Retrospectiva: os fatos que marcaram o cenário LGBT de Salvador em 2013

Sem categoria
27 de dezembro de 2013
por Genilson Coutinho

 

Ao longo de 2013 as lutas pelos direitos dos LGBTs em Salvador e no interior da Bahia ganharam força com o apoio dos governos e empresários. Nesta caminhada, que vai chegando ao final deste ano com grandes conquistas e com desejo de se construir cada vez mais cidadania, o site Dois Terços acompanhou de perto algumas das atividades que somaram para fortalecer a luta e desconstruir preconceitos, estabelecendo novos pensares em prol dos direitos humanos.

 Confira alguns dos fatos que marcaram o ano de 2013 na vida da comunidade gay:

Militância

A luta da militância liderada pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), pelo Fórum Baiano LGBT, Coletivos das Universidades Federais, grupo ADÉ diversidade, grupos do interior do estado e da região metropolitana, que juntos protestaram e pediram justiça e paz contra a onda de violência e assassinatos dos LGBTs na Bahia, estado que se mantém entre os primeiros em números de assassinatos de homossexuais.

Citamos por exemplo, o triste caso do jovem Itamar, assassinado no Campo Grande, e das meninas agredidas no interior da ACBEU, casos que concretizam a violência contra os homossexuais e seguem na pauta de luta em 2014, diante dos rumos dos processos na justiça.

Não podemos esquecer das constantes manifestações contra o ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos, que ocorreram nas principais ruas da cidade com um sonoro “Fora Feliciano”.

Parada Gay

A melhoria significativa na organização da Parada Gay da Bahia, que este ano ganhou novos atrativos com a realização de seminários, ampliação das feiras, além da inclusão da temática, com a presença de grandes personalidades, dentro da universidade durante a 2ª Semana da Diversidade. Também pode-se destacar a retirada dos trios de pagodes, fator positivo, comentado por baianos e turistas.

Este sucesso da Parada Gay conta com o apoio fundamental da Bahiatursa, por meio dos secretários Domingo Leonelli e Wesley Moreira, que acreditaram no potencial do evento e levaram para São Paulo um pouco da cultura da Bahia com objetivo de atrair os turistas para a Parada Gay de Salvador. Sem dúvidas, esse novo olhar do governo contribuiu significativamente para o sucesso desta festa, que contou com toda estrutura e publicidade necessária para atrair visitantes no período da Parada.

Direitos e conquistas

Este ano, as travestis e transexuais baianas foram capacitadas no curso de auxiliar administrativo promovido pelo Núcleo LGBT e coordenado por Paulett Furacão, através da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Governo da Bahia. Após a certificação, as travestis e transexuais foram cadastradas no SINE Bahia, na busca do primeiro emprego.

As lutas também ganharam força com a conquista do ‘nome social’ em Salvador e Lauro de Freitas, depois de muito protesto e denúncias realizadas pela ATRAZ, diante das negativas do Tribunal de Justiça da Bahia. As meninas conquistaram o direito de serem chamadas pelo nome escolhido por elas nos seus documentos.

A formação acadêmica também é motivo de celebração das meninas que encerraram o ano letivo no Colégio Estadual Senhor do Bonfim no Vale dos Barris, com saldo positivo e realização pessoal com a aprovação. Outra conquista a ser celebrada é a criação do Centro de Referência e Enfrentamento da Homofobia, projeto da vereadora Fabíola Mansur, aprovado pela Câmara Municipal de Salvador.

Mercado LGBT

O ano de 2013 foi marcado pelo crescimento dos serviços voltados para o público LGBT, que em contrapartida passou a exigir mais qualidade nos serviços para a comunidade Gay e pelo ‘abre e fecha’ de novos estabelecimentos voltados para este público, na cidade.

A notícia mais comentada sobre as casas noturnas ficou em torno do fechamento da Off Club. Depois de 13 anos no mercado, a boate fechou suas portas em outubro, dando lugar ao Amsterdam Pop Club.

O novo clube pop, que deixou o Largo do Aflitos para ocupar o espaço da Off, também não demorou muito e retornou no dia 22 de dezembro para os Aflitos.

A onda de mudanças chegou até o Franco Café, da empresária Márcia Franco, também dona da marca Off, que fechou o espaço para abrir a alternativa HOX, ao lado da San Sebastian Salvador. Os empresários do clube abriram o Dom Sushi Lounge, também no Rio Vermelho, criando um novo espaço para quem buscar qualidade e descontração.

Franco Café

Ainda no Rio Vermelho, o Cine Cabine 155 fechou as portas e mudou para o centro da cidade, na região da Piedade.

Dentre os novos espaço para o público LGBT estão a Sauna 57  Politeama e o Old  Young Music  Cabine Coletiva na Rua Coqueiros da Piedade, ao lado da academia Espaço Dez. O espaço oferece local de exibições de filmes em cabines fechadas, show de gogo boys em datas definidas pela casa e show com atores transformistas.

Ainda no centro, a comunidade gay ganhou o Caberet 54, que já anunciou que vai partir para Rio Vermelho, motivado pela falta de segurança.

Com ausência de novos espaços públicos e o fechamento das barracas da Praia do Artistas, a turma escolheu o porto da Barra nas tarde de domingo para os grandes encontros, paqueras e fechação.

Corre boato na cidade de que uma barraca de praia gay aguarda aprovação da prefeitura de Lauro de Freitas para sua instalação em Vilas do Atlântico.