São Paulo realiza evento para marcar início da oferta de PrEP na cidade

AIDS em pauta, Notícias
22 de janeiro de 2018
por Genilson Coutinho

São Paulo deu inicio na última Quinta-feira (18) a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) ao HIV. Para marcar o início da oferta dessa nova tecnologia de prevenção à infecção pelo HIV, a cidade realizou evento lançamento no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Santo Amaro.  A cerimônia, seguido de debate com jornalistas e blogueiros convidados, será transmitido ao vivo pela internet via mediacenter.aids.gov.br e contará com a presença da diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken; e das coordenadoras municipal e estadual de DST/Aids de São Paulo, Cristina Abbate e Maria Clara Gianna.

Nesta fase inicial, a profilaxia está disponível no CTA de Santo Amaro, na zona Sul, bem como nos Serviços de Assistência Especializada (SAEs) Butantã, na zona Oeste, de Fidélis Ribeiro, na zona Leste, e no Ceci, também na zona Sul. Em fevereiro, a PrEP chega ao CTA Pirituba, na região Norte. Outras três unidades estaduais de saúde presentes na capital também vão ofertar a Profilaxia Pré-Exposição: Serviço de Extensão ao Atendimento de Pacientes HIV/AIDS (SEAP) – Casa da AIDS – Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Ambulatório de HIV/AIDS da Escola Paulista de Medicina (EPM)/ Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e o Centro de Referência e Treinamento (CRT) em DST/AIDS.

Além da capital, o estado conta com mais cinco serviços que também ofertarão PrEP: Campinas, Ribeirão Preto, Santos, São Bernardo e São José do Rio Preto.

No total, no país todo, a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) está disponível em 36 serviços do SUS em 22 cidades brasileiras de 10 estados e do Distrito Federal.

Confira aqui a lista completa dos serviços que passam a ofertar o medicamento de prevenção ao HIV.

Para a diretora do DIAHV, Adele Benzaken, a PrEP é uma tecnologia que vem impactando diretamente na resposta ao HIV. “Há estudos na França que mostram que a PrEP tem sido capaz de impactar na queda dos números de novas infecções. Temos certeza que no Brasil não será diferente. Por essa razão, até o final do primeiro semestre vamos ampliar a oferta da profilaxia para todos os estados.”

PÍLULA DIÁRIA – A PrEP é uma profilaxia que previne a infecção pelo HIV por meio da administração diária de uma pílula que contém dois medicamentos antirretrovirais: tenofovir + entricitabina. Esses medicamentos bloqueiam alguns caminhos que o HIV usa para infectar o organismo.

A PrEP não é para todos. Ela é indicada somente para populações mais vulneráveis ao HIV – gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, trabalhadores/as do sexo e casais sorodiferentes – e que também tenham maior chance de entrar em contato com o vírus, por não usarem preservativos nas relações sexuais e estarem mais expostas ao risco de infecção.

“Os profissionais dos nossos serviços foram capacitados ao longo de todo o ano passado para identificarem pessoas com o perfil para uso da profilaxia. Por isso, as pessoas que se enquadrarem no protocolo de vulnerabilidade podem procurar as unidades da Rede Municipal Especializada em ISTs/Aids de São Paulo que agora estão oferecendo a PrEP para se informarem”, diz Cristina Abbate.
Disponível no SUS a partir de dezembro de 2017, a PrEP se inclui como mais uma opção no leque de alternativas oferecidas pela Prevenção Combinada – nova abordagem para a resposta ao HIV, que possibilita a escolha e combinação de diversas estratégias preventivas – uso de preservativos, testagem, tratamento e Profilaxia Pós-Exposição (PEP) – de acordo com as necessidades e ao momento de vida de cada usuário. O Brasil é o primeiro país da América Latina a contar com a PrEP entre as alternativas de prevenção ao HIV em seu sistema público de saúde.