Salvador ganha Mercado Iaô a partir deste domingo (14)

Serviços
14 de dezembro de 2014
por Genilson Coutinho

mercado

Um espaço plural, capaz de abraçar diversas linguagens artísticas e gerar oportunidades para diferentes ramos da economia criativa, irá abrir as portas todos os domingos, a partir deste domingo(14),  em Salvador.

O Mercado Iaô irá funcionar na área externa da antiga Fábrica de Linhos Nossa Senhora de Fátima, na Ribeira, e é mais um projeto da Associação Fábrica Cultural, que há 10 anos atua na Península de Itapagipe, e tem como presidente a cantora Margareth Menezes.

A multiplicidade de propostas artístico-culturais, o fomento ao empreendedorismo e o resgate da identidade cultural da Bahia são as linhas que desenham o conceito do Mercado Iaô. O espaço traz a proposta de funcionar como centro de referência em economia criativa, artes e entretenimento para os moradores de Salvador, com reflexo no turismo cultural baiano.

Como pano de fundo, o espaço cumpre a função de fazer da cultura um fio condutor para a inclusão socioeconômica e desenvolvimento social, reforçando as possibilidades de divulgação e valorização da produção cultural da região da Península de Itapagipe, onde se concentra a atuação da Fábrica Cultural a partir de diversos projetos.

O Mercado Iaô irá ocupar um espaço de 7 mil m², com a reunião de expositores de artesanato, moda, decoração, gastronomia, antiguidades, literatura, artes plásticas, música, entre outras linguagens artísticas. Juntos, eles irão compor uma proposta inédita de ocupação criativa de um espaço que, futuramente, se tornará a nova sede da Fábrica Cultural.

A ideia é que o Mercado Iaô impulsione a captação de recursos para a reforma do casarão propriamente dito, cedido pelo Governo do Estado para a Fábrica, e este venha a se tornar um centro de referência em cultura para a cidade, propondo um novo olhar sobre a Cidade Baixa.

“Queremos tornar possível que o casarão vibre em arte, cultura, consciência e transformação para o povo da Península de Itapagipe e de Salvador. Costumo dizer que a Fábrica Cultural parte da questão da qualidade humana e do estímulo às potencialidades. O Mercado Iaô nasce como embrião de algo que deve se tornar muito maior”, comenta a cantora e presidente da Fábrica Cultural, Margareth Menezes. Ela assina a direção do espaço artístico cultural do mercado, que propõe um repertório diversificado de música, dança e manifestações culturais a cada domingo.

IAÔ – Iaô é uma palavra em Iorubá, que significa iniciação, e é dela que a diretora de projetos da Fábrica Cultural, Teresa Carvalho, tem partido para falar sobre o ineditismo do projeto. “O Mercado Iaô, como seu nome insinua, inicia algo novo, uma ação social com convergência de linguagens na área da economia criativa, num formato inovador em que dialogam desde pequenas associações culturais a grandes empresas privadas e esferas do poder público”.

Nas suas edições dominicais, o Mercado Iaô se apresentará para os visitantes como um espaço de acesso a diferentes manifestações da cultura popular local. A Bahia e sua peculiar produção artística serão marcantes na cara e no astral da feira, que, além de entretenimento e negócios, se propõe a ser um lugar para viver experiências a partir da singularidade da sua proposta.

 

A ideia é que o espaço promova o diálogo entre diferentes setores criativos e artísticos, que nasce no universo da Península de Itapagipe, mas extrapola envolvendo toda a cidade, a Bahia e outros estados do país, de onde também virão atores criativos para compor edições da feira.

“O Mercado Iaô se apresenta como um complexo multicultural que fortalece a identidade da Bahia, propõe a vivência de diferentes experiências e estimula o intercâmbio entre a Península de Itapagipe e o resto da cidade, entre a Bahia e o mundo, trazendo um novo olhar  para a Cidade Baixa a partir da valorização desse território e de um equipamento cultural que o representa”, realça a diretora-executiva da Fábrica Cultural, Jaqueline Azevedo.

Programação – Entre as inúmeras atrações do Mercado Iaô, estarão 50 expositores de artesanato que têm em comum a inspiração na identidade da Bahia; uma ala de gastronomia com 20 expositores, entre restaurantes e chefs de cozinha; um espaço infantil onde acontecerão atividades formativas, como contação de histórias; e um espaço artístico cultural, onde acontecerão apresentações de música, arte, teatro e poesia, com destaque para as atrações musicais principais que sobem no palco entre 16h e 18h30.

“Queremos criar um palco de livre expressão e improviso, onde os artistas convidados decidirão o que falar e o que cantar. Bandas de fanfarra, filarmônicas, grupos de expressão de rua, de folclore e bandas afros terão sempre espaço na programação. São muitos domingos e muita coisa para acontecer”, adianta Margareth Menezes.

A cada domingo, o Mercado Iaô terá uma nova programação, com diferentes atrações e convidados. De acordo com seu projeto inicial, a feira criativa funcionará durante um ano, até dezembro de 2015.

O Mercado Iaô é uma realização da Associação Fábrica Cultural, com patrocínio da GVT, Coelba e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O projeto conta com parceria de gestão de espaço compartilhada com o Detran, e apoio do Sebrae, Instituto Mauá, Bahiatursa e Prefeitura de Salvador, por meio da Fundação Gregório de Matos.