Prêmio Braskem de Teatro: Conheça a comissão julgadora 2014

Teatro
7 de julho de 2014
por Genilson Coutinho

brask

Cinco renomados profissionais das artes cênicas estarão por dentro de tudo o que ocorrer na cena teatral baiana até o final do ano. Eles integram a comissão julgadora do Prêmio Braskem de Teatro 2014, que já está avaliando os espetáculos em cartaz em Salvador para definir os indicados que concorrerão ao mais prestigiado prêmio do teatro baiano. Os nomes dos integrantes da comissão 2014 foram anunciados pela Caderno 2 Produções Artísticas, coordenadora do Prêmio Braskem de Teatro.

A comissão é composta por Antrifo Sanches, professor da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA), dançarino, coreógrafo, produtor e diretor de cena; Claudio Cajaiba, ator e professor da Escola de Teatro da UFBA; Euro Pires, artista plástico, cenógrafo e figurinista; Rosa Vilas Boas, dançarina e gestora do Teatro SESI Rio Vermelho e Tereza Costalima, professora e diretora artística da Sitorne Cia de Teatro.

Para o veterano na função, Claudio Cajaiba, que já integrou a comissão nos anos de 2006 e 2011, participar pela terceira vez da escolha dos melhores espetáculos teatrais baianos é uma grande satisfação. “A sensação é a melhor possível, pelo reconhecimento como integrante de uma categoria de artistas que tem o desafio de julgar o desempenho dos seus colegas. Me sinto sempre honrado e desafiado”, afirma.

Outro veterano é o dançarino e coreógrafo Antrifo Sanches. Essa será, também, a terceira vez que participa da Comissão Julgadora do Prêmio Braskem de Teatro. “A sensação é sempre de alegria misturada com uma certa apreensão pela responsabilidade que a função traz”, ressalta o professor da Escola de Dança da UFBA. Para ele, ser avaliador da cena teatral soteropolitana é algo muito sério. “Quem está neste lugar, não pode brincar. Não se brinca com o trabalho do outro que luta e se esforça para fazer teatro. Minha expectativa é ver muitos trabalhos bons este ano e que nossa tarefa não seja fácil”, deseja Sanches.

Estreante na comissão, a diretora teatral Tereza Costalima ficou feliz com o convite para compor o grupo. “Tenho uma antiga e afetuosa ligação com o Prêmio Braskem, desde o início dos anos 1990. Naquele período, vi os primeiros esboços do que viria a ser o Prêmio, estive em seu lançamento em 1992, fui indicada duas vezes, tive atores de meus espetáculos indicados e fui premiada em 1995, pelo espetáculo Puxa Vida, como melhor direção junto a Celso Jr. e Claudio Simões”, lembra.

Para o artista plástico e cenógrafo Euro Pires, o Prêmio Braskem de Teatro é importante por fomentar a produção cênica do estado. “A premiação faz com que vários encenadores se arrisquem a montar textos que provavelmente ficariam engavetados, dando reconhecimento e uma vida mais longa ao trabalho concebido e realizado muitas vezes a duras penas”, explica Pires. Reconhecimento compartilhado por Rosa Vilas Boas. “Minha expectativa é contribuir para que o Prêmio continue incentivando o teatro baiano, apontando espetáculos que primam pela qualidade em um cenário que os incentivos são poucos e o público, cada vez mais disperso pelos grandes eventos da cidade”, observa a produtora cultural.

Concorrem ao Prêmio Braskem de Teatro espetáculos baianos, inéditos em Salvador, e que se apresentem com uma temporada de, no mínimo, oito apresentações em semanas distintas, no período de três meses consecutivos. Os espetáculos serão avaliados pela comissão até 31 de dezembro de 2014, e o anúncio dos vencedores será feito na cerimônia de entrega dos troféus, no primeiro semestre de 2015.

Veja a relção dos jurados :
 Antrifo Sanches

É professor da Escola de Dança da UFBA, dançarino, coreógrafo, produtor e diretor de cena. Graduado em Dança pela Folkwang Hochschule, da Alemanha, tem doutorado em Educação e mestrado em Artes Cênicas pela UFBA. Foi dançarino da Companhia Dance Berlin, do Balé Teatro Castro Alves e da Companhia Viladança. Participou como ator, coreógrafo e assistente de direção de inúmeras montagens teatrais em Salvador.

Claudio Cajaiba

É ator e professor da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Fez pós-doutorado em Artes Cênicas pela UFBA. Tem doutorado na mesma área pela UFBA e Universidade Livre de Berlim, mestrado em comunicação e bacharelado em interpretação, também pela UFBA. Participou de várias peças na cidade de Salvador, destacando-se “Merlin” (direção de Carmen Paternostro, prêmio de melhor espetáculo, 1995) e “Três Versões da Vida” (direção de Ewald Hackler, quatro indicações ao Prêmio Braskem de Teatro em 2013). Faz comentários sobre teatro para o programa “Multicultura”, da Rádio Educadora da Bahia.

 Euro Pires

É artista plástico, com diversos cursos na área. Foi indicado como Destaque no Troféu Bahia Aplaude (atual Prêmio Braskem de Teatro) pela cenografia do espetáculo na “Na selva das Cidades”, em 1995, premiado como o melhor espetáculo do ano. A partir deste trabalho, os convites para assinar novos cenários não pararam de acontecer. Criou e executou a cenografia, adereços e figurinos para inúmeros espetáculos, entre eles: “A Bela e a Fera”, “Intimidades”, “Um Dia um Sol”, “Cuida bem de mim”, “Assis Valente – Um Musical Brasileiro”, “Abismo de Rosas”, “Vixe Maria, Deus e o Diabo na Bahia”, “O Indignado”, “Irmã Dulce – O Anjo bom da Bahia”, e “A mulher de roxo”, entre outros. Criou carros alegóricos para o desfile comemorativo dos 500 anos do Brasil, além de cenários para programas locais de TV. Entre os

 Rosa Villas-Boas

Formada em Dança pela UFBA, Rosa Villas-Boas, tem pós-graduada em Gestão de Iniciativas Sociais, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialização em Lazer, pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), além de Gestão de Empreendimentos e Cidades Criativas, em Córdoba-Argentina. É gestora do Teatro SESI Rio Vermelho e prestadora de serviços para o SEBRAE, Governo do Estado, Instituto Cidade Viva-RJ e Instituto Tribos Jovens- BA, na área de cultura como colaboradora de conteúdos didáticos, instrutora de cursos e consultora. Rosa é produtora cultural e gestora do Programa Vino & Dendê de intercâmbio cultural entre Brasil e Espanha. Curadora de espetáculos de teatro e dança para festivais internacionais da Espanha e Itália.

Teresa Costalima

É diretora teatral, atriz e dramaturga, graduada em Direção Teatral pela UFBA. Em 1995, fundou o Sitorne Estúdio de Artes Cênicas, centro de formação profissionalizante para atores, onde atua como professora e diretora artística da Sitorne Cia de Teatro. É coordenadora pedagógica do projeto RETRATE – Interior desde 2008, e diretora artística do projeto Ação-Formação desde 2010. Em televisão, coordenou o projeto Em Cena Ação da TV Anísio Teixeira. Dirigiu espetáculos como: “Puxa vida” (Troféu Bahia Aplaude pela Melhor Direção, junto a Celso Jr. e Claudio Simões), “Sonhos de uma noite de verão”, “A Megera domada”, “As Sabichonas”, “Típicos”, “Honra” e “Um Hamlet”.