Psicanalista e escritora Regina Navarro Lins fala ao Dois Terços

Sem categoria
28 de março de 2011
por Genilson Coutinho

A nossa equipe conversou com a psicanalista e escritora  Regina Navarro Lins, autora do livro “A Cama na Varanda”, sobre sexo, família e comportamento. Atualmente, o público pode conferir os comentários da doutora Regina no site da rádio Metrópole, no qual ela aborda com muita propriedade temáticas diversas no campo do comportamento humano.

Dois Terços: Os números de jovens que estão saindo do armário é cada vez maior, gerando uma serie de conflitos no ambiente familiar. A senhora acredita que a família dita moderna está preparada para lidar com essa liberdade das novas gerações?

Regina Navarro: A mudança das mentalidades é lenta e gradual. As pessoas vão se acostumando aos poucos com os novos comportamentos. Se nos anos 50 ou 60 alguém dissesse que algumas décadas depois as moças não se casariam virgens ou que a separação de um casal se tornaria comum, seria tachado de louco.

DT: Existe um dilema grande nas relações homossexuais, pois muitos gays não acreditam que a fidelidade faça parte do universo gay…

RN: A exclusividade sexual sempre foi exigida apenas das mulheres, por conta do perigo de uma gravidez. Isso começou há cinco mil anos, com a propriedade privada. O homem não queria correr o risco de deixar a herança para o filho de outro homem. Ao homem nunca foi feita essa exigência. Os homens homossexuais foram criados dentro dessa mentalidade.

DT: Homens casados estão descobrindo o prazer do sexo anal e vem praticando com muita tranqüilidade, porém eles não se consideram gays. Como a senhora vê essas práticas?

RN: A estimulação da região anal é prazerosa para homens e mulheres. A região do corpo que proporciona prazer não tem nada a ver com homossexualidade. Esta se caracteriza pela escolha do objeto amoroso/sexual ser do mesmo sexo.

DT: Seu livro “A Cama na Varanda” é muito bem aceito e divulgado pela comunidade gay em diversas parte do Brasil. como nasceu a ideia de escrever este livro? Teve algum motivo especial?

RN: O motivo que tive para escrever “A Cama na Varanda” foi o desejo de levar os leitores a uma reflexão sobre as questões amorosas e sexuais, denunciando o moralismo e os preconceitos. A intenção em todo o meu trabalho é contribuir para a mudança da mentalidade, para que as pessos vivam com mais satisfação, mais prazer. Publiquei A Cama na Varanda em 1997. Em 2007, fiz um relançamento com uma parte nova, “O futuro que se anuncia”, na qual aponto as tendências.