Ruth de Souza será a grande homenageada na 12ª edição do grande prêmio de cinema brasileiro

Sem categoria
24 de outubro de 2013
por Genilson Coutinho

Maior premiação do cinema nacional, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro entra em sua segunda fase de votação para definir os filmes e profissionais de cinema que se destacaram no ano de 2012. Escolhidos pelos membros da Academia Brasileira de Cinema e também pelo público, os vencedores receberão o Troféu Grande Otelo durante a cerimônia de premiação que será realizada no dia 13 de novembro, às 21h, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O Grande Prêmio será exibido ao vivo, a partir das 20h45 no Canal Brasil, e também no site www.canalbrasil.com.br. O evento terá mais uma vez a direção artística de Ivan Sugahara, um dos diretores teatrais mais requisitados da atualidade (“A Serpente”, “Vida, O Filme”), com cenografia de Nello Marrense e iluminação de Paulo César Medeiros.

 VOTAÇÃO POPULAR

Após a primeira fase de votação – restrita aos membros da Academia, os cinco mais votados em cada uma das 25 categorias configuram a lista dos finalistas. A votação dos acadêmicos é auditada pela PwC. Nesta segunda fase, o público também participa da votação para escolher os melhores longas-metragens de ficção, estrangeiro e documentário através do site www.academiabrasileiradecinema.com.br ou pela fan page (www.facebook.com/GPdoCinemaBrasileiro). A votação popular começa no dia 25 de outubro (sexta-feira) e termina um dia antes da cerimônia, em 12 de novembro.

“Do ponto de vista profissional, ao premiar os realizadores todos os anos, a Academia consolida o cineasta de cinema junto aos seus pares e à opinião pública; fortalece a família do cinema brasileiro e ressalta a importância da nossa atividade na economia”, explica Roberto Farias, presidente da Academia Brasileira de Cinema. “Do ponto de vista afetivo, é uma consagração, um carinho que os colegas dedicam ao premiado, reconhecendo seu trabalho e sua importância no cinema brasileiro”, completa.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é organizado pela Academia Brasileira de Cinema e realizado pela Espaço/Z, e conta com o patrocínio da TV Globo através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura e da Prefeitura do Rio de Janeiro através da RioFilme. A premiação tem ainda copatrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, Cinemark e Telecine e apoio da Globo Filmes, Canal Brasil, PwC, Kinoplex, Filme B, Clear Channel, UCI Cinemas, AdoroCinema, Sony Pictures, Downtown Filmes, Lereby, Warner Bros., Paris Filmes, Fox Filmes, Europa Filmes, Mixer, O2 Filmes e Paramount Pictures.

FINALISTAS

Liderando a lista dos finalistas está o filme “Gonzaga de Pai para Filho”, de Breno Silveira, que recebeu 15 indicações, seguido de perto por “Xingu”, de Cao Hamburguer, com 13. “Corações Sujos”, de Vicente Amorim, teve dez indicações e “Heleno”, de José Henrique Fonseca, recebeu nove indicações. “2 Coelhos”, Afonso Poyart, foi indicado em oito categorias e “Febre do Rato”, de Claudio Assis, e “Paraísos Artificiais”, de Marcos Prado, teve cinco indicações. Concorrendo em três categorias aparecem os filmes “À Beira do Caminho” e “Boca”, além dos documentários “A Música segundo Tom Jobim”, “Raul – O início, o fim e o meio” e “Tropicália”. Os filmes “Sudoeste”, “Reis e Ratos”, “Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha” e “E aí… Comeu?” receberam duas indicações cada. Com uma indicação estão “Era uma vez eu, Verônica”, “Os Penetras”, “Astro – Uma Fábula Urbana em um Rio de Janeiro Mágico”, “Disparos”, “Menos que nada”, “Violeta foi para o Céu”, “5x Pacificação”, “Marighella”, “Marcelo Yuka no caminho das Setas” e “Uma Longa Viagem”.

Os finalistas na categoria Melhor Longa-Metragem Infantil são “31 Minutos”, de Álvaro Díaz e Pedro Peirano; “Brichos – a Floresta é Nossa”, de Paulo Munhoz; “Cocoricó Conta Clássicos”, Fernando Gomes e “Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A”, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. “Brichos – a Floresta é Nossa” e “Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A” também disputam o prêmio de Melhor Longa-Metragem de Animação.

Na categoria Melhor Longa-Metragem Estrangeiro participam: “A Invenção de Hugo Cabret”, dirigido por Martin Scorsese (distribuição de Paramount Pictures); “A Separação”, de Asghar Farhadi (Imovision); “Argo”, de Ben Affleck (Warner Bros.); “As Aventuras de Pi”, dirigido por Ang Lee (Fox Filmes); e “Intocáveis”, de Olivier Nakache (California Filmes).

“A Mão que Afaga”, “A Melhor Idade”, “A Onda traz o Vento Leva”, “Laura” e “O Duplo” foram selecionados para o prêmio de Melhor Curta de Ficção de 2012, enquanto “A Cidade”, “Desterro”, “Elogio da Graça”, “Filme para Poeta Cego” e “Quem tem Medo de Cris Negão?” disputam o prêmio de Melhor Curta-Metragem Documentário. Na categoria Curta-Metragem Animação foram classificados “Cabeça de Papelão”, “Dia Estrelado”, “O Ogro”, “Realejo” e “Valquíria”.

 HOMENAGENS

Pioneira no cinema, teatro e televisão, a atriz Ruth de Souza será a grande homenageada do XII Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Ela começou a carreira nos palcos em 1945 com o Teatro Experimental do Negro, criado por Abdias do Nascimento e Agnaldo Camargo, na peça O Imperador Jones, de Eugene O´Neil. Tornando-se a primeira atriz negra a se apresentar no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Nos cinemas, Ruth estreou em 1948 no filme Terra Violenta, adaptação do romance Terras do Sem Fim, dirigido por Edmond Bernoudy. Focada em trabalhos no cinema, participou de diversas produções das três empresas pioneiras do mercado: Atlântida, Maristela Filmes e Vera Cruz. Seu elogiado desempenho no filme Sinhá Moça, dirigido por Tom Payne, rendeu a primeira indicação de uma atriz brasileira a um prêmio internacional: o Leão de Ouro do Festival de Veneza, em 1954. A vasta carreira no cinema soma mais de 30 filmes, entre eles Ravina, O Assalto ao Trem Pagador (1962), A Grande Arte (1991), Um Copo de Cólera (1999), e As Filhas do Vento (2004), pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Gramado.

Diretor, produtor, roteirista, professor e assistente de direção dos mais importantes do cinema nacional, Roberto Santos será homenageado post morten do Grande Prêmio. Já Ismail Xavier, um dos mais respeitados críticos e estudiosos do cinema nacional e internacional, receberá o Prêmio Especial de Preservação.

 MESTRES DO RISO

A identificação do público brasileiro com as comédias será o tema da cerimônia do Grande Prêmio deste ano. Mestres do riso que fazem parte da história de sucesso das comédias no cinema nacional desde Oscarito, Grande Otelo, Mazzaroppi, Dercy Gonçalves, Os Trapalhões até os grandes sucessos lançados nos últimos anos serão lembrados pela Academia. Por sinal, 2012, foi um ano especial para o gênero: os três filmes nacionais de maior bilheteria eram comédias e somaram mais de 8 milhões de espectadores.

“Este não é um fenômeno novo. O brasileiro gosta de se divertir e o cinema nacional sempre soube atender a sua expectativa. Desde os tempos de Oscarito e Grande Otelo as comédias divertem nosso público”, diz Roberto Farias. “O cinema brasileiro sempre foi diversificado. Para um país de dimensões continentais, nossos cineastas produzem filmes de diferentes tendências, buscam novos caminhos, sempre preocupados em penetrar na alma do brasileiro, na sua história, nos costumes e no comportamento de nosso povo. Essa é a riqueza do nosso cinema”, afirma.

 FINALISTAS GP2013
MELHOR LONGA–METRAGEM DE FICÇÃO

CORAÇÕES SUJOS de Vicente Amorim. Produção: Vicente Amorim, João Daniel Tikhomiroff, Gil Ribeiro, Michel Tikhomiroff e Caique Ferreira por Mixer
FEBRE DO RATO de Claudio Assis. Produção: Claudio Assis por Parabólica e Julia Moraes por Belavista.
GONZAGA DE PAI PARA FILHO de Breno Silveira. Produção: Breno Silveira, Eliana Soárez por Conspiração Filmes e Marcia Braga por D+ filmes
HELENO de José Henrique Fonseca. Produção: José Henrique Fonseca, Rodrigo Teixeira, Eduardo Pop e Rodrigo Santoro por RT Features
XINGU de CaoHamburger. Produção: Fernando Meirelles, Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck por O2 Filmes

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO

5X PACIFICAÇÃO de Cadu Barcellos, Luciano Vidigal, Rodrigo Felha e Wagner Novais. Produção:Renata Almeida Magalhães e Carlos Diegues por Luz Mágica Produções
A MÚSICA SEGUNDO TOM JOBIM de Dora Jobim e Nelson Pereira dos Santos. Produção: MarciaPereira dos Santos por Regina Filmes, Mauricio Andrade por Videofilmes, Rodrigo Saturnino Braga porSony Pictures
RAUL – O INÍCIO, O FIM E O MEIO de Walter Carvalho. Produção: Denis Feijão por ElixirEntretenimento e Alain Fresnot por A.F Cinema e Vídeo
TROPICÁLIA de Marcelo Machado.Produção: Denise Gomes e Paula Cosenza por BossaNovaFilms
UMA LONGA VIAGEM de Lucia Murat. Produção: Lucia Murat por Taiga Filmes

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

31 MINUTOS de Álvaro Díaz e Pedro Peirano. Produção: Juan Manuel Egaña por Aplaplac e User T38, Mascos Didonet, Vilma Lustosa e Walkiria Barbosa por Total Entertainment
BRICHOS – A FLORESTA É NOSSA de Paulo Munhoz. Produção: Daniella Michelena e Paulo Munhoz por Tecnokena
COCORICÓ CONTA CLÁSSICOS de Fernando Gomes. Produção: Giseli Malafronte, Patricia Barretos, Fernanda Pedroso, Regina Aranha por TV Cultura
PEIXONAUTA – AGENTE SECRETO DA O.S.T.R.A de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. Produção: Célia Catunda, Kiko Mistrorigo e Ricardo Rozzino por TV PinGuim

MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO

BRICHOS – A FLORESTA É NOSSA de Paulo Munhoz. Produção: Daniella Michelena e Paulo Munhoz por Tecnokena
PEIXONAUTA – AGENTE SECRETO DA O.S.T.R.A de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. Produção: Célia Catunda, Kiko Mistrorigo e Ricardo Rozzino por TV PinGuim

MELHOR DIREÇÃO

AFONSO POYART por 2 Coelhos
BRENO SILVEIRA por Gonzaga de pai para filho
CAO HAMBURGER por Xingu
CLAUDIO ASSIS por Febre do rato
WALTER CARVALHO por Raul – o início, o fim e o meio

MELHOR ATRIZ

ALESSANDRA NEGRINI como Julia por 2 Coelhos
DIRA PAES como Rosa por À beira do caminho
HERMILA GUEDES como Verônica por Era uma vez eu, Verônica
NANDA COSTA como Eneida por Febre do Rato
SIMONE SPOLADORE como Clarice por Sudoeste

MELHOR ATOR

CAIO BLAT como Leonardo Villas Boas por Xingu
DANIEL DE OLIVEIRA como Hiroito por Boca
JOÃO MIGUEL como Claudio Villas Boas por Xingu
JÚLIO ANDRADE como Gonzaguinha 35/40 anos por Gonzaga de pai para filho
RODRIGO SANTORO como Heleno por Heleno

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

ANDREA BELTRÃO como Laura por Os Penetras
ÂNGELA LEAL como Dona Marieta por Febre do Rato
DIRA PAES como Conceição por Sudoeste
LEANDRA LEAL como Silvia por Boca
ZEZÉ MOTTA como Priscila por Gonzaga de pai para filho

MELHOR ATOR COADJUVANTE

ÂNGELO ANTÔNIO como Afonso por À beira do caminho
CLAUDIO CAVALCANTI como Dr. Ismael por Astro, uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico.
DOMINGOS MONTAGNER como Coronel Raimundo por Gonzaga de pai para filho
EDUARDO MOSCOVIS como Subdelegado por Corações sujos
JOÃO MIGUEL como Miguelzinho por Gonzaga de pai para filho

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

ADRIAN TEIJIDO, ABC por Gonzaga de pai para filho
ADRIANO GOLDMAN,ABC por Xingu
LULA CARVALHO por Paraísos Artificiais
RODRIGO MONTE por Corações Sujos
WALTER CARVALHO por Heleno

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

CASSIO AMARANTE, ABC por Xingu
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por Gonzaga de pai para filho
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por Paraísos Artificiais
DANIEL FLAKSMAN por Corações Sujos
MARLISE STORCHI por Heleno

MELHOR FIGURINO

ANA AVELAR E CLAUDIA KOPKE por Gonzaga de pai para filho
CLAUDIA KOPKE por Paraísos Artificiais
CRISTINA KANGUSSU por Corações sujos
RITA MURTINHO por Heleno
VERÔNICA JULIAN por Xingu

MELHOR MAQUIAGEM

ANNA VAN STEEN por Xingu
DOEL SAUERBRONN por 2 Coelhos
LU MORAES por Reis e Ratos
MARILU MATTOS por Corações Sujos
MARTÍN MARCÍAS TRUJILLO por Gonzaga de pai para filho
MARTÍN MARCÍAS TRUJILLO por Heleno

MELHOR EFEITO VISUAL

CARLOS FAIA, GUS MARTINEZ E XICO DE DEUS por 2 Coelhos
CLAUDIO PERALTA por Gonzaga de pai para filho
HUGO GURGEL por Xingu
ROBSON SARTORI por Paraísos Artificiais
SERGIO FARJALLA JR por Corações sujos

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

AFONSO POYART por 2 Coelhos
ANNA MUYLAERT, CAO HAMBURGER E ELENA SOAREZ por Xingu
FELIPE BRAGANÇA, FERNANDO CASTETS E JOSE HENRIQUE FONSECA por Heleno
HILTON LACERDA por Febre do Rato
PATRÍCIA ANDRADE por Gonzaga de pai para filho

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

CARLOS GERBASE por Menos que nada. Adaptado do conto “O diário de Redengonga” de ArthurSchnitzler
DAVID FRANÇA MENDES por Corações sujos. Adaptado da obra “Corações Sujos” de FernandoMorais
FLAVIO FREDERICO E MARIANA PAMPLONA por Boca. Adaptado da Obra “Boca do Lixo” de Hiroitode Moraes Joanides
HELENA IGNEZ por Luz nas trevas – a volta do Bandido da luz Vermelha. Adaptado da Obra “Luz nastrevas – a volta do Bandido da Luz Vermelha” de Rogério Sganzerla
LUSA SILVESTRE E MARCELO RUBENS PAIVA por E ai… Comeu? Adaptado da obra teatral “E ai…Comeu?” de Marcelo Rubens Paiva

MELHOR MONTAGEM DE FICÇÃO

AFONSO POYART, ANDRÉ TOLEDO E LUCAS GONZAGA por 2 Coelhos
DIANA VASCONCELLOS por Corações sujos
GUSTAVO GIANI E VICENTE KUBRUSLY por Gonzaga de pai para filho
GUSTAVO GIANI por Xingu
SERGIO MEKLER por Heleno

MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO

JORDANA BERG por Marcelo Yuka no caminho das setas
LUELANE CORREA por A música segundo Tom Jobim
OSWALDO SANTANA por Tropicália
PABLO RIBEIRO por Raul – o início, o fim e o meio
VÂNIA DEBS por Marighella

MELHOR SOM

ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR. E VALÉRIA FERRO por À beira do caminho
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR., EDUARDO VIRMOND LIMA E LEANDRO LIMApor Paraísos Artificiais
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR., EDUARDO VIRMOND LIMA E PAULO RICARDO
NUNES por Xingu
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR.; EDUARDO VIRMOND LIMA, RENATO CALAÇA
E VALÉRIA FERRO por Gonzaga de pai para filho
ANDRÉ TADEU, RODRIGO FERRANTE, LIA CAMARGO E TIDE BORGES por 2 Coelhos

MELHOR TRILHA SONORA

ALEXANDRE KASSIN por Tropicália
CAETANO VELOSO E MAURO LIMA por Reis e Ratos
HELENA IGNEZ, LUCIO BRANCO, RODRIGO LIMA E SINAI SGANZERLA por Luz nas trevas – avolta do bandido da luz vermelha
PAULO JOBIM por A música segundo Tom Jobim
PLÍNIO PROFETA por E aí… Comeu?
JOSE MIGUEL MIRANDA E JOSE MIGUEL TOBAR por Violeta foi para o céu

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

AKIHIKO MATSUMOTO por Corações sujos
ANDRÉ ABUJAMRA E MARCIO NIGRO por 2 Coelhos
BERNA CEPPAS por Gonzaga de pai para filho
BERNA CEPPAS por Heleno
BETO VILLARES por Xingu

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

A MÃO QUE AFAGA, dirigido por Gabriela Amaral Almeida
A MELHOR IDADE, dirigido por Angelo Defanti
A ONDA TRAZ O VENTO LEVA, dirigido por Gabriel Mascaro
LAURA, dirigido por Thiago Valente
O DUPLO, dirigido por Juliana Rojas

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

A CIDADE, dirigido por Liliana Sulzbach
DESTERRO, dirigido por Cláudio Marques e Marília Hughes
ELOGIO DA GRAÇA, dirigido por Joel Pizzini
FILME PARA POETA CEGO, dirigido por Gustavo Vinagre
QUEM TEM MEDO DE CRIS NEGÃO?, dirigido por René Guerra

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

CABEÇA DE PAPELÃO, dirigido por QuiáRodrigues
DIA ESTRELADO, dirigido por Nara Normande
O OGRO, dirigido por Márcio Junior e Márcia Derétti
REALEJO, dirigido por Marcus Vinícius Vasconcelos
VALQUÍRIA, dirigido por Luiz Henrique Marques

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

A INVENÇÃO DE HUGO CABRET (Hugo, ficção, EUA) – dirigido por Martin Scorsese. Distribuição:
Paramount
A SEPARAÇÃO (The Separation, ficção, Irã) – dirigido por AsgharFarhadi. Distribuição: Imovision
ARGO (Argo, ficção, EUA) – dirigido por Bem Affleck. Distribuição: Warner Bros
AS AVENTURAS DE PI (Life ofPi, ficção, EUA) – dirigido por Ang Lee. Distribuição: Fox Filmes
INTOCÁVEIS (Intouchables, ficção, França) – dirigido por Olivier Nakache e Eric Toledano.
Distribuição: California Filmes