Prefeitura lança edital de Licitação da Estação da Lapa

Serviços
25 de agosto de 2014
por Genilson Coutinho

lapa3

As empresas interessadas em participar da licitação da Estação da Lapa devem solicitar ainda esta semana no edital na sede da Secretaria Municipal de Urbanismo e Transporte (Semut), localizada na Rua Agnelo de Brito, 201, Federação. O edital será lançado até a próxima sexta-feira, segundo a Prefeitura. Do mesmo modo que o transporte público, a disputa para este terminal será por outorga onerosa. O edital diz que o consórcio que vier a ganhar a licitação, obrigatoriamente terá que entregar uma nova Lapa para a população e deve ter experiência em operação de estações.

Além de melhorias na infraestrutura, acessibilidade, climatização e instalação de wi-fi, um shopping será construído na parte superior do equipamento. “Vamos dar aos usuários uma estação digna. Estamos trabalhando para deixar a Lapa como uma estação modelo, para manter a sua capacidade e atualidade operacionais e proporcionar à população um local com todas as evoluções tecnológicas necessárias para um terminal por onde passam quase meio milhão de pessoas por dia. Ela vai deixar de ser uma estação só de ônibus, para ser de metrô e BRT também”, afirma o secretário da Semut, Fábio Mota.

A empresa vencedora da licitação poderá operar no local durante 35 anos, nos termos da Lei Municipal nº 8.545/2014, e terá que pagar, no mínimo, R$13 milhões como investimento. Este valor foi levantado pela Prefeitura após estudo realizado para as instalações da estação, que foi implantada na década de 1980 e nunca passou por requalificação.

Entre as responsabilidades da concessionária que venha a assumir a Lapa estão a execução de obras de completa recuperação e modernização da estação, contratação de mão de obra e serviços de segurança que garantam a tranquilidade dos usuários, ampliação e conservação nas edificações e instalações do terminal e a obrigação de transformá-la em um equipamento confortável, saneado, eficaz, seguro, moderno, dotado de acessibilidade, atualizado tecnologicamente e compatível com estações de transbordo de importância similar.

“Em contrapartida, a concessionária vai poder construir e explorar um shopping center durante esses 35 anos e, no final deste período, todo o patrimônio será de propriedade do município, sem qualquer direito de indenização à concessionária”, relata Mota. Vale ressaltar que, atualmente, a Prefeitura de Salvador gasta mais de R$400 mil por mês com limpeza de banheiros, infiltrações e escadas rolantes.

Foto:  Bahiapress