São Paulo ganha seu Museu da Diversidade

Sem categoria
13 de junho de 2012
por Genilson Coutinho

A cidade de São Paulo abriu na última  sexta-feira, 8 de junho, o Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual (CCDS), uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Paulo que ocupa um espaço simbólico dentro da estação República do Metrôpaulistano para dar visibilidade à diversidade sexual. O acervo do Museu da Diversidade é colaborativo e qualquer pessoa que tenha um material interessante sobre o tema pode contribuir.

A inauguração aproveitou a movimentação do 16º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo e abriu as portas para receber exibição de filmes LGBT e exposição com as camisetas de todas as edições anteriores da Parada do Orgulho LGBT paulistana, algumas camisetas de iniciativas do interior do Estado e as selecionadas em 2011 na campanha “Homofobia Fora de Moda”, realizada em parceria com a Casa de Criadores e que já confirmou segunda edição neste ano.

“A pessoa pode participar da criação do Museu, não é um acervo fechado, recebemos até um repente LGBT nesta semana, nunca tinha visto, achei muito legal”, explica Nilton Paiva, coordenador do Centro de Cultura, destacando ainda que “o Metrô foi bárbaro com a gente, eles estão sendo muito receptivos”. Ele informa que quem quiser enviar o material para doação, ou expor seu trabalho, pode entrar em contato pelo e-mail centrodiversidadesexual@sp.gov.br.

O local ocupado ficava fechado na estação República até esta semana, quando ganhou projeto de design da Esquerda Comunicação e adesivos super descolados e coloridos da Guapo Gráfica. O espaço é simbólico, sendo que o Centro de Cultura em si ainda busca por um imóvel no centro paulistano para se instalar. Na República, o Museu fica aberto até o próximo dia 29, das 10h às 20h, com entrada gratuita.

Depois desta data, ele fecha temporariamente para mais ajustes e reabre prevendo já itinerância de exposições pelo Estado. “Em janeiro de 2013 queremos fazer uma exposição que seja anual sobre o Holocausto em parceria com a comunidade judaica”, adianta Nilton. Em meio ao burburinho da inauguração, a reportagem observou um transeunte olhando para o espaço e declarando que “é Adão e Eva, mano, que viado o que!”. Prova cabal da necessidade de uma ocupação como essa.

O Centro de Cultura é uma parceria entre Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual (Cads) de São Paulo, Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, Casa de Criadores e Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias da Secretaria da Cultura paulista. Aqui embaixo você confere como ficou o espaço. Com informações do Mixbrasil