Rosa Passos estreia no projeto Toque Brasileiro

Música, No Circuito, Serviços
24 de dezembro de 2014
por Genilson Coutinho

rosa-passos_foto_vitor-sa

O projeto musical Toque Brasileiro terá sua primeira edição realizada no Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, nos meses de janeiro e fevereiro de 2015. A série de shows conta com o patrocínio da Oi e Governo da Bahia através do Fazcultura, com realização da DaCultura Projetos e Soluções e apoio da Globo FM. A ideia surgiu visando levar grandes atrações para a população com ingressos mais acessíveis, valorizando a música popular brasileira, e a produção musical local que estará presente em todas as apresentações.

A programação de shows traz a cantora Rosa Passos com abertura de Alexandre Leão no dia 14 de janeiro de 2015. Com atrações a serem confirmadas, outra dupla sobe no palco do TCA em fevereiro de 2015. Todas as apresentações acontecem na sala principal e os ingressos serão vendidos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

A artista baiana Rosa Passos é conhecida por sua peculiaridade na MPB e capacidade de improvisação do jazz. Com carreira internacional ampla, Rosa comemora 36 anos de carreira e já se apresentou em mais de 35 países, nos maiores teatros internacionais e festivais de jazz do mundo. Ela é, além de cantora, compositora e violonista, e já gravou 17 CDs, sendo o mais recente “Samba Dobrado”, dedicado à música de Djavan. Rosa já fechou parcerias com importantes artistas brasileiros como Ivan Lins e Chico Buarque.

Já o cantor Alexandre Leão começou sua carreira musical aos 17 anos, quando Maria Bethânia gravou a música “Paio de Ouro”, uma composição sua em parceria com Olival Mattos, no disco “Memória da Pele”. Depois disso, Leão teve diversas canções gravadas em trilha sonora de filmes e por outros artistas, como Arnaldo Antunes e Ivete Sangalo. Seu primeiro CD lançado em 1999, “Minha Palavra”, levou o prêmio Troféu Caymmi, na Bahia, como o melhor disco de 2000. Atualmente, Alexandre vem se apresentando ao lado de Margareth Menezes no show “Para Gil E Caetano”.

 

A Globo FM fez questão de emprestar o nome do programa para este projeto cultural, pois acredita no apoio à boa música e na necessidade de incentivo à ações que aproximem o público com menor poder aquisitivo de artistas de renome.