Sala Alexandre Robatto exibe o documentário Âncora do Marujo

Comportamento, Social
1 de setembro de 2015
por Genilson Coutinho
Valerie O'rarah é uma das estrelas do doc. (Foto: Genilson Coutinho)

Valerie O’rarah é uma das estrelas do doc. (Foto: Genilson Coutinho)

Para celebrar o mês da Diversidade Sexual, a Sala Alexandre Robatto, do Complexo Cultural dos Barris, abre espaço para exibição do documentário Âncora do Marujo, dirigido por Victor Nascimento, com apresentações diárias de 1 a 13 de setembro, às 16h (exceto nos dias 7 e 12) e entrada franca. O filme revela os bastidores de um dos bares mais tradicionais da cena LGBTTs de Salvador, o Âncora do Marujo, localizado na Rua Carlos Gomes e é o último reduto do transformismo na capital baiana.

O documentário mostra toda a irreverência do estabelecimento que é um dos mais queridos do universo LGBTT de Salvador e da classe artística, que ali encontra um misto de boemia e o último espaço vivo da arte do transformismo, onde drag queens fazem performances que transitam entre o glamour, a decadência e o humor. A obra faz um retrato divertido e musical de um estabelecimento pitoresco de Salvador, para enfim chegar à compreensão do transformismo como arte e do bar como um território a ser estudado.

Histórias cativantes e comoventes vão sendo apresentadas, assim como a força do trabalho dos transformistas e os desafios de viver de uma arte ainda pouco reconhecida e muito tangenciada por preconceitos. “O documentário Âncora do Marujo é um projeto no qual trabalho desde 2011. Eu frequentava o bar com amigos e sempre me senti intrigado pelo seu universo – um dos últimos redutos de transformistas de Salvador, que mistura música, sensualidade e religião. Foi aí que surgiu a ideia de fazer um documentário, observando o cotidiano do bar e dos seus personagens” revela o cineasta.

A filmagem aconteceu durante duas semanas, culminando com a celebração do Dia do Marujo, a entidade da Umbanda que dá nome ao bar e representa um mensageiro das águas. “E acabei me emocionando com as histórias de vida que encontrei, e me encantei com o talento desses artistas, que dão tudo de si a cada apresentação. O resultado é um documentário musical que é a cara de Salvador” acrescenta Nascimento.
Nomes importantes do transformismo na cidade figuram em “Âncora do Marujo”, como a drag queen Valerie O’rarah, que se destaca por interpretar cantoras românticas da música brasileira como Alcione, Maria Bethânia e Mariene de Castro; Scarleth Sangalo, que conquistou as plateias fazendo imitações de Ivete Sangalo; e Mitta Lux, transformista que chama atenção pelo glamour e números musicais do pop e cabaré.

Serviço: Sala Alexandre Robatto (Barris). De 1 a 13 de setembro (exceto nos dias 7 e 12), às 16h. Classificação indicativa: 14 anos.