Teatro Castro Alves promove programação especial para abril, o mês da Dança

Sem categoria
1 de abril de 2013
por Genilson Coutinho

Desde 1982, o Dia Internacional da Dança é celebrado em 29 de abril. E para comemorar o Mês da Dança em grande estilo, o Teatro Castro Alves preparou uma programação extensiva, com a apresentação de seis espetáculos do Balé Teatro Castro Alves – BTCA, já conhecidos do público, além de uma edição do projeto Conversas Plugadas com o diretor artístico da companhia, Jorge Vermelho, no dia 17, às 20h, na Sala do Coro e apresentação conjunta de Pangea e Sertania, nos dias 20 e 21, às 20h, dois espetáculos do projeto BTCA Memória, destinado a resgatar a memória e dinamizar a dança contemporânea na Bahia.

Abrindo a programação do mês, no dia 1°, o BTCA apresenta, no Jardim Suspenso do TCA, às 16h, “1POR1PRAUM”, a instigante performance criada por Jorge Vermelho, sob a supervisão da coreógrafa Renata Melo. Dando sequência, nos dias 04, 05, 06 e 07, em horários alternados, o BTCA apresenta, na Sala do Coro, “A Quem Possa Interessar” e pra fechar a primeira semana de abril, no dia 07, às 11h, tem “…Ou Isso”, montagem de 2012 baseada no universo poético de Manoel de Barros, na Sala Principal, dentro do projeto Domingo no TCA.

Compõem ainda a programação do Mês da Dança os espetáculos “Pedro e o Lobo” (dias 11, 12 às 15h e 13 e 14, às 20h, Sala do Coro), uma história para crianças contada por meio da música, com a participação da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA); “Essa Tempestade” (dias 18, 19 às 15h e 20 e 21 às 20h, Sala do Coro), coprodução internacional do Ministério da Cultura/Funarte, Governo da Bahia (Secretaria de Cultura, Funceb e TCA), livremente inspirada na peça “A Tempestade”, de William Shakespeare (1564-1616); e mais uma apresentação de “…Ou Isso”, nos dias 25, 26 às 15h e 27, 28 às 20h, na Sala do Coro.

BTCA – No dia 1º de abril a companhia de dança oficial da Bahia completa 32 anos de fundada. Mantido pela Fundação Cultural – unidade da Secretaria de Cultura, o Balé Teatro Castro Alves assumiu, desde a sua criação, o perfil de dança contemporânea, apresentando coreógrafos como Victor Navarro, Lia Robatto, Antonio Carlos Cardoso, Carlos Moraes, Luis Arrieta, Oscar Arraiz, Guilherme Botelho, Tíndaro Silvano, Mario Nascimento, Ismael Ivo, Henrique Rodovalho e Claudio Bernardo, entre outros. Sob a direção artística do ator e diretor paulista Jorge Vermelho, o BTCA conta com mais de 50 montagens em seu repertório, sendo uma presença destacada no cenário da dança nacional e internacional. Com obras memoráveis e investigativas como “Ilhas”, “Sonhos de Castro Alves”, “Sanctus”, “Mandala”, “Sagração da Primavera” e “Berimbau”, que alcançaram sucesso de público e crítica, com apresentações em diversos Estados brasileiros e países como os Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Suíça, Áustria, Itália, República Tcheca, Portugal, Israel e Argentina.

 Programação Mês da Dança

“1POR1PRAUM” – Instigante performance criada pelo diretor artístico do BTCA, Jorge Vermelho, sob a supervisão da coreógrafa Renata Melo, o espetáculo propõe ao espectador vivenciar um outro estado, um recorte na urbanidade e no imediatismo. Um espelho que reflete a ânsia, o desejo e a angústia de ser uno. Ao invés de ser apresentada no palco tradicional, acontece em cabines individuais, que medem 2,00m de profundidade x 1,00m de largura x 2,00m de altura, onde um único bailarino (no total de 20 bailarinos-intérpretes que se revezam) recebe um espectador por vez, em solos que duram em média cinco minutos cada um. “Trata-se de um confessionário, onde o bailarino e seu único público compartilham uma determinada emoção que ficará restrita e segredada aos dois”, descreve Vermelho.

Dia 1° de abril no Jardim Suspenso do TCA

Horário: 16h

Entrada Gratuita

“… OU ISSO” – Com coreografia de Jomar Mesquita e Rodrigo de Castro, a montagem é totalmente inspirada na obra do poeta “esticador de horizontes”, Manoel de Barros. Exercitando o corpo, a alma e o coração, o BTCA busca outras possibilidades de enxergar o mundo, transpondo sentidos com um olhar ingênuo, lúdico, quase infantil, mas, ao mesmo tempo, mais astuto e sincero. Focados (ou desfocados) pelo viés de transver o mundo, os bailarinos foram instigados no processo de criação a transfigurar a realidade. Manoel de Barros diz: “o olho vê, a lembrança revê e a imaginação transvê… é preciso transver o mundo”.

Dia 07 na Sala Principal do TCA

Horário: 11 horas

Ingressos (inteira): R$ 1,00 – venda no mesmo dia, a partir das 9 horas, com acesso imediato do público
Dias 25, 26, 27 e 28 na Sala do Coro do TCA

Horário: 25 e 26 às 15h / 27 e 28 às 20h

Entrada Gratuita

“A quem possa interessar” – Coreografia de Henrique Rodovalho, um dos mais respeitados profissionais da área no Brasil e diretor artístico da Quasar Cia de Dança, de Goiás, foi construída a partir de um trabalho coletivo em que os bailarinos do BTCA foram incitados a resgatar suas trajetórias e experiências, ao mesmo tempo em que incorporaram os conhecimentos apresentados por Rodovalho, que possui uma vasta trajetória de pesquisa e trabalhos não só no Brasil, como em Portugal, Holanda, Inglaterra e México. Ele estabeleceu “um pensamento norteador voltado para o bem estar, o prazer e a alegria, elementos que devemos apreciar e sentir aqui e agora”.

DIAS 04, 05, 06 e 07 na Sala do Coro do TCA

Horário: 04 e 05 às 15h / 06 e 07 às 20h

Entrada Gratuita

PEDRO E O LOBO – Pedro e o Lobo é uma história para crianças contada por meio da música. Composta por Sergei Prokofiev em 1936, com o objetivo pedagógico de mostrar às crianças as sonoridades dos diversos instrumentos. A narrativa, divertida e sensível, gira em torno de Pedro, um menino que cansa de ver suas ovelhas serem mortas pelo lobo mau e, contra a vontade de seu avô, decide ir à caça do lobo com sua espingarda de rolha. Para essa aventura ele tem a companhia de seu gato Ivan, sua pata Sônia, e da passarinha Sasha, que são seus grandes amigos. Cada personagem da história é representado por um instrumento diferente ou por um conjunto de instrumentos que compõem a orquestra: Pedro (instrumentos de corda); Lobo (trompas); Avô (fagote); Pássaro (flauta); Pato (oboé); Gato (clarinete); Caçadores (tímpanos). É a primeira montagem do grupo voltada ao público infantil, apresentada pela primeira vez em 2011, nas comemorações dos 30 anos da Companhia.

DIAS 11, 12, 13 e 14 na Sala do Coro do TCA

Horário: 11 e 12 às 15h / 13 e 14 às 17h (primeira sessão) e às 19h (segunda sessão)

Entrada Gratuita

Conversas plugadas com Jorge Vermelho – Ator, Diretor, Produtor e atual Diretor Artístico do Balé Teatro Castro Alves (BTCA). Foi membro integrante do Prêmio de Dança do Teatro de Dança em São Paulo e membro da comissão de avaliação do Edital Myriam Muniz em 2009. Diretor Geral do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (2001 a 2009) e Diretor do Janeiro Brasileiro da Comédia (2003 a 2009). Assinou a direção de espetáculos como “Dorotéia”, “Toda Nudez Será Castigada” e “Os Sete Gatinhos”, textos de Nelson Rodrigues, “Esperando Godot”, de Samuel Beckett, “Aquele Que Diz Sim e Aquele Que Diz Não”, de Bertolt Brecht, entre outros. Como ator, recebeu diversas prêmios, sendo também premiado em diversas oportunidades ao assinar trabalhos nas áreas de figurino, maquiagem, cenografia, iluminação e trilha sonora. Em 2001, recebeu o Prêmio Especial Folha de São Paulo de Melhor Espetáculo do Festival de Teatro de Curitiba com a peça “Orpheu – O Guardador de Rebanhos”.

DIA 17 na Sala do Coro do TCA

Horário: 19h

Entrada Gratuita

“Essa Tempestade” – Livremente inspirada na peça “A Tempestade”, de William Shakespeare (1564-1616), “Essa Tempestade” é uma coprodução internacional do Ministério da Cultura/Funarte, Governo da Bahia (Secretaria de Cultura, Funceb e TCA), As Palavras – Cie Claudio Bernardo, Festival Europalia, Governo da Bélgica e Comunidade Francesa da Bélgica. O espetáculo foi apresentado em dezembro passado em três cidades belgas, a convite do importante Festival Europalia, com teatros lotados e a consagração do público. Além da concepção e coreografia, o cearense Cláudio Bernardo também assina o figurino e a cenografia. O original “A Tempestade” (1611) conta a história de um homem que vive exilado numa ilha e, com a ajuda de seus livros mágicos, naufraga uma embarcação invocando uma grande tormenta. Esse naufrágio conduzirá a uma transformação humana libertatória, tanto nestes náufragos quanto nos habitantes da ilha. No palco, 25 bailarinos com uma performance que une a dança contemporânea a um trabalho vocal, com coro, vozes e sons.

DIAS 18, 19, 20 e 21 na Sala do Coro do TCA

Horário: 18 e 19 às 15h / 20 e 21 de abril às 20h

Entrada Gratuita

PANGEA – Parte do projeto BTCA Memória, “Pangea” é uma montagem onde o ritmo, a percussão e o movimento se aliam para mostrar todo o potencial de cada bailarino. Tíndaro Silvano se inspirou nos temas étnicos e no sincretismo, mas com ênfase no moderno, na contemporaneidade. Pangea é nome do antigo continente constituído pela reunião dos atuais continentes, que teriam surgido pela quebra do bloco original. A música é do compositor paulista Fábio Cardia, e figurinos, do também mineiro Marcos Paulo Rolla. A remontagem da coreografia com novos bailarinos contou com a supervisão do seu criador e a colaboração do próprio BTCA, sob a direção artística de Jorge Vermelho.

SERTANIA – Sertania é uma representação poética do imaginário simbólico da cultura dos Sertões, inspirada em sinfonia de Ernst Widmer e no cordel do século XIX Boi Misterioso, de Leandro Gomes de Barros, utilizando de metáforas da seca para apontar questões brasileiras, e da relação do vaqueiro com o boi como a busca por um mundo melhor. A partir do contexto sertanejo, o espetáculo ainda homenageia o centenário de nascimento de Luiz Gonzaga e apresenta a realidade de uma região que ocupa quase 80% da Bahia, o que se alinha às ações da SecultBA no intuito de dar visibilidade a este legado.

DIAS 20 E 21 na Sala Principal do TCA

Horário: 20h

Ingresso (inteira): R$ 8,00