Retratação: Médica visita ‘BBB14’ após estupidez de Angela sobre aids

Sem categoria
21 de março de 2014
por Genilson Coutinho

Uma conversa totalmente insana entre os brothers sobre aids levantou uma onda de revolta entre ONGs ligadas ao combate à doença e levou até o governo federal a se manifestar. Angela, a advogada paulista que se gaba por possuir sempre bons argumentos, soltou uma das maiores idiotices já ditas na história do BBB. A solução para acabar com a contaminação pelo vírus HIV, segundo ela, é uma só: “Vamos matar todo mundo (os infectados)“.

A péssima repercussão da história levou o diretor Boninho a chamar uma especialista no assunto para dar uma verdadeira palestra aos confinados nesta quinta-feira. Angela não foi a única a mostrar total ignorância sobre o assunto, apesar de ter dito o mais grave. Cássio chegou a afirmar que um soropositivo não vive mais do que 40 anos. A intenção do Big Boss, além de levar um mínimo de conhecimento à casa, foi também buscar uma forma de retratação.

A infectologista convidada deu as informações básicas sobre a doença – como a necessidade do uso de camisinha nas relações sexuais para evitar a contaminação – e tirou dúvidas. Ela também falou sobre outras doenças sexualmente transmissíveis. Em nenhum momento foi revelado o real motivo da visita, mas vestindo bem a carapuça, Angela questionou: “Será que a gente falou alguma besteira?”.

Entenda o caso:

Participante do BBB14 sugere extermínio das pessoas vivendo com HIV

Governo federal – Sim, uma besteira tamanha que levou o Ministério da Saúde a emitir uma nota criticando o programa. “O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais lamenta a forma preconceituosa e desinformada como a aids foi tratada pelos participantes do BBB14, da Rede Globo. O Brasil, que tem um compromisso histórico na luta contra a aids pautado no direito ao acesso universal aos serviços de saúde e nos direitos humanos, não pode tolerar o ataque às pessoas vivendo com HIV”, disse o órgão.

O documento, divulgado na quarta-feira, ainda pedia que a questão da prevenção fosse colocada em pauta pela produção do programa “de uma forma adequada para que possa prestar um serviço de utilidade pública”, tanto aos telespectadores como aos próprios participantes. “Dessa forma, lamentamos o episódio que foi ao ar no dia 14 de março, ao tempo em que nos colocamos à disposição para ajudar no esclarecimento das dúvidas que possam surgir sobre o tema”, concluiu a nota. Com informações da revista Veja

 

Nota do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais lamenta a forma preconceituosa e desinformada como a aids foi tratada pelos participantes do Programa BBB 14, da Rede Globo. O Brasil, que tem um compromisso histórico na luta contra a aids pautado no direito ao acesso universal aos serviços de saúde e nos direitos humanos, não pode tolerar o ataque às pessoas vivendo com HIV.

Estima-se que cerca de 718 mil pessoas em todo país vivam com HIV, sendo elas de todas as classes sociais, da maioria das cidades e comunidades do país, e brasileiros, que como todos os portadores de doenças no país, têm direito constitucional e legal a serviços públicos de qualidade para a melhoria de sua condição de vida e saúde.

Há hoje conhecimento científico suficiente para entender o HIV como uma doença transmissível e controlável. O Brasil tem um serviço de ponta em prevenção e tratamento, organizado para e com a participação das pessoas vivendo com HIV, que têm sido parte fundamental dos atores-chave para o controle da disseminação da epidemia no país.

Solicitamos ainda que a questão da prevenção da aids seja colocada em pauta pela produção do programa de uma forma adequada para que possa prestar um serviço de utilidade pública, não só para os telespectadores, como também para os próprios participantes. Dessa forma, lamentamos o episódio que foi ao ar no dia 14 de março, ao tempo em que nos colocamo à disposição para ajudar no esclarecimento das dúvidas que possam surgir sobre o tema.