Site conta historia de pessoas que convivem com HIV/AIDS .


O site Vidas em Crônica foi criado para dar voz àqueles que desejam contar suas histórias, suas experiências e, de alguma forma, dar força a quem precisa enfrentar a doença, o preconceito e a discriminação. Esse espaço serve para estimular os soropositivos e as pessoas que convivem com HIV/aids a descreverem suas trajetórias de vida, a fim de promover a redução de estigma dessas pessoas, bem como promover um histórico da resposta brasileira em HIV/aids. Resultado do concurso “Vidas em Crônica: Retratos da Aids no Brasil”, também tem a finalidade de estimular a produção literária, incentivar a cultura e divulgar aspectos sociais e culturais que marcaram a epidemia de aids, sob a ótica de pessoas que vivem ou convivem com HIV/aids. O concurso selecionou 15 histórias reais, ambientadas nas décadas de 1980, 1990 ou período de 2000 até os dias atuais.
Visite o site conheças historias de pessoas como Francisco Antônio, que relata em sua carta o momento da descoberta da sua sorologia e das dificuldades e sofrimento com a descoberta em um exame de rotina,porém não esconde sua lutar diária pela vida.

Superação para viver!!!!!

Sou natural do litoral sul de Pernambuco, de Porto de Galinhas. Mudei para São Paulo por achar que aqui tudo é fácil. Aqui a gente encontra de tudo! Aos 10 anos de idade perdi minha mãe, que faleceu em uma batida de automóvel. Por isso, passei a morar com meus três irmãos – sou o caçula de quatro filhos. Já em São Paulo, comecei a trabalhar no ramo de gastronomia em shopping. Lá conheci e me envolvi com um segurança por 2 anos.
Depois deste relacionamento, fiz um cadastro em um site em busca de um novo parceiro. E encontrei!!! Eu tinha 22 anos e ele 38. Começamos a namorar, morávamos em cidade diferente e nos encontrávamos três vezes no mês. Eu continuava trabalhando em shopping e ele na política. No 1º ano de namoro, ele descobriu que estava com sífilis. Como nunca transávamos com preservativos, fiz o teste HIV e VDRL. Deu reagente para sífilis e não reagente para HIV. Ele era doador de sangue (e se testava sempre) e eu fazia o teste sempre que necessário.
Certo dia, fui ao médico e solicitei por espontânea vontade o HIV. Quatro dias depois, a doutora do laboratório ligou pedindo para eu retornar à unidade para refazer a segunda, sou muito ansioso e não consigo esperar tal data para receber o resultado, acessei o site do laboratório e fui olhando os exames para minha maior surpresa HIV reagente… Positivo para HIV 1, método Western blot, na hora fechei os olhos e cai em prantos, achando que não fosse verdade, que não estivesse acontecendo comigo….
Chorei, passei 2 dias sem comer absolutamente nada só bebendo água e chorando, no trabalho as pessoas me perguntavam o que estava acontecendo eu tive que mentir, falando se tratar de assuntos familiares, pensei em fazer mil loucuras, acabar com minha vida antes de a doença invadir meu corpo. Pensei: tenho 26 anos hoje, não sou e não tenho nada, o que ganhei hoje foi uma condenação de morte, na vida tudo tem seu preço, e Deus sabe o que faz, no entanto seria covardia minha cometer um suicídio… Olhava para as pessoas e falava comigo mesmo este tem HIV, esta tudo tem!!!
Eu estava querendo culpar as pessoas de algo que elas não tiveram culpa… Comuniquei ao meu parceiro de 4 anos o ocorrido, ele na hora não acreditou e me culpava o tempo todo dizendo que foi eu que tinha transmitido o vírus, que ele era da política, que isto não era verdade, chegou a tal ponto que ele achava que eu estivesse fazendo chantagem com ele. Nesta hora eu mesmo falei para ele: não tem culpados agora temos que aguentar as consequências do destino, falei que iria começar a tomar a medicação conforme o que o médico iria dizer esta semana, ele recuso-se a fazer o tratamento…
Eu vou seguir em frente, zerar tudo, e começar uma nova vida, uma vida própia entre você e o HIV. Por ainda existir preconceitos ainda ninguém sabe de minha família e nem no trabalho, moro sozinho aqui…Hoje faço parte da estatística de mais um infectado, mas com força e garra de viver a vida intensamente, lutar para o mundo mais humano, decente! Onde a aids mata e não vê cara!!!!
Usem camisinha em todas as relações, não acredite na palavra amor, eu te amo, sou fiel….Seja fiel a você mesmo, ame você mesmo, quem ama cuida, protege, te dá as mãos quando você está caído e não passa por cima. Fingir que nada aconteceu e nada está acontecendo é perder tempo para a vida. Em um filme vi esta frase e hoje repito ela sempre TUDO É UMA DÁDIVA DO UNIVERSO KEN KEYS JÚNIOR.

Share

Deixe um comentário