Silas Malafaia de Frente com Gabi

O líder da Assembleia de Deus, Silas Malafaia, foi o entrevistado de Marília Gabriela neste domingo (04), no SBT. Famoso por seu radicalismo em nome da “família”, da “moral” e das escrituras bíblicas, o pastor de 54 anos esteve de frente com Gabi na defesa de suas crenças em contraponto a visível irritação da entrevistadora.

Comparando homossexuais a bandidos e afirmando não acreditar na capacidade de dois homens, ou duas mulheres, criarem uma criança, o pastor da Assembleia de Deus parece não temer a defesa de ideias retrogradas, radicais, homofobicas e perigosas, sempre reacendendo o ódio e a intolerância social.

O líder evangélico, que em um momento da entrevista insinuou ser sucessor de Cristo, questionou o radicalismo da religião mulçumana (?), a estabilidade da sociedade e a inexistência de homossexuais na sua igreja – segundo o líder, existem somente os que desejam se “curar”, e por fim, afirmou com veemência, que pastores evangélicos homossexuais jamais serão aceitos em suas igrejas.

Questionado sobre sua reação a ter um filho gay, Silas garantiu que o amaria incondicionalmente, mas jamais aceitaria sua escolha, e comparou essa sua atitude ao amor de uma mãe que visita seu filho assassino na penitenciaria.

Marília Gabriela, quem em um dos intervalos garantiu que “não bateria no pastor”, mostrou-se indignada e incomodada com o pensamento do entrevistado, tendo posicionamento questionador, incisivo e revoltado, sendo ela ali não somente uma entrevistadora, mas uma representante da sociedade contemporânea que não aceita a propagação da violência alimentada por esse homem em nome de Deus.

Por Rodrigo Almeida

Colunista Dois Terços

Veja o programa aqui

Share

Deixe um comentário

*