projeto Enxurrada na Aldeia celebra mês da diversidade na Casa Preta; confira a programação

Notícias
12 de maio de 2016
por Genilson Coutinho

“Andro Salto” /Foto: Andréa Magnoni,

Entrando em seu 5º mês de atividades o projeto Enxurrada na Aldeia, uma ação do Aldeia Coletivo Cênico contemplado no edital Agitação Cultural 2015 da Secretaria de Cultura da Bahia, celebra a diversidade durante o mês de maio, no subsolo da Casa Preta, no Dois de Julho, com entrada franca, no sistema “pague quanto quiser”. Dia 17 de maio é o dia internacional de combate à homofobia e o projeto “Enxurrada na Aldeia” se afina nesta luta e oferece uma programação especial.

Depois do sucesso do Grand Prix de Transformismo, que teve sua grande final no Beco dos Artistas no último sábado, Rainha Loulou ataca desta vez com o concurso Antropofagia Drag – Concurso de Dublagem e Transformismo, neste novo formato só são permitidas apresentações com canções nacionais, e durante a disputa são as próprias participantes que se julgam e se avaliam, numa provocação antropofágica “Vai ser Drag devorando Drag”, diz Rainha Loulou, a abertura no dia 14/05 ainda conta com show do Música de Quinta, da Outra Cia de Teatro.

O projeto também recebe a Foto-instalação “Andro Salto – Eles não são todos iguais”, da foto-ativista Andréa Magnoni, “Andro Salto” que se propõe a subverter os dogmas do patriarcado e transversalizar as fronteiras do permitido, do aceitável e do proibido para o guarda-roupa deles, passeando de forma conceitual e artística pelo horizonte de diversas masculinidades. “Andro Salto” é a primeira etapa do ensaio “Cores e Flores para Tita”, composto por três etapas: masculinidades, feminilidades e não-binaridades, e além das fotos que estarão em exposição na Casa Preta, também pode ser conferido na íntegra na Galeria da Cidade, no Teatro Gregório de Mattos, até 12 de junho.

E no dia 17, a programação é mais que especial, com o espetáculo “Eva, a criação de um novo ser”, com o Coletivo Das Liliths, narrando o nascimento da primeira esposa de Adão, através de um ritual em homenagem ao feminino, após a apresentação tem o bate-papo “O corpo criativo e as possibilidades de criação de um novo mundo”.

17/05 – 20h

EVA, A CRIAÇÃO DE UM NOVO SER

Com o coletivo Das Lilith´s

A peça teatral narra o nascimento da primeira esposa de Adão, através de um ritual em homenagem ao feminino. O público acompanha o nascimento de um novo ser, em quatro blocos, no qual os atores revelam em seus corpos a presença da energia feminina. Em cena, os atores: Heron Sena, Heyder Moura, Ricardo Andrade e Thiago Carvalho, se apropriam do mito de Eva para abordar temáticas como: emancipação feminina, repressão sexual, educação patriarcal, liberdade de expressão e diversidade sexual. Explorando o universo metafórico, os artistas vivenciam a história, proporcionando ao público um lugar onírico e subjetivo para discutir: o que é ser mulher no século XXI? O espetáculo Eva é uma abordagem contemporânea do mito de Eva, a primeira mulher de Adão, e coloca em evidência as relações entre o corpo, desejo e a liberdade.

Segue-se ao espetáculo o debate “O Corpo Criativo e a Construção de um Novo Mundo”

14/05 A 04/06

ANTROPOFAGIA DRAG – CONCURSO DE DUBLAGEM E TRANSFORMISMO

Com a Rainha Loulou

Rainha Loulou comanda este novo concurso na cena Drag, onde só serão permitadas canções nacionais e onde as próprias Drags se julgam.

03 A 31/05

ANDRO SALTO – ELES NÃO SÃO TODOS IGUAIS

De Andréa Magnoni

Foto instalação da foto-ativista Andréa Magnoni, “Andro Salto” que se propõe a subverter os dogmas do patriarcado e transversalizar as fronteiras do permitido, do aceitável e do proibido para o guarda-roupa deles, passeando de forma conceitual e artística pelo horizonte de diversas masculinidades.

Toda a programação é gratuita, no sistema “pague o quanto quiser”. A realização é do Aldeia Coletivo Cênico, com produção da Kalik Produções Artísticas e apoio financeiro do Governo da Bahia, através do edital Agitação Cultural.