamentos íntimos das próprias atrizes em relação ao tema. Entre acertos e fracassos, a sentença que lhe cabe é a absolvição, já que qualquer vivência, por mais absurda, imunda, incrível que pareça, é demasiadamente humana.

O espetáculo é também uma apresentação da Cia Mote de Teatro, formada por atores egressos da Escola de Teatro da UFBA e do Curso Livre de Teatro da UFBA que se revezam nas posições de atores, diretores e dramaturgos, prezando por produções autorais. A interpretação é orientada pela estética realista de Stanislaviski, inclusive com a utilização do que o mesmo chamou de “memória emotiva”.

Serviço

ENFIM S.Ó.S_ Cia Mote de Teatro

Quando: 14, 15, 19, 21 e 22 (quinta a domingo – com variações pelos jogos da Copa)

Horário: 20h ( quinta a sábado – bilheteria a partir das 19h) / 17h (domingo)

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Classificação: 12 anos

Ficha Técnica

Direção, Concepção e Operação de Som: Marcos Sampaio.

Texto: Alessandra Sena e Karla Koimbra.

Elenco: Alessandra Sena, Karla Koimbra e Enoe Lopes Pontes.

Figurino: Antônio Fábio.

Concepção de Cenário: Cia. Mote de Teatro.

Maquiagem: Filipe Dias

Produção e realização: Cia. Mote de Teatro.

EXPOSIÇÃO

Salomão Zalcbergas na Galeria Jayme Fygura

Amém é o nome da mostra que o artista plástico Salomão Zalcbergas expõe no foyer Teatro Gamboa Nova – Galeria Jayme Fygura. Nela são apresentadas 15 obras desta fase voltada ao sagrado do artista que, nas diversas variedades de cores, transforma a luz em tons que caracterizam sua pintura. A entrada é gratuita e as pinturas podem ser vistas de quarta a domingo a partir das 14h.

Marcada por símbolos e signos do sincretismo religioso, a exposição trata da força do sagrado, a crença de que o homem traduz a sua Natureza. Amém também ressalta a parceria do artista com o espaço do Teatro, já que outras mostras dele ficaram em cartaz na galeria, a última em 2012, intitulada Cores e Contrastes, com obras que atraíram muitos admiradores de suas pinceladas únicas e fortemente expressivas.

Pintor, ilustrador, artista gráfico e escultor, é paulista de nascimento, mas baiano desde criança. Filho de lituanos veio para Salvador aos oito anos e criou raízes também no Vale do Capão. Chegou a realizar exposições na Bahia e na França e hoje conta com o apoio também da Espiral Galleria.

Serviço:

Exposição AMÉM de Salomão Zalcbergas

Quando: 01 a 22/06/14 (quarta a domingo)

Horario: 16h às 20h (qua a sab), das 14h às 17h (domingo)

Classificação: Livre

Ficha-técnica

Artista e realizador: Salomão Zalcbergas

Produção: Sylvia Novaes

CINEMA

Filme ao contrário – Mais um Filmes

Projeto para a exibição de filmes curtos sempre antes da programação, o CineGamboaNova apresenta no mês de junho o curta Filme ao Contrário, da Mais um Filmes. Uma divertida discussão de dois amigos sobre a produção de um filme, com muito humor e uma opção estética diferente.

Estrelado por Psit Mota é um sucesso na internet e pode ser acompanhado também no site da produtora www.maisumfilmes.com.br.

Serviço:

Curta Filme ao Contrário – Mais um FIlmes

Quando: 01 a 22/06/14 (quarta a domingo)

Horario: antes dos espetáculos com autorização prévia das produções

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: incluso no valor dos espetáculos

Classificação: Livre

Ficha Técnica

Elenco: Psit Mota e Caio Muniz

Produção e realização: Mais um Filmes