Professor escreve livro para crianças e adolescentes sobre bullying, preconceito e homofobia na escola

Notícias
26 de julho de 2016
por Genilson Coutinho

Capa Impressão4 - Copia

O livro o O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na escola – discute as múltiplas diferenças que nos constituem, e a diversidade presente no universo escolar, através da história de um garoto de 12 anos, negro, que está acima do peso, e constantemente sofre bullying na escola. Em seu diário, Davi narra as suas angústias, o dia a dia da escola, sua amizade com João, um aluno cadeirante e Telton Fradf, que sofre bullying homofóbico. A escola é o cenário desta história emocionante, em que professores, alunos e pais, se mobilizam para combater o bullying.

O livro é indicado para professores, pais, crianças e adolescentes. Aborda o bullying, a obesidade infantil, o preconceito racial, o ciberbullying, o bullying homofóbico e a inclusão escolar, de forma objetiva, tomando como base a Lei 13.185, que institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying), em todo o território nacional. Davi, em uma narrativa envolvente e singela, conta suas dores e dilemas. A história revelará como a amizade vence o medo, e a ternura e o perdão fazem brotar esperança, sonhos e novas relações, no espaço escolar.Silvano Sulzart, que é pedagogo, psicopedagogo, Mestre em Educação e possui mais de 15 anos atuando como professor e coordenador pedagógico, escreveu o livro O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na Escola, para chamar a atenção sobre o bullying no espaço escolar.

Marcelo Cerqueira, presidente do GGB, ressalta que O livro o O Diário de Davi: preconceito racial, homofobia e bullying na escola emocionante e certamente vai comove-l@ às lágrimas, ao deparar-se com situações concretas de extrema crueldade do bullying contra três meninos vítimas da discriminação no ambiente escolar: um negro gordinho\”baleia orca”, um gay afeminado\”mulherzinha” e um cadeirante\ “aleijado”. Livro fundamental não só para os pais e professores, mas, sobretudo para os próprios jovens e estudantes, pois com linguagem clara e estilo cativante, funciona como uma espécie de cartilha explicando tim-tim por tim-tim conceitos básicos para se defender, enfrentar e superar essa peste social que é discriminação contra os membros das chamadas minorias sociais: negr@s, deficientes físicos, gord@s, LGBT, etc.

Segundo o autor, professor Silvano Sulzart, através da leitura do livro, professores, pais e responsáveis de criança e adolescentes, serão capazes de identificar se seus filhos ou alunos estão sendo vítimas de bullying, encontrando ainda na leitura do livro pistas de como combater o bullying, dentro e fora do espaço escolar.

Silvano Sulzart, descreve neste livro, que para combater o Bullying a escola precisa desenvolver ações que fortaleçam a participação da família no espaço escolar, como também ouvir os alunos. O professor tem um papel importante, pois no ambiente escolar ele é uma das pessoas em que a vitima pode solicitar ajuda. Os alunos devem enxergar no professor alguém que possa protegê-lo. Quando um professor perceber uma situação de Bullying e não toma nenhuma iniciativa, ele esta colaborando para que outras situações de humilhação e constrangimento aumente no espaço escolar.  No livro O Diário de Davi, além de uma história envolvente e emocionante, o leitor vai ser conduzido a um processo de não invisibilizar as violências verbais, físicas e simbólicas que podem acontecer na escola.

Veja onde comprar seu exemplar .