Relembrar: Manual sexo anal

Sem categoria
19 de abril de 2012
por Fábio Rocha

 

A prática do sexo anal pode ser uma forma muito prazerosa de inovar na cama. E cada vez mais  faz parte das relações sexuais dos baianos

 

Esse assunto já foi tema de uma das nossas reportagens, porém,  parece que todo mundo continua querendo saber detalhes sobre o Manual e as práticas do sexo anal.

Diante da quantidade de e-mail enviado por internautas do nosso site, fomos buscar no fundo do baú umas das matérias mais comentadas em nosso site.

Confira os detalhes do Manual que fez sucesso no antigo Programa Rita Para Maiores na Radio Metrópole apresentado por Rita Batista,  idealizadora do  Manual que na época era disponibilizado para os ouvintes através de e-mail.

O Manual

O sexo anal feito com quem amamos e com jeitinho é muito gostoso e nada doloroso. A pessoa deve estar bem relaxada para a penetração não ser dolorosa. Há paradigmas em nossa sociedade de que o sexo anal é doloroso e sujo. A cultura ocidental, influenciada pela Igreja Católica, sempre marcou o sexo anal como antinatural. Isso porque não serve para à reprodução da espécie, o sexo anal tem como único objetivo o prazer.
O corpo humano possui dois músculos circulares que fazem com que o orifício anal se contraia e relaxe. O primeiro esfíncter fica na entrada do reto e o segundo uns três centímetros mais para dentro. Ao contrário da vagina que é bastante elástica e possui baixa sensibilidade, esses esfíncteres são cheios de terminais nervosos, tornando-os extremamente sensíveis.
As técnicas 
Bom, primeiro: os dois devem conviver com a possibilidade de algum escape. Sexo anal, perpassa a sensação de nojo. o cocô pode surgir. Segundo: lubrificação e proteção: exagere no ky ou qualquer outro a base de água e em um anestésico local – tipo xylocaína. Camisinha, fininha, mas camisinha!!! Brinquem muito. No início quando estiverem transando, deixe que ele coloque um dedo – o polegar de preferência, a similaridade com a cabeça do pênis (salvaguardada as proporções) favorece as sensações. UNHAS CORTADAS E LIXADAS, HEIN?! Você deve estar excitado  e disposto a dar, vá tentando. Não precisa ter a relação toda de uma vez, faça disso a ” brincadeirinha” do casal. O pênis deve virar um parafuso – Lembre a ele que não é uma vagina! Comecem de ladinho, de quatro só depois, mesmo assim apoiado em algum lugar (Você de joelhos no chão, abraçando a cama, por exemplo). Usar a língua – O ato de lamber ou chupar o ânus é chamado cientifica-mente de “annilingus”. Isso provoca qualquer pessoa e a deixa “morrendo de tesão”. Quando for “botar”, use mais K.Y., pois, quanto mais lubrificado, melhor.  Relaxe, respire e não vá além da sua resistência! Todo mundo consegue, inclusive você!

Sexo anal faz mal à saúde?
Não, desde que alguns cuidados sejam tomados. A prática de sexo anal provoca microcortes na mucosa que reveste o anus, que podem ser portas de entrada para vírus e bactérias. Essas pequenas lesões se cicatrizam naturalmente dentro de dois ou três dias. Ou seja, este intervalo mínimo deve ser respeitado para evitar lesões e infecções.
Também existe uma preocupação quanto à dilatação da musculatura do esfíncter anal que poderia causar incontinência fecal. Neste caso também é válida a recomendação do intervalo mínimo para praticar sexo anal, a qual respeitada, garante a plena recuperação e manutenção da musculatura.
Cuidados de higiene necessários ao sexo anal

É preciso ter alguns cuidados para evitar que o pênis transporte para a vagina as bactérias que habitam o ânus. O principal cuidado é o uso de preservativo.
Após o sexo anal, é necessário retirar a camisinha e colocar outra nova caso queiram fazer penetração vaginal. Caso contrário, as bactérias que sobrevivem no ânus sem causar danos à saúde podem provocar infecções sérias após serem transportadas pelo pênis até a vagina.

Sexo anal causa hemorróidas?
Não. Isto é um mito. As hemorróidas são veias (varizes) que são causadas por outros fatores.
No entanto, é importante salientar que, se o sexo anal for feito no período de inflamação, sem dúvida agravará o quadro, além de provocar muita dor. Em outros momentos, pode ser feito.

Sexo anal com menos dor e mais prazer
Existe uma técnica: em vez de partir direto para a penetração do pênis, o parceiro introduz primeiro o dedo. Depois é que vem a penetração. A introdução do dedo faz com que o esfíncter (músculo que circunda a entrada do ânus) se contraia e, nos instantes seguintes, relaxe. Essa é a hora ideal para a penetração peniana ocorrer com mais facilidade e de forma mais prazerosa.

O uso de lubrificante é essencial. O ânus não produz uma lubrificação natural, como ocorre com a vagina quando a mulher está excitada. Sem a lubrificação, o atrito do pênis com o órgão causa uma sensação de incômodo e não de prazer. Por isso, é importante usar um gel lubrificante. Dê preferência aos produtos à base de água, pois eles podem ser usados com a camisinha, sem danificá-la.

Qual a melhor posição para o sexo anal?
A melhor posição é aquela em que a pessoa sinta-se mais confortável e relaxada. De joelhos apoiada nos braços, a tradicional “de quatro” (de joelhos, com os braços esticados e as mãos apoiadas na cama), deitada de bruços com travesseiros ou almofadas sob a barriga para levantar a parte inferior do corpo. Tudo depende da combinação entre os parceiros.

É possível ter prazer ou mesmo chegar ao orgasmo com o sexo anal?
Sexo anal pode ser igualmente prazeroso para homens e mulheres. No caso das mulheres, o parceiro ou ela mesma pode estimular o clitóris simultaneamente à penetração anal para aumentar o prazer. A região anal é cheia de terminações nervosas e muito sensível aos toques eróticos. Qualquer tipo de carícia no ânus pode ser extremamente prazerosa. Mas isso se a pessoa estiver excitada e relaxada, fator fundamental para que a penetração não seja dolorosa.

Fonte:
www.bancodesaude.com.br/sexo/sexo-anal