Primeira trans baiana formada em jornalismo fala ao site Dois Terços

Comportamento, Social
22 de abril de 2016
por Genilson Coutinho

Desde a infância, a baiana Alana alimentava o sonho de assumir a bancada de um telejornal e foi esse sonho que a motivou entrar no curso de jornalismo. No processo de formação a jornalista criou o blog “Hora Verdade” e fez alguns trabalhos na tv Santa Cruz. Em 2015 tornou-se a primeira trans baiana com o diploma de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo e terceira do Brasil. Em conversa com o site Dois Terços ela contou um pouco da sua trajetória e as dificuldades no mercado de trabalho e seus sonhos.

Dois Terços – Quais são as maiores dificuldades  encontradas após sua formatura?

  Alana Adrielle -A maior dificuldade realmente é encontrar vagas de trabalho, o mercado está muito difícil, principalmente para a área que eu tanto almejo que é televisão, mas em rádio e sites também esta complicado, tenho colocado muitos currículos, correndo atrás sempre, batendo em portas, e tenho contado com a ajuda de amigos que tem conhecimento em Salvador e me dão acesso a pessoas influentes que podem dar aquele “empurrãozinho”, mas mesmo assim está difícil.

DT – Como você tem visto o mercado de trabalho para a comunidade trans no Brasil?

AD –   O mercado para nós transexuais está muito fechado ainda, infelizmente, pois o que mais se destina a gente é a área de beleza e estética, mas em áreas como administração, comercio, empresas, negócios, política ainda é muito restrito, eu quero muito conseguir quebrar essa tabu, na área do jornalismo mesmo não conheço nenhuma que tenha chegado a apresentar telejornais formais, ou reportagens factuais ou do seguimento de matérias policiais ou mesmo políticas, houve em programas de fofoca, coberturas de festas, geralmente agindo como humoristas ou mesmo atores transformistas, mas transexual mesmo, de fato, nunca vi fazendo jornalismo em TV aberta.

DT – O que motivou você a criar o seu Blog?

AD – Eu fui pioneira aqui em minha cidade trazendo para o horário de meio-dia no rádio um programa jornalístico, isso numa rádio comunitária, a Gazeta FM que foi onde dei os meus primeiros passos na comunicação, apesar de desde a infância brincar de repórter (risos), o programa se chamava Hora da Verdade, inspirado em uma comunicadora que admiro muito até hoje a Márcia Goldschmidt, ele teve uma programa com este nome, dai implantei essa ideia, aceita pelo Diretor da emissora, Alexandre Giffoni,  ele me deu esse espaço e eu agarrei com unhas e dentes, passei a seguir outro exemplo, Zé Eduardo, o Bocão e criei o jornalístico no estilo dele, com matérias policiais, factuais, políticas, sempre ouvia ele no rádio pela internet em salvador e copiava algumas coisas, depois o programa foi ganhando uma cara própria, foi quando começou todo essa onda de redes sociais, Orkut, MSN e aí resolvi criar este link, tudo que ia para o programa no rádio eu revertia em texto e fotos e passava para o blog, no inicio meio capenga (risos) depois foi tomando corpo, foi quando a vontade de fazer TV começou a gritar forte em mim, e aos poucos fui comprando os equipamentos, câmera, tripé (pois não tenho cinegrafista, eu mesma filmo), microfone, gravador, aprendi sozinha pela internet a editar vídeos, um amigo muito especial Rômulo Carneiro, me ensinou a gravar as sonoras em gravador e depois juntar na edição com a imagem, isso deu um bum enorme nos meus vídeos. Foi aí que comecei a pensar na faculdade de jornalismo, para ter a base teórica do que eu já fazia de forma autodidata, o foi o melhor passo que dei na dei, um diploma ajuda muito a abrir portas, e a base teórica ajuda demais no aperfeiçoamento profissional. O blog foi uma forma de realizar meu grande sonho, estar na frente da tela, e com este portfólio levar meu trabalho para a próxima etapa, entrar na TV aberta….