Premiado espetáculo Barrela celebra 10 anos com remontagem e volta aos palcos baianos

No Circuito, Teatro
18 de maio de 2017
por Redação

Barrela Horizontal 1

Segue para a última semana em Salvador a remontagem do espetáculo Barrela, uma obra de Plínio Marcos, dirigida por Nathan Marreiro, da Cia de Teatro Gente. O Teatro Vila Velha foi o palco escolhido para a comemoração dos 10 anos de estreia desta montagem tão celebrada pelo público e pela crítica. A peça está em cartaz de 11 a 21 de maio, de quinta-feira a domingo, 20h e 19h no domingo. Os ingressos custam R$ 40 e R$ 20 (meia).

A trama se passa dentro de uma cela, onde os presos Portuga (Ismael Marques), Bahia (Amós Heber), Tirica (Everton Machado), Fumaça (Jhoilson Oliveira), Louco (André Nunes), Bereco (Victor Kizza) e o recém-chegado Garoto (Felipe Velozo) dividem seus dias, suas histórias, seus problemas, suas frustrações, o melhor e o pior de cada um. A tensão entre os companheiros de cela se intensifica depois da chegada do burguês apelidado de Garoto, que seguindo uma prática para alguns tipos dentro da detenção, é estuprado pelos presos. A trama conta ainda com a participação de dois carcereiros interpretados pelos atores Ailson Leite e Daniel Calibam.

Segundo o diretor Natham Marreiro, mais que nunca, Barrela chega com um grande ímpeto de interação com o público, uma vez que a disposição do cenário muda radicalmente, deixando características originais para trás, como intervenções de multimídia e aposta mais no ator versos o público. Na mais pura essência do fazer teatral. “Deixamos um pouco de lado os acessórios de cenários e vamos trabalhar apenas com marcações e luz”, completa do diretor.

Para Marreiro, a escolha do Teatro Vila Velha foi crucial para o brinde de 10 anos por se encaixar perfeitamente na ideia desta remontagem. “Público cercando a caixa cênica, atuando como voyeurs de um ringue que é a cela de uma penitenciária. Tudo isso, dessa vez encenado num espaço vazio, dividido pelos atores, público e a memória do mestre Plínio Marcos”.

O argumento para este roteiro continua verossímil a situação atual da população carcerária do Brasil. Os presos do final dos anos 50, quando o texto foi escrito, comparados com os presidiários dos anos 2007, quando foi encenado pela primeira vez na Bahia e os de 2017, quando a peça ganha uma nova roupagem, continuam sendo os lobos uns dos outros, e continuam sendo engolidos pelo Estado cada vez mais incapaz.

No ano da estreia, Barrela foi indicado ao Prêmio Braskem e concorreu no Festival Ipitanga de Teatro – FIT 2006 na categoria Ator Coadjuvante, com Everton Machado (Gabriela, Compadre de Ogum) e também na categoria de Melhor Espetáculo, levando o de Ator Coadjuvante em ambos os prêmios. Além de Salvador, Barrela causou alvoroço e foi muito bem recebido no Festival de Teatro de Curitiba de 2009, tendo repercussão em toda imprensa baiana e principais veículos nacionais.

A Companhia

Barrela é uma realização da Cia de Teatro Gente, uma Companhia que há quase duas décadas se serve de todas as linguagens – música, dança, circo, artes visuais, gestos, sons, palavras, fogo, água, tecnologia, artesanato, magia, mistérios, impactos – Uma Cia que se encontra exatamente no ponto em que o espírito de um teatro/linguagem/estética conduz a produzir suas manifestações, tendo atores com um perfil investigador que lança mão das convenções do teatro psicológico, moral e social e mergulha no perigo de uma poesia muito difícil e complexa.

Nas experimentações cênicas a Cia produziu os espetáculos BARRELA, Uma Mulher Vestida de Sol, AMÊSA, No Outro Lado do Mar, FRAGMENTES e Devir – Espíritos Livres, produziu também oficinas, colóquios e fóruns, traduzindo o desejo dos integrantes da Cia que é promover invenções de formas, deslocamento de significações, impressões, tudo o que há no amor, no ciúme, na guerra ou na loucura nos deve ser devolvido pelo teatro.

SERVIÇO:
O QUE? Espetáculo BARRELA
ONDE? Teatro Vila Velha
Quando? De 11 a 21 de maio, de quinta-feira a domingo, 20h e 19h no domingo
Quanto? R$ 40 e R$ 20 (meia)
Assessoria de Imprensa – Leonardo Parente (71) 99330–3858 (tel e WhatsApp)

FICHA TÉCNICA:
Direção – Nathan Marreiro
Autor – Plínio Marcos
Elenco – André Nunes, Jhoilson Oliveira, Victor Kizza, Amós Heber,Ismael Marques, Everton Machado, Felipe Velozo, Daniel Calibam. Aílson Leite, Ricardo Gonzada e Franclin Rocha.
Preparação Corporal: Emerson Ataíde
Programação Visual e Mídias Sociais – Ricardo Barreto
Fotografia – Gether Ferreira (fotos da primeira semana) e Diney Araújo (fotos da segunda semana)
Cenário – Nathan Marreiro
Cenotécnico – Levi Sans
Iluminação – Fernanda Paquelet
Sonoplastia – Paulo Fernandes
Figurino e adereço – Nathan Marreiro e elenco.
Estudo de Partituras Dramáticas – Gideon Rosa
Tec.de Luz – Davi Maia
Operação de Som – Davi Maia
Assessoria de Imprensa – Leonardo Parente
Assistente de Produção – EAG (Escola da Arte Gente)
Produção Executiva – EAG (Escola da Arte Gente)
Coordenação de Produção – Everton Machado
Realização – EAG/Cia. de Teatro Gente