Ronaldo Fraga e Mário Queiroz discutem design e identidade no Bahia Moda Design

Sem categoria
24 de setembro de 2013
por Genilson Coutinho

O Bahia Moda Design, o primeiro evento de moda a acontecer em um estádio da Copa do Mundo, a Itaipava Arena Fonte Nova, nos dias 25 e 26 de setembro, em Salvador, vai reunir, além de desfiles, discussões em torno do atual panorama fashion brasileiro. Para isso estão programas duas mesas-redondas que vão reunir nomes como Ronaldo Fraga, Claudio Silveira, Mary Design e Mário Queiroz. Os encontros serão mediados por Phaedra Brasil, que é especialista em imagem e styling pelo SENAC SP e graduada em design de interiores pela UFBA. O BMD é realizado pelo SINDVEST, com patrocínio do SENAC, FIEB-SENAI e SEBRAE, e coordenado pela Projeto SSA.

Mesa 01 (25 de setembro) – Design X DNA da Marca

Participações:

Mário Queiroz – designer, professor e consultor de moda. Já apresentou suas coleções no São Paulo Fashion Week, Phytoervas Fashion e Dragão Fashion. É um dos responsáveis pelo projeto e implantação do curso de graduação de Design e Moda na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, onde coordenou e atuou no curso por 14 anos.

Mario Francisco – Bacharel em moda pela Faculdade SENAC de Moda/Esmod – L’Ecole Supériores dês Arts et techniques de La Mode. Desfila no evento Casa dos Criadores assinando a marca Der Metropol. Já desenvolveu coleções para marcas como TNG, M.Officer e Chillin Beans, e foi nomeado pela Puma como embaixador da moda, representando a marca no Brasil. Foi um dos 8 estilistas convidados pela ABIT para divulgar a moda brasileira em Paris e Londres, dentro do programa Ponto Zero.

João Damascena – Especialista em marketing e gestão de marcas que ganhou fama quando implantou em Salvador a primeira loja conceito da marca Hemp, conhecida por suas camisetas com estampas irreverentes, além dos CDs, livros e cafés. Hoje administra a MITO, também criada por ele, focada em um público diverso e que possui uma linguagem própria.

Jeferson Ribeiro – Publicitário de formação, especialista em Moda, Arte e Contemporaneidade pela UNIFACS, e ex-aluno do SENAC, possui uma marca com seu nome e já desfilou sua coleção no Dragão Fashion, em 2013. Suas peças são comercializadas em lojas multimarcas que contam com um público exigente e sofisticado.

Mesa 02 (26 de setembro) – Identidade da Moda Baiana (Brasileira)

Participações:

Ronaldo Fraga – nascido em Belo Horizonte quarenta e uns anos atrás, tornou-se estilista no susto. Nunca desejou sua carreira, não teve mãe costureira ou irmãs provando vestidos em casa e nunca brincou de boneca. Começou pelo simples fato de desenhar. ‘Trezentos anos depois’, continua ilustrando personagens para usar histórias: o que muitos chamam de moda.

Mary Design – nascida no Vale do Jequitinhonha, seu pai criou oito filhos com a profissão de alfaiate, que desde cedo inspiraria a caçula da família. Sem loja própria, com apenas um showroom localizado na região central de Belo Horizonte (MG), Mary faz questão de valorizas as próprias origens em suas peças.

Cláudio Silveira – há 14 anos realizador do Dragão Fashion Brasil, ele é insistente em dar relevância à moda autoral criada no país, reafirmando seu compromisso de ir sempre contra a corrente conformista. Não por acaso, em 2013, o evento Dragão Fashion definiu bem seu foco autoral e promoveu o intercâmbio de vivências entre os criadores (conceito) e as grandes marcas (comércio).

Virgínia Moraes – Designer e proprietária da marca Vivire. A ‘loja da praia’, como é chamada, consolidou o espírito da marca que respira o clima do sol e do verão, da alegria de viver e da disposição de começar novos dias. A marca consegue equilibrar seu mix entre biquínis e maios desejados e uma moda balneário de modelagem descontraída, que mescla tecidos naturais e nobres, cores neutras e estampas especiais.

Juliana Rabinovitz – Formada em estilismo e produção de moda pelo SENAC/BA e em Arquitetura e Urbanismo pela UFBA. Suas criações caracterizam-se pela irreverência, conforto e versatilidade, unidos à sofisticação e busca constante por qualidade. Participou de duas edições do Première Vision, com 100 estampas criadas por ela com inspiração nos mais diversos temas e referências, e sobretudo, em elementos da cultura brasileira e baiana.