‘Pretendíamos adotar dois filhos’, diz namorado de jovem que morreu de Covid-19 em MT

Notícias
30 de junho de 2020
por Redação
Weder Campos e William Neder Odhene estavam juntos há 2 meses — Foto: Weder Campos/Arquivo pessoal

Os planos que Weder Campos tinha junto com o namorado foram interrompidos no último domingo (28), após William Neder Cohene Junior, de 23 anos, morrer de Covid-19 enquanto esperava pela chegada de uma ambulância na casa da mãe, no Bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá.

William começou a sentir os primeiros sintomas no dia 16 deste mês. O jovem chegou a ficar internado, mas recebeu alta durante o tratamento e continuou a tomar a medicação na casa da mãe dele. Dias depois, o quadro se agravou e ele morreu. Segundo a família, o rapaz não tinha doenças pré existentes.

Em entrevista ao G1, Weder contou que ele e William namoravam há dois meses e dividiam o mesmo apartamento, na capital.

“Apesar do pouco tempo, eu amava muito o William. Espero que onde ele esteja, continue olhando por mim. Aqui, vou continuar com os nossos planos, que era ter nosso apartamento, nosso carro, nossos filhos. Pretendíamos adotar dois filhos”, contou.

William e Weder contraíram o novo coronavírus em Cuiabá — Foto: Weder Campos/Arquivo pessoal

Weder disse que, devido ao trabalho, o qual depende do transporte público, acabou contraindo o novo coronavírus. Como os dois dividiam o mesmo apartamento, alguns dias depois, William também foi diagnosticado com a doença.

No dia 14 deste mês, Weder foi ao médico com sintomas da doença e fez exames que apontaram suspeita de Covid-19. Desde então, ele passou a tomar medicação na casa onde morava com o namorado.

Dois dias depois, William acordou passando mal e procurou uma policlínica. Na unidade de saúde, a médica de plantão disse que ele estava com o novo coronavírus e receitou alguns remédios para que ele tomasse em casa.

Namorados moravam em um apartamento, em Cuiabá — Foto: Weder Campos/Arquivo pessoal

Segundo Weder, a partir do dia 16, ele e o namorado ficaram distantes em casa, cada um dormindo em uma cama e fazendo as refeições em horários diferentes para evitar o contato.

“Não ficávamos juntos, não nos abraçávamos, não se beijávamos mais”, afirmou.

No dia 21, Willian passou mal novamente e foi levado ao médico pelo namorado. Ainda no hospital, Weder também começou se sentiu mal e os dois fizeram exames para Covid-19 e testaram positivo.

“Comecei a ficar sem ar e fui internado. O William ficou [em casa]. Logo depois ele foi levado pela mãe para um hospital particular e a médica o liberou novamente para ser cuidado em casa”, explicou.

William e Weder faziam tratamento em casa, mas precisaram se separar devido ao agravamento da doença — Foto: Weder Campos/Arquivo pessoal

Após a internação do companheiro, William ficou na casa da mãe dele, onde morreu no último domingo.

“Tudo isso é muito difícil. Não quero acreditar que tudo isso aconteceu. Eu quero sair daqui [do hospital] e queria que William estivesse lá fora me esperando para ir para nossa casa”, declarou.

Weder, que ainda faz tratamento da Covid-19 no hospital, disse que soube da morte do namorado pela sogra. Ele afirmou que ainda está em choque com a notícia.

“Ele era uma pessoa maravilhosa, um menino dedicado. Gostava muito de estudar, de ler livros, jogar. Só Deus para confortar nossos corações e saber essa dor que estamos sentindo”, pontuou.

Jovem de 23 anos diagnosticado com Covid-19 morreu depois que passou mal em um apartamento no Bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá — Foto: Arquivo pessoal

A espera por atendimento

Na manhã de domingo, William começou a passar mal. Os vizinhos contaram que ouviram o grito da mãe e chamaram a polícia acreditando que era um caso de violência doméstica.

No entanto, quando os policiais chegaram, verificaram que o jovem estava desmaiado. Por não terem preparo para atender um caso de Covid-19, a PM chamou uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que chegou depois de 50 minutos.

Nesse intervalo, o padrasto do jovem tentou reanimá-lo e a mãe procurou um hospital particular e pediu que buscassem o filho, mas foi informada pela unidade que alguém teria que levá-lo até o hospital.

À espera pelo atendimento médico, Willian não resistiu e morreu.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) afirma que o chamado para atender o paciente foi recebido às 09h37 de doningo e que a ligação foi encerrada, pois não conseguiram se comunicar de forma precisa com a família do jovem.

William Neder Cohene Junior, de 23 anos — Foto: Arquivo Pessoal

Leia abaixo a nota na íntegra:

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), por meio da Superintendência do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), esclarece que, no que se refere à ocorrência do dia 28 de junho – no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá –, foi recebida uma chamada às 09h37 em que o solicitante, muito nervoso, insultou a equipe e a médica do Serviço, sendo a ligação encerrada devido à impossibilidade de comunicação com o solicitante, que se mostrava muito agressivo.

Mesmo diante da dificuldade de estabelecer uma comunicação com o solicitante, a equipe do SAMU insistiu em dar atendimento à demanda, retornando a ligação minutos depois, às 09h45, quando a médica reguladora conseguiu dialogar com uma vizinha que, mesmo não estando próxima ao paciente, relatou para a médica que a pessoa estava com dificuldade para respirar. A equipe então foi acionada e orientada a se paramentar, pois tratava-se de um paciente com a COVID-19.

A ambulância é deslocada para o atendimento às 09h51 e o veículo sai da base às 09h55, chegando ao local às 10h04 – após aproximadamente 25 minutos da primeira ligação. A equipe encontrou o paciente sobre um colchão no chão, já em óbito. A unidade sai do local da ocorrência às 10h53, dando assistência à mãe do paciente. A equipe técnica esclarece que, para a segurança de profissionais e usuários do Serviço, todas as ligações são gravadas.

*Com informações do G1.

Deixe seu comentário

Sem comentários, seja o primeiro.