Prêmio Braskem de Teatro anuncia os destaques de 2016 em noite de homenagem aos 50 anos do TCA

No Circuito, Teatro
19 de abril de 2017
por Genilson Coutinho

Rebola, que concorre a espetáculo, defende espaços dos LGBTs na sociedade (Foto:Andrea Magnoni/divulgação)

Os vencedores do Prêmio Braskem de Teatro serão conhecidos, nesta quarta-feira, dia 19, às 20h, na sala principal do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. A cerimônia, que revelará os destaques da cena teatral baiana em 2016, terá direção artística de Márcio Meirelles e irá homenagear os 50 anos do TCA, palco das principais manifestações culturais na Bahia. “O Teatro Castro Alves é a casa do Prêmio Braskem de Teatro desde sua primeira edição, por isso nada mais justo do que homenageá-lo no momento em que celebramos os 50 anos de sua inauguração”, explica Hélio Tourinho, gerente de Relações Institucionais da Braskem na Bahia.

A edificação, que é considerada uma das mais emblemáticas da arquitetura moderna do estado, foi inaugurada em 1957, fruto do trabalho do arquiteto Bina Fonyat. A cerimônia de premiação irá girar em torno da história destes 50 anos e da função do Teatro Castro Alves para a Bahia. “Vamos falar da inauguração, do incêndio e do que o teatro abriga em si, das pessoas que atuam, que trabalham e que criam narrativas”, destaca Márcio Meirelles. “Será um espetáculo sensorial e imersivo, quase uma instalação audiovisual com música, elementos cênicos e de outras línguas, que as vezes estarão superpostas”, afirma o diretor artístico do evento.

O Prêmio Braskem de Teatro destaca anualmente as melhores produções em oito categorias: Espetáculo Adulto, Espetáculo Infanto-Juvenil, Direção, Ator, Atriz, Texto, Revelação e Categoria Especial. De 1º de abril a 18 de dezembro de 2016, foram avaliadas 53 peças teatrais baianas consideradas profissionais e inéditas, que estiveram em cartaz em Salvador neste período. A premiação é uma realização da Caderno 2 Produções e patrocinada pela Braskem e Governo do Estado, através do FazCultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda. Pelo segundo ano, a produção teatral baiana também será reconhecida com a eleição do Espetáculo do Interior. Os cinco concorrentes desta categoria foram escolhidos durante a realização do 2º Polo Teatral – Festival de Teatro do Interior da Bahia, ocorrido entre de 14 de fevereiro a 19 de março, nas cidades de Itabuna, Juazeiro e Feira de Santana.

Homenagens especiais – Jornal, papelão, lona de caminhão, material sintético e telões gigantes irão envolver o palco principal do Teatro Castro Alves, formando o cenário da premiação elaborado pelo artista visual e cenógrafo Erick Saboya. Nos telões serão projetadas imagens de alguns momentos importantes da história do TCA. Os figurinos, assinados pela cantora, compositora e artista plástica Rebeca Matta, também dialogam com os materiais utilizados no cenário. Os looks produzidos com jornal, plástico, arame e tecidos sintéticos serão usados pela cantora Manuela Rodrigues e pelos músicos da Orquestra Castro Alves (OCA), que integra os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba).

A 24ª edição da mais tradicional premiação das artes cênicas baianas irá homenagear, ainda, os atores Fernando Fulco e Nadja Turenkko. Falecido em agosto de 2016, Fulco dedicou-se às artes cênicas por quase 40 anos. Nascido em Ilhéus, o ator começou sua carreira em Salvador, no grupo Amador Amadeu, na década de 1970. Atuou no elenco de “Os Saltimbancos”, dirigido por Deolindo Checcucci, no Teatro Castro Alves. A montagem lhe rendeu seu primeiro reconhecimento no Prêmio Martim Gonçalves, como ator revelação. Ainda na década de 1970, participou do grupo Avelãz e Avestruz ao lado de Márcio Meirelles, Maria Eugênia Milet, Hebe Alves, Sérgio Guedes, Sérgio Carvalho, Milton Macêdo e Chica Carelli. No teatro, Fulco trabalhou ainda com diretores como Fernando Guerreiro, Luiz Marfuz, Sergio Almeida, Fernando Moura Novas e Vinicio Oliveira.

Já Nadja Turenkko foi precursora da Mímica Corporal no Brasil. Em 30 anos de carreira, atuou em 34 espetáculos teatrais, participou de três longas e dois curtas metragens, seriados e publicidade em TV como atriz, diretora, professora e roteirista. Turenkko faleceu em 19 setembro de 2016, Dia Nacional do Teatro. “Meu sentimento em relação a homenagem a Nadja é de gratidão aos que pertencem a Salvador, por ela ter engrandecido esta cidade com sua arte e vivências. Nadja foi mulher, mãe, amiga, irmã, criança, professora, filha, Mestre e companheira indivisível. Uma artista do corpo e da alma, por unir a interpretação artística com a espiritualidade”, ressalta Maurício Cardoso Jr., viúvo da artista.

O júri – Integraram a Comissão Julgadora desta 24ª edição do Prêmio Braskem de Teatro: Bertho Filho, ator, diretor teatral e dramaturgo; Gordo Neto, ator, diretor teatral e autor; Hilda Nascimento, diretora teatral, preparadora corporal e educadora; Jackson Costa, ator e apresentador e Kátia Borges, jornalista e doutoranda em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Além do troféu, os vencedores das categorias Espetáculo Adulto e Espetáculo Infantojuvenil receberão um prêmio no valor bruto de R$ 30 mil cada, enquanto os demais vencedores serão contemplados com um prêmio no valor bruto de R$ 5 mil cada.

 CONFIRA OS INDICADOS AO 24º PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO:

Prêmio Braskem de Teatro 2016

                                                                                                                               

ESPETÁCULO ADULTO

  • DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)
  • LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures
  • MÁGICO MAR
  • MALVA ROSA
  • REBOLA

 

ESPETÁCULO INFANTOJUVENIL

  • AVESSO
  • INVENTA DESINVENTA
  • O CORDEL DE MARIA CIN-DRAG-RELA
  • PINDORAMA

 

ESPETÁCULO DO INTERIOR

  • MATRAGA, do Grupo Conto em Cena (Feira de Santana)
  • O CANDELABRO, da Cia Távola de Teatro (Lauro de Freitas)
  • O SANTO E A PORCA, da Cia Acordada (Ilhéus)
  • OS FOGATAS, da Cia Cuca de Teatro (Feira de Santana)
  • PARIRÉ, da Cia OperaKata (Vitória da Conquista)

 

DIREÇÃO

  • JOÃO SANCHES, por EGOPTRIP
  • MARCIO MEIRELLES, por ROMEU & JULIETA
  • PAULO CUNHO, por DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)
  • RINO DE CARVALHO, por MÁGICO MAR
  • THIAGO ROMERO, por REBOLA

 

ATOR

  • DANILO CAIRO, pela atuação em A PROLE DOS SATURNOS, LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures e NARCISSUS
  • IGOR EPIFÂNIO, pela atuação em EGOTRIP
  • JOÃO GUISANDE, pela atuação em LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures e MALVA ROSA
  • SULIVÃ BISPO, pela atuação em KAIALA, REBOLA e ROMEU & JULIETA
  • WANDERLEY MEIRA, pela atuação em DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)

 

ATRIZ

  • ALETHEA NOVAES, pela atuação em MAS NÃO ANDE NUA POR AÍ EM PELO
  • CLAUDIA DI MOURA, pela atuação em O GALO
  • EDDY VERÍSSIMO, pela atuação em SOBEJO
  • SIMONE DE ARAUJO, pela atuação em MÁGICO MAR
  • UERLA CARDOSO, pela atuação em SOBRE A PELE

 

TEXTO

  • DANIEL ARCADES, por REBOLA
  • FERNANDO SANTANA, por SOBRE A PELE
  • GILDON OLIVEIRA, por AVESSO
  • JOÃO SANCHES, por EGOTRIP
  • JOYCE AGLAE, por MÁGICO MAR

 

REVELAÇÃO

  • ALISSON DE SÁ, pela direção de MALVA ROSA
  • FERNANDA BELTRÃO, pela atuação de LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures
  • FERNANDO SANTANA, pela direção de SOBRE A PELE
  • MARCOS LOBO, pela direção de MAÇÃ
  • RIDSON REIS, pela direção O CONTAINER

 

CATEGORIA ESPECIAL

  • AGAMENON DE ABREU, pelo cenário, figurino e adereços do espetáculo AVESSO
  • MAURÍCIO PEDROSA, pelo desenho de cenário do espetáculo MÁGICO MAR
  • UERLA CARDOSO e DANILO LIMA, pela preparação corporal do espetáculo MAÇÃ
  • RINO DE CARVALHO, pelo figurino do espetáculo MÁGICO MAR