Suspeito de matar principal bailarino do Balé Folclórico é preso em Muritiba

Comportamento, Social
17 de março de 2015
por Genilson Coutinho
Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Foto: Divulgação/ Polícia Civil

O suspeito de ter matado o bailarino Reinaldo Pepe dos Santos, Wallysson Santana de Castro, 24 anos, foi preso na tarde desta terça-feira (17), no município de Muritiba, a 149 quilômetros de Salvador. De acordo com a Polícia Militar, Wallysson confessou ter matado o integrante do Balé Folclórico após uma discussão conjugal.

Os agentes de inteligência da PM começaram a investigar o fato na cidade de Mata de São João e encontrou indícios consistentes do crime. Eles também verificaram a fuga de Wallysson para a cidade de Muritiba, onde reside seu pai.

Ainda de acordo com a PM, o suspeito não apresentou resistência à prisão e ainda confessou o crime. Ele foi conduzido para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP onde será apresentado à autoridade de polícia judiciária.

Também na tarde desta terça, a Polícia Civil divulgou uma foto do suspeito, que foi identificado após a análise de imagens de câmeras de segurança instaladas próximas ao local onde o bailarino residia, na Rua do Alvo, no bairro da Saúde.

Pepe foi atingido por golpes de um objeto perfurocortante no pescoço e no abdômen. O ataque foi tão violento que o bailarino quase chegou a ser degolado. Ainda de acordo com a polícia, não há informações precisas sobre qual instrumento utilizado na agressão, mas exames periciais já estão sendo feitos pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Segundo o diretor-geral do Balé, Vavá Botelho, vizinhos viram um homem saindo da casa de Reinaldo no início da manhã levando um celular e um notebook. O suspeito era branco, vestia camisa e bermuda pretas, tinha o cabelo cortado baixo, com uma franja e estava com os pés sujos de sangue.

Ainda de acordo com o diretor, Reinaldo havia se apresentado no Pelourinho no sábado e, segundo amigos, teria seguido para uma boate, de onde saiu acompanhado de um rapaz.

(Foto: Wendell Wagner/ Divulgação)

Reinaldo Pepe dos Santos realiza a coreografia A Corte de Oxalá, em apresentação do Balé Folclórico da Bahia (Foto: Wendell Wagner/ Divulgação)

Após ouvir um ruído alto vindo do quarto de Reinaldo de madrugada e avistarem o homem deixando o local, vizinhos chamaram a polícia. No local, havia muito sangue espalhado e sinais de luta. “A casa estava uma coisa impossível de entrar, tinha muito sangue. Ele era muito forte, tinha um força absurda. Ele deve ter lutado muito”, lamentou Vavá Botelho.

Reinaldo Pepe fazia parte do BFB há 15 anos. “Em 27 anos de balé, a gente nunca teve alguém como ele. Era o principal bailarino da companhia, era solista, professor e um bailarino excepcional. Não se encontra alguém com a força, o vigor dele”, disse Vavá.

Pepe estampava outdoors de uma turnê do Balé Folclórico que vai acontecer no próximo mês nos Estados Unidos. “Daqui a um mês isso vai estar acontecendo em Nova York e a gente vai sem ele. É muito duro para o Balé, para a arte, para tudo. É uma perda inestimável”, declarou Vavá.

O corpo do bailarino foi sepultado na tarde de segunda-feira (16), no cemitério Campo Santo, no bairro da Federação. Vestidos de branco, amigos, familiares e companheiros de trabalho prestaram as últimas homenagens à vítima.

Presente na cerimônia, o presidente do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, lamentou a morte de Reinaldo Pepe e afirmou que qualquer assassinato de um homossexual tem que ser tratado como crime homofóbico. “Esse é o oitavo assassinato de homossexuais na Bahia. Até agora, foram 66 no Brasil”.

*As informações são do jornal Correio.