Programação variada movimenta Espaço Cultural da Barroquinha em setembro

No Circuito, Teatro
11 de setembro de 2014
por Genilson Coutinho

O_diario_de_Genet_Foto_Maira_Lins

O Espaço Cultural da Barroquinha terá programação variada no mês de setembro. O equipamento integra a programação do Filte (Festival Latino Americano de Teatro da Bahia), que acontece em Salvador entre 11 e 21 de setembro, recebendo espetáculos de diferentes locais do Brasil, como Bahia, São Paulo e Ceará.

As atrações começam nesta quinta-feira (11) com o espetáculo “O Diário de Genet”, com direção de Djalma Thurler e que faz um mergulho no pensamento político do escritor francês Jean Genet, através de uma encenação performativa do Ateliê Voador Companhia de Teatro. A apresentação acontece também nesta sexta-feira (12), sempre às 19h, com ingressos a R$20 e R$10 (meia).

No fim de semana (dias 13 e 14) é a vez de “Carne – Patriarcado e Capitalismo” ser encenado pela paulistana Kiwi Companhia de Teatro, com direção de Fernando Kinas. O espetáculo discute as relações entre patriarcado e capitalismo, mostrando o panorama da opressão de gênero e a situação específica da violência contra as mulheres no Brasil. A apresentação começa às 19h e os ingressos custam R$20 e R$10.

Na terça e quarta-feiras (16 e 17), também às 19h, a Kiwi Companhia de Teatro sobe novamente ao palco o espetáculo “Morro como um País”, que faz uma ampla discussão sobre temas, como o “estado de exceção”, as violações aos direitos humanos, as ditaduras militares e civis e o papel da arte nas sociedades contemporâneas, com roteiro inspirado no texto de Dimitris Dimitriadis. O valor do ingresso é de R$20 e R$10 (meia).

Na quinta e sexta-feiras (18 e 19), é a vez do espetáculo “A mão na Face” dar o ar da graça com o cearense Grupo Bagaceira e direção de Yuri Yamamoto, às 19h e ingressos a R$20 e R$10 (meia). A história acontece em um camarim de um cabaré de periferia, onde uma prostituta veterana, que abre os shows da noite, se despe. Enquanto isso, um jovem travesti se veste para subir ao palco. Em diálogo que oscila entre o patético e o comovente, as personagens vão revelando seus infortúnios existenciais.

Além dos espetáculos do Filte, o espaço recebe, no dia 23, a exibição do filme “Jogo de Corpo – Capoeira e Ancestralidade”, de Richard Pakleppa, Matthias Assunção e Mestre Cobra Mansa, às 19h. A película conta uma história de jogos de combate, danças e músicas que conecta Brasil e África desde o tempo da escravidão até o presente, além de abordar a história de Mestre Cobra Mansa, que procura entender sua herança afro-brasileira, e em particular explorar a ancestralidade de sua arte, a capoeira. O evento é gratuito.

Já nos dias 25 a 27, às 19h e com ingressos a R$20 e R$10 (meia), o Espaço da Barroquinha recebe o espetáculo “Sertão Glauberiano”, interpretado pela Companhia Psicodélica de Teatro, sob direção de Afonso Penna. A peça conta a saga do sertão baiano com personagens típicos nordestinos, navegando no universo cinematográfico do cineasta Glauber Rocha, com nova roupagem de algumas cenas do filme “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1963).

A Galeria Juarez Paraíso prossegue com a exposição Juarez Paraíso e Convidados, com obras do próprio artista, além de Paulo Rufino, Chico Liberato, Humberto Aquino Rocha, Reinaldo Eckenberger, Ângelo Roberto, Pasqualino Juraci Dórea, Riolan Metzker Coutinho, Sante Sacaldaferri e Romano Magnavita. A mostra pode ser visitada gratuitamente de terça a sexta-feira, das 13h às 19h.