Relançamento do documentário “Balizando 2 de Julho” traz participação especial de Jean Wyllys

Comportamento, Social
18 de setembro de 2019
por Genilson Coutinho

O documentário “Balizando 2 de Julho” terá seu relançamento nesta quinta-feira (19), na Sala Walter da Silveira, às 19h. Com entrada gratuita, esta nova exibição pública do filme acontece em função da participação especial de Jean Wyllys, baiano e ativista dos direitos humanos, que gravou a sua participação após a primeira montagem do documentário.

O desfile – mais que uma data no calendário cívico pela celebração da Independência da Bahia – é um espaço de resistência. E é neste cenário, na busca por aceitação, reconhecimento e luta por liberdade e respeito, que nasceu o documentário “Balizando 2 de Julho”.  A Obá Cacauê, produtora que assina o projeto, busca atrair novos olhares para um universo pouco conhecido, mas que traz consigo elegância, harmonia coreográfica e muita “fechação” por meio das histórias de balizas e balizadores gays e transexuais que participam do desfile do 2 de Julho, em Salvador.

Em prol da diversidade – O documentário, com roteiro e direção de Fabíola Aquino e Marcio Lima, aborda a temática LGBTQI+, e utiliza como pano de fundo as bandas de fanfarra, no desfile cívico pela Independência da Bahia. O objetivo é contribuir para a visibilidade da luta contra o preconceito e a LGBTfobia ao celebrar a diversidade. Com duas personagens centrais – Diana Souza, baliza trans, e Gabriel Vilasboas, balizador gay – “Balizando 2 de Julho” retrata a realidade da discriminação, a dificuldade de aceitação da orientação sexual e identidade de gênero e a relação com familiares e comunidade, mas também evidencia as suas histórias de superação.

“Na contracorrente de todo o retrocesso que vivenciamos na atualidade, que busca destruir as conquistas da comunidade LGBT, o filme traz uma ode à liberdade para se ser quem quer ser, e amar quem se quer amar. Mesclamos o desfile cívico e o momento de “fechação” em um ambiente de muita alegria, comunhão e respeito mútuo.  Coisas que só se vê na Bahia!”, afirma Fabíola Aquino, diretora e produtora executiva do documentário.

Apoio político – Nos últimos meses o Governo Federal suspendeu diversos editais que tinham como objetivo financiar obras audiovisuais com temáticas LGBTQ+. Com esta decisão muitas obras ficaram sem financiamento. Na contramão do Governo Federal, o ativista dos direitos humanos Jean Wyllys, que já participou ativamente da concentração da comunidade LGBT na região da Igreja do Rosário, na avenida 7 de Setembro, aceitou participar do documentário como uma forma de dar visibilidade a projetos com temáticas LGBTQ+ e levantar a discussão sobre a importância do apoio financeiro a projetos que abordem a cultura LGBT e discutam sobre respeito, identidade de gênero e diversidade e igualdade.

“Todos sabíamos que o primeiro impacto, após a eleição de Jair Bolsonaro, seria na cultura. Ele extinguiu o Ministério da Cultura, de suma importância para o desenvolvimento de uma nação, e vem atacando sistematicamente a Ancine (Agência Nacional do Cinema). Não seria diferente com a comunidade LGBT, que ele perseguiu durante toda sua atuação na Câmara dos Deputados, em Brasília. A suspensão dos editais que pretendiam financiar obras com temática LGBT é um ataque direto à comunidade e à sociedade como um todo, por isso, ter Jean Wyllys, que sempre fez oposição à esse tipo de postura, é de suma importância para um documentário que é um ato de resistência e um enfrentamento de uma política pública de exclusão. “Balizando 2 de Julho” nasce a partir de um grito de uma comunidade carente de respeito e aceitação.”, conclui Marcio Lima.

Sobre o documentário – Balizando 2 de Julho acompanha a participação de membros da comunidade LGBTQI+ no desfile do 2 de Julho de 2019, ora concentrando suas lentes na atuação das balizas e balizadores, ora com o público que prestigia o momento. Há mais de 16 anos eles se reúnem na região da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, na Avenida 7 de Setembro, em Salvador, e vibram com as performances das balizas. O documentário, contemplado com o edital Arte Todo Dia – Ano IV, da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e Prefeitura de Salvador, é um projeto da Obá Cacauê Produções e conta com apoio do Grupo Gay da Bahia (GGB).

Ficha técnica
Direção, Coroteiro e Produção Executiva:
 Fabíola Aquino,
Roteiro, Codireção e Direção de Produção: Márcio Lima
Direção de Fotografia e Cinegrafista: Rick Caldas
Cinegrafista: Leonardo Martins
Som direto: Pedro Garcia e Victor Brasileiro
Assistente de som: Laísa Eça
Produção: Renata Almeida
Assistente de produção: Felipe Martins
Operador de drone: Gustavo Costa Pinto
Edição: Rick Caldas
Composição original: Chico Gomes


Serviço
O que:
 Relançamento do documentário Balizando 2 de Julho
Quando: Quinta-feira, 19 de setembro
Horário: 19 horas
Quanto: Entrada gratuita
Onde: Sala Walter da Silveira, Rua General Labatut, 27, Barris